Investidores sem rumo

Bolsonaro disse que seu discurso na ONU será tranquilo e vai defender o marco temporal.

Investidores sem rumo no curto prazo acabam sempre apostando no pior. Resultado disso, Bovespa em queda de 1,10% na sessão de ontem, com o índice em 113.794 pontos, dólar em alta para R$ 5,27 e juros só um pouco mais comportados. O exterior também não ajudou com Bolsas americanas indefinidas.

Precatórios sem definição, reforma administrativa fraca e questionada, aumento do Bolsa Família e possível fura-teto, compõem o cardápio das preocupações dos investidores. Hoje mercados da Ásia terminaram o dia com boas altas, mercados da Europa iniciaram o dia, perderam tração e foram para o campo negativo e futuros do mercado americanos mais pesados neste início de manhã. Aqui seria bom não perdermos o patamar dos 112 mil pontos do Ibovespa, pois o próximo suporte estaria em 110 mil pontos.

Investidores vão pesar dividendos altos anunciados ontem pela Vale de R$ 8,108 por ação e a queda do petróleo de hoje no mercado internacional. A China anunciou que injetou US$ 14 bilhões no sistema financeiro para aplacar o estresse com a Evergrande que deixou de pagar credores e arrastou outras empresas chinesas incorporadoras. Isso afeta as commodities minerais.

No Reino Unido, as vendas no varejo de decepcionaram em agosto com queda de 0,9%, quando o previsto era expansão de 0,8%. Na Zona do Euro, a inflação medida pelo CPI de agosto mostrou alta de 3,0% no comparativo anual, com núcleo em 1,8% e no mês com alta de 0,4%.

Nos EUA, as discussões residem em elevar o teto da dívida para não paralisar órgãos do governo e ainda o pacote de investimentos de Joe Biden. Mas aparentemente está difícil convencer o líder da oposição McConnell.

No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em Nova Iorque, mostrava queda de 0,67%, com o barril cotado a US$ 72,12. O euro era transacionado em alta para US$ 1,178 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,34%. O ouro e a prata mostravam altas na Comex e commodities agrícolas com desempenho negativo na Bolsa de Chicago.

Aqui, a alíquota de IOF foi ampliada ontem para vigência imediata e ficando até o final do ano, para pessoas físicas e jurídicas, para arranjar recursos para o Auxílio Brasil e não ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Mas vem justamente no momento em que o nível de endividamento das famílias atingiu recorde.

Bolsonaro disse que seu discurso na ONU será tranquilo e vai defender o marco temporal. O Datafolha é que mostrou pesquisa com 53% de negativa ao governo, no maior nível atingido. Também saiu a inflação pelo IPC da Fipe na segunda quadrissemana de setembro de 1,21%, de anterior em 1,34%.

Expectativa para o dia de Bovespa podendo buscar recuperação, mas está difícil. Dólar mais fraco e juros também.

Ontem, os mercados domésticos se ressentiram do noticiário sobre a reforma administrativa, principalmente, com relação às discussões (ainda sem solução aparente) sobre o pagamento de precatórios. Os investidores ficaram na defensiva, com a Bovespa em boa queda, dólar em alta e juros idem.

No exterior, o Japão reduziu sua avaliação sobre a economia, depois de ter mantido por quatro meses. Já Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (BCE), declarou que a região já atravessou o período mais complicado, mas nem por isso estão fora de perigo. Mas, de qualquer forma, a recuperação está sendo mais rápida que o previsto e que as políticas monetária e fiscal devem seguir juntas para a recuperação. Ressaltou que a transição verde digital é imperativa.

A agência de classificação de risco Fitch (entre as três maiores do mundo) revisou sua expectativa de crescimento do PIB global de 2021 para 6%, de anterior em 6,3%. Também advertiu que muitos setores podem estar expostos ao risco de crédito, se a gigante chinesa incorporadora Evergrande entrar em default. E a China virou aliada de trabalhadores contra as grandes empresas de tecnologia, como Alibaba e Tencent, no que chamam de Nova Era de Prosperidade Comum.

Nos EUA, os pedidos de auxílio-desemprego da semana anterior cresceram 20 mil posições, para 332 mil, quando o previsto era que ficassem em 320 mil. Já as vendas no varejo de agosto surpreenderam com boa expansão de 0,7%, quando o previsto era queda de 0,8%. Sem considerar automóveis, as vendas teriam evoluído 1,8%, de previsão de somente +0,1%. Ainda por lá, o Tesouro anunciou que, do plano de resgate de US$ 700 bilhões, cerca de US$ 450 bilhões já foram gastos em pagamentos diretos para as famílias nos últimos seis meses e algo como US$ 240 bilhões foram destinados aos governos estaduais e locais.

No mercado internacional, ontem, o petróleo WTI, negociado em Nova Iorque, mostrava alta de 0,01%, com o barril cotado em US$ 72,62, depois de ter andado boa parte do dia em leve queda. O euro era transacionado em queda para US$ 1,177, e notes americanos de 10 anos com taxa de juros em alta para 1,33%. O ouro e a prata com quedas acentuadas na Comex, e commodities agrícolas com desempenho mais para negativo na Bolsa de Chicago. Já o minério de ferro desabou durante a madrugada em Qingdao, na China, mostrando contração de 8% e com a tonelada em US$ 107,21, no menor nível em mais de um ano. No segmento doméstico, o relator da reforma administrativa retirou a possibilidade de corte da jornada de trabalho e salário dos servidores. O Centro de Liderança Pública (CLP) declarou que fizeram a antirreforma. Segundo o presidente da Câmara, a votação deve ocorrer na próxima terça-feira. Já sobre os precatórios, nenhuma decisão e/ou encaminhamento. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, diz que uma solução definitiva deve sair na próxima semana, e vão tentar conciliar (o inconciliável) entre precatórios, programa social e teto de gastos. O presidente da Câmara, por sua vez, criticou bastante a presença da Petrobras em comissão sobre a estrutura de preços e ajuda ao país, e quer estabelecer rito especial para os precatórios (perigo).

Na economia, a FGV anunciou o IGP-10 de setembro com deflação de 0,37%, mas no ano com a inflação em 16,44%. O IPC-S da segunda quadrissemana de setembro acelerou para 1,10%, de anterior em 0,91%. A Confederação Nacional do Comércio (CNC) apurou que a intenção de consumo das famílias cresceu 1,9% em setembro, pelo quarto mês seguido.

O secretário de economia, Adolfo Sachsida, também falou bastante no final da manhã, pedindo que os economistas olhem os dados de conjuntura direito, mantendo o PIB do ano em 5,3%, com 2022 em 2,50% (neste momento, só o governo acredita e abre espaço no orçamento), inflação indo para 7,90% (anterior em 5,90%) e dizendo que só o carrego do PIB de 2021 já garantiria alta em 2022 de 1,2% (na pesquisa Focus, a estimativa é de 0,7%). Insiste na agenda de reformas, na consolidação fiscal e que o Brasil está cansado de voo de galinha e de resultado imediatista.

No mercado, a quinta foi dia de dólar oscilando bastante e atingindo máxima perto de R$ 5,27, para encerrar o dia novamente nesse patamar com alta de 0,49%. Na B3, na sessão do dia 14, os investidores estrangeiros alocaram recursos no montante de R$ 462,9 milhões, deixando o saldo de setembro com entradas de R$ 19,74 milhões e ingressos em 2021 no valor de R$ 47,1 bilhões. No mercado acionário, dia de alta da Bolsa de Londres de 0,20%, Paris com +0,61% e Frankfurt com +0,52%. Madri e Milão com altas de respectivamente 1,14% e 0,83%. No mercado americano, o Dow Jones com -0,18% e Nasdaq com +0,13%. Na Bovespa, dia de queda de 1,10% e índice em 113.794 pontos, com Vale e siderúrgicas pesando na queda.

.

Alvaro Bandeira

Economista-chefe do Banco Digital Modalmais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Investidores monitoram Campos Neto

Mercados externos negociam, em sua maioria, no positivo; na Europa é aguardada a decisão de política monetária do BCE.

Semana começa com estresse pós-traumático

Na sexta, mercados domésticos ficaram por conta da sensação de desmanche da equipe econômica de Paulo Guedes.

Últimas Notícias

Após dois meses de queda, confiança volta a ter resultados positivos

Sudeste e Sul seguem um pouco mais confiantes, enquanto o Centro-Oeste e Norte mais pessimistas.

Rede estadual de ensino retorna a aulas 100% presenciais

No ano passado, as aulas foram remotas por causa da Covid; na rede municipal da capital, retorno sem rodízio de alunos começou no dia 18.

Manguinhos e Ambev lideram dívidas ao Fisco estadual

Estudo da Fenafisco aponta que os maiores devedores também recebem isenções fiscais em suas áreas de atuação.

Investidores monitoram Campos Neto

Mercados externos negociam, em sua maioria, no positivo; na Europa é aguardada a decisão de política monetária do BCE.

Semana começa com estresse pós-traumático

Na sexta, mercados domésticos ficaram por conta da sensação de desmanche da equipe econômica de Paulo Guedes.