Investimento em cannabis: os desafios no mercado financeiro brasileiro

Por Fabrizio Postiglione

País se tornará um dos maiores players globais

 

O segmento da cannabis segue em pleno desenvolvimento. Os investimentos nas empresas nacionais, com certeza, contribuem para o mercado, pois são cruciais para a rápida evolução, e, considerando esse desenvolvimento, precisamos de fundos de captação para nos tornarmos eficientes.

Contudo, como esses investimentos ainda não são regulamentados no Brasil, esses capitais são destinados para empresas internacionais, fazendo com que o benefício seja maior no exterior. Independente disso, o setor segue em uma crescente há seis anos. Em números, significa uma alta média anual de 124% desde 2016.

O mercado financeiro é um ambiente arriscado, e todo investimento tem seu grau de instabilidade. Levando isso em consideração, a escolha do tipo de aplicação é crucial para alcançar o sucesso. Como o segmento de cannabis é muito novo, as companhias presentes não possuem grandes históricos para podermos criar tendências a longo prazo. Entretanto, acredito que uma escolha bem feita consiste em uma empresa que tem planos sólidos e ações já bem executadas, além de se prestar bastante atenção na liderança e board que estão por trás dela.

Em um mercado recente e uma indústria que envolve grandes incertezas, é comum ter uma volatilidade bem elevada, ainda mais considerando a atual situação mundial que engloba uma pandemia e uma guerra na Europa. Com isso, as taxas de juros e inflação aumentaram bastante em todo o mundo, atraindo muitos investidores para a renda fixa e distanciando-os da renda variável convencional. É nesse momento que vejo uma grande oportunidade para o venture capital.

Fundos são feitos de ações, e a maioria é constituída por empresas no exterior. Tenho expectativa de que em breve eles comecem a investir em empresas nacionais, mas para que isso aconteça, as companhias brasileiras precisam abrir seu capital na bolsa de valores. Como mencionado antes, a alta taxa de juros afasta os investidores da renda variável e os leva para renda fixa. Para que eles possam investir no segmento, eles precisarão se interessar em algo que tenha um potencial de ganho maior.

Em linhas gerais, o mercado de cannabis é promissor, e como todo investimento, tem o momento certo para se investir, ou seja, analisando os riscos e as oportunidades quanto ao cenário econômico do momento.

Estima-se que o Brasil se tornará um dos maiores players globais do produto. Além da diversidade que o uso da cannabis oferece, temos uma grande população e a atuação do Sistema Único de Saúde (SUS), que já vem trabalhando para incorporar essa realidade em seu sistema.

Quando se fala de cannabis no Brasil, o preconceito é predominante, o que pode prejudicar o mercado nacional. A desinformação faz com que grande parte da população não tenha conhecimento sobre os reais benefícios desses medicamentos para a saúde.

Apesar disso, tenho uma perspectiva positiva em relação ao setor, que vem se expandindo e ainda se encontra no começo da curva de crescimento.

 

Fabrizio Postiglione é fundador e CEO da Remederi.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Nova Guerra Fria

Por Edoardo Pacelli.

Hiroshima

Por Paiva Netto.

Dicas para planejar a aposentadoria

Por Bruno Martins.

Últimas Notícias

Real pode se beneficiar da queda do dólar ante moedas emergentes

Em NY, os índices futuros acionários operam no positivo, assim como as principais Bolsas europeias; alta também na Ásia.

Dia dos Pais: shoppings preveem crescimento de 16% nas vendas

Setor deve movimentar R$ 4,4 bilhões entre os dias 8 e 14 de agosto.

BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos

Área de oncologia movimenta R$ 50 bilhões no Brasil

Cerca de 625 mil novos casos de câncer são diagnosticados por ano