Investidores buscam detalhes sobre jantar de Bolsonaro com empresários

A quinta-feira amanhece com os investidores locais buscando detalhes sobre o jantar que ocorreu ontem na casa do empresário Washington Cinel, entre o presidente da República, Jair Bolsonaro, e grandes empresários. Jair Bolsonaro foi ao evento acompanhado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. No jantar, os assuntos mais falados foram a campanha de vacinação e as reformas, mas de acordo com o ministro da Infraestrutura, o evento foi apenas uma reunião de aliança e compromisso. Além disso, os investidores também acompanham hoje, Paulo Guedes, Bruno Funchal (secretário do Tesouro) e três diretores do Banco Central que participam de eventos importantes durante o dia. Falando brevemente sobre o índice Ibovespa, a tendência é que o índice avance no pregão de hoje, porém com folego curto, podendo mudar de direção durante a sessão. No momento, o índice futuro do Ibovespa está subindo 0,19% e o dólar futuro está recuando 0,25%.

No exterior, os índices futuros de Nova Iorque estão subindo, após os mercados à vista fecharem mistos ontem. Essa alta está sendo puxada pelo bom humor dos investidores com o recuo dos juros dos treasuries de longo prazo. A libra esterlina se recupera ante o dólar, após cair fortemente ontem em meio a preocupações sobre atrasos na campanha de vacinação contra a covid-19 no Reino Unido. Para o ING, a queda recente da moeda britânica foi “exagerada”. Às 7h20, no mercado futuro, o Dow Jones subia 0,01%, o S&P 500 avançava 0,31% e o Nasdaq se valorizava 0,85%. O juro da T-note de dois anos caía a 0,152%, de 0,160% no fim da tarde de ontem. O rendimento da T-note de 10 anos diminuía a 1,651%, de 1,664%, enquanto o do T-bond de 30 anos recuava a 2,335%, de 2,355% no fim da tarde de ontem em NY. Na Europa, as Bolsas estão operando sem direção única, após a divulgação de dados melhores do que o esperado. Às 7h16, a Bolsa de Londres subia 0,21%, a de Frankfurt recuava 0,06% e a de Paris se valorizava 0,38%. O euro estava em US$ 1,1865, de US$ 1,1868 no fim da tarde de ontem. A libra era cotada a US$ 1,3749, de US$ 1,3734. Na Ásia, as Bolsas fecharam em alta, após o Fed sinalizar via ata de política monetária, que manterá sua postura acomodatícia pelo tempo que precisar. O Hang Seng liderou os ganhos na região asiática hoje, com alta de 1,16% em Hong Kong, enquanto o sul-coreano Kospi avançou 0,19% em Seul. O Xangai Composto teve ligeira alta de 0,08%. Já em Tóquio, o Nikkei caiu 0,07%. Na Oceania, a Bolsa australiana ficou no azul pelo quinto pregão seguido nesta quinta. O S&P/ASX 200 avançou 1,02% em Sydney. Às 7h15, o dólar estava em 109,53 ienes, de 109,82 ienes no fim da tarde de ontem.

.

Equipe Travelex Bank

Leia também:

Futuros operam em alta

México: preço ao consumidor fechou em linha com expectativa de mercado

Artigos Relacionados

Taxa média do empréstimo pessoal aumentou em abril

Uma pesquisa de taxa de juros realizada pelo Núcleo de Inteligência e Pesquisas da Escola de Proteção e Defesa do Consumidor do Procon-SP, constatou...

Inflação sobe nos EUA e leva cotação do ouro junto

Bolsas de valores alternaram altas e baixas.

Medidas restritivas trazem retração ao comércio

Para o segundo semestre, uma vez que a vacinação avance, restrições podem ser amenizadas gradativamente com impacto positivo na economia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Rádios FM poderão antecipar aumento de potência e área de cobertura

Antes, emissoras só podiam solicitar mudança a cada dois anos e de forma gradual.

Mudanças no câmbio abrem caminho para o Pix internacional

Propostas da Consulta pública são os primeiros passos para colocar em prática o sistema de transferências instantâneas com o exterior.

Taxa de empréstimo pessoal tem pequena alta em abril

Segundo o Procon-SP, a taxa média de empréstimo pessoal foi de 6,1% ao mês.

Mercados com poucas oscilações

PEC fura-teto preocupa.

Por preços de combustíveis, IPCA deve desacelerar

Por outro lado, os preços dos serviços devem continuar em patamares baixos, influenciados pelas medidas de restrição e pelas fracas condições do mercado de trabalho.