Investigação mira corrupção no governo português

Após ser detido e ter sua casa revistada, o primeiro-ministro renunciou ao cargo, alegando estar “focando em sua defesa”.

110
antónio costa
António Costa (foto de Valter Campanato, ABr)

A Polícia de Segurança Pública (PSP) e o Ministério Público português realizaram nesta terça-feira buscas em vários ministérios, incluindo o escritório e a residência oficial do primeiro-ministro português, António Costa. Foi iniciado um inquérito para investigar suspeitas de corrupção no governo português por crimes relacionados com o envolvimento na exploração de lítio e hidrogênio verde.

Segundo o jornal Público, já foram feitas detenções, incluindo o chefe da Casa Civil de Costa, Vitor Escaria, e um consultor pessoal do primeiro-ministro, Diogo Lacerda Machado. As investigações também visam o ministro do Ambiente e Ação Climática, Duarte Cordeiro, o Ministro das Infraestruturas, João Galamba, e o antecessor de Cordeiro, João Pedro Matos Fernandes, de acordo com relatórios locais.

Uma linha de investigação criminal da corrupção no governo português diz respeito a um grande projeto de hidrogênio verde na cidade costeira de Sines, com um investimento superior a € 1,5 bilhões (cerca de R$ 7,8 bilhões).

Para a operação de buscas foram mobilizados cerca de 140 policiais, sendo que o inquérito é conduzido pelo Departamento Central de Investigação e Ação do Ministério Público (DCIAP), informou a agência Lusa, citando fonte da PSP.

Espaço Publicitáriocnseg

O Ministério do Ambiente e da Ação Climática confirmou as buscas da PSP nas suas instalações, enquanto fonte oficial do Ministério do Ambiente disse que ainda não tem conhecimento do motivo das buscas.

Em novembro de 2020, a revista Sábado noticiou que o DCIAP abriu um inquérito sobre suspeitas de tráfico de influência e corrupção no projeto do hidrogênio. João Galamba, então secretário de Estado da Energia, estava entre os investigados.


Primeiro-ministro de Portugal renuncia devido a escândalo de corrupção

Primeiro-ministro de Portugal renuncia devido a escândalo de corrupção
(231107) — LISBOA, 7 noviembre, 2023 (Xinhua) — El primer ministro portugués, António Costa, anuncia su dimisión, en Lisboa, Portugal, el 7 de noviembre de 2023. Costa renunció el martes luego de convertirse en blanco de una investigación sobre supuesta corrupción gubernamental. (Xinhua/Zhang Ke) (oa) (vf)

António Costa, primeiro-ministro de Portugal, renunciou terça-feira (07) depois de se tornar alvo de uma investigação sobre alegada corrupção governamental.

Costa apresentou a sua demissão ao Presidente Marcelo Rebelo de Sousa algumas horas antes.

Em comunicado, Costa negou as acusações de corrupção, mas disse que preferia renunciar para se concentrar na sua defesa.

O procurador-geral do país anunciou que será instaurado um processo criminal contra Costa. Foi também recebido pelo Presidente português, que foi informado das operações de fiscalização que resultaram na detenção de cinco pessoas, incluindo Vítor Escária, chefe de gabinete de Costa.

O ministro das Infraestruturas, João Galamba, e o presidente da Agência Portuguesa do Ambiente, Nuno Lacasta, também foram apontados como suspeitos formais.

Segundo a Procuradoria-Geral da República, a investigação centra-se nos alegados crimes de prevaricação, corrupção ativa e passiva e tráfico de influência.

A investigação centra-se também na atribuição de concessões para a exploração de lítio em Portugal, bem como num projeto de uma central de produção de energia de hidrogenio.

Agência Xinhua

Atualizado em 08/11/2023, às 8:50.

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui