Investidores de resguardo com Oriente Médio

Terça foi dia de investidores evitando maior exposição aos mercados de risco, por conta da crise geopolítica no Oriente Médio.

Opinião do Analista / 11:34 - 8 de jan de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Ontem foi ainda de investidores evitando maior exposição aos mercados de risco, por conta da crise geopolítica no Oriente Médio. O dia marcava declarações dos secretários Mike Pompeo e Mark Esper (secretário de defesa) sobre os problemas com o Irã. Mas o que acabou preocupando mais, foi a notícia que a China descartava aumentar a cota anual de importação de grãos dos EUA. Isso, teoricamente na véspera de assinarem a primeira fase do acordo bilateral de comércio com os EUA.

As declarações de Pompeo foram duras, mas sem novidades. Disse que o Irã dá suporte para ações de milicianos no Afeganistão, que o general Suleimani massacrou milhares na Síria e representa a destruição do Iraque e ainda que a administração de Trump vai mostrar evidências de ataque iminente. Considerou as ações dentro das regras internacionais e confirmou declaração de Trump que o Irã nunca terá arma nuclear.

Já Mark Esper, disse que os EUA não vão retirar tropas do Iraque e que o Irã tem que dar passo atrás e perceber que o jogo terminou. Disse que o Pentágono espera mais ataques de milícias iranianas no Iraque e o Pentágono rejeitou a ameaça de Trump de bombardear locais culturais do Irã. Ainda nos EUA, na economia, o déficit da balança comercial de novembro foi menor que o previsto em US$ 43,1 bilhões e o índice de atividade de serviços ISM de dezembro subiu para 55 pontos, de previsão de ficar em 54,3 pontos. As encomendas à indústria de novembro encolheram 0,7%, de previsão de -0,8%.

Na Espanha, Pedro Sánchez foi finalmente confirmado presidente numa coalizão de esquerda, ele que é socialista. Na sequência dos mercados no exterior, o petróleo WTI negociado em Nova Iorque mostrava queda de 1%, com o barril cotado a US$ 62,64. O óleo Brent em queda ainda maior de 0,13% e cotado a US$ 68,13. O euro era transacionado em queda para 1,114 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros em alta para 1,82%. O ouro e a prata com altas na Comex e commodities agrícolas com comportamento misto na Bolsa de Chicago. O minério de ferro teve dia de queda de 0,52% na China, com a tonelada negociada a US$ 95,11.

No segmento local, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) anunciou que a produção de veículos encolheu 25% em dezembro, mas mostrou expansão em 2019 de 2,3%. Já as vendas de veículos cresceram 8,4% em dezembro e alta de 8,6% no ano de 2019. As exportações de veículos encolheram no ano, 31,9%. Porém, a expectativa para 2020 é de expansão de 9,4%.

Depois da reunião de ontem entre Petrobras, ministro das Minas e Energia e Bolsonaro, o governo avalia quais níveis de petróleo e câmbio motivariam compensações nos combustíveis. Isso voltou a deixar os investidores estressados, já que os secretários de Fazenda dos Estados descartam a redução do ICMS dos combustíveis. O BC também anunciou que a poupança em 2019 captou liquidamente R$ 13,3 bilhões, sendo esse o terceiro ano seguido de captação.

No mercado, dia de DIs com quedas de juros para os vencimentos mais líquidos e o dólar operando novamente em alta pequena de 0,04%% e cotado a R$ 4,064. Na Bovespa, na sessão de 3/1, os investidores estrangeiros alocaram recursos no montante de R$ 862,4 milhões, deixando o saldo do mês positivo em 453,2 milhões.

No mercado acionário, dia de queda da Bolsa de Londres de 0,02% e Paris com queda idêntica. Já a Bolsa de Frankfurt subiu 0,76%, Madri em queda de 0,08% e Milão com alta de 0,60%. No mercado americano, o Dow Jones mostrava variação no encerramento de -0,42% e o Nasdaq com-0,03.%. Na Bovespa, dia de -0,18% e índice em 116.661 pontos.

Na agenda de amanhã, teremos o IPC-S da primeira quadrissemana de janeiro e o IGP-DI de 2019, além do levantamento sistemático da produção agrícola e fluxo cambial semanal. Nos EUA, teremos o volume de crédito ao consumidor de novembro e a pesquisa ADP de criação de vagas no setor privado em dezembro, que antecede ao payroll que será anunciado na sexta-feira.

.

Alvaro Bandeira

Economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor