Investimento estrangeiro em empresas chinesas aumenta

85
Bandeira da China na praça Tian'anmen (foto de Chen Zhonghao, Xinhua)
Bandeira da China na praça Tian'anmen (foto de Chen Zhonghao, Xinhua)

Atraídas pelas ricas oportunidades na região central da China, várias empresas com financiamento estrangeiro se estabelecerem na região e expandirem seus investimentos ou operações. Entre elas está a gigante química alemã BASF, que abriu uma filial em Changsha, capital da Província de Hunan, no centro da China.

Segundo a Agência Xinhua, o crescimento econômico da China, mais rápido do que o esperado, de 5,3% no primeiro trimestre deste ano, reafirma sua atratividade para o investimento estrangeiro. O número de empresas recém-criadas com investimento estrangeiro no país atingiu 12 mil durante o período, um aumento anual de 20,7%. Um sistema industrial cada vez melhor, um vasto mercado consumidor e um ambiente de negócios cada vez mais otimizado tornaram a região central da China um ímã para empresas financiadas por estrangeiros.

De acordo com Wang Xueli, CEO da Zurbrüggen Business Management Co., Ltd (China), que é a sede da empresa alemã Zurbrüggen Group na China, desde que se estabeleceu em Changsha, a cidade passou a ter um ambiente de negócios melhor, rápidas atualizações de infraestrutura e um desenvolvimento econômico significativo.

Wang disse que a região central da China possui recursos humanos e educacionais abundantes, amplas conexões de transporte e grande potencial para um maior desenvolvimento econômico. “Esperamos que, ao participar da exposição, possamos explorar mais oportunidades de investimento e cooperação em uma região digna de esforços de longo prazo”, ressaltou

Espaço Publicitáriocnseg

No início deste ano, o Volkswagen Group China anunciou um investimento de 2,5 bilhões de euros (US$ 2,73 bilhões) para a expansão de seu centro de inovação em Hefei, na Província de Anhui. A região central da China compreende seis províncias: Shanxi, Henan, Anhui, Hubei, Hunan e Jiangxi. O país enfatizou a necessidade de acelerar a ascensão de sua região central como parte de seus esforços para promover o desenvolvimento regional coordenado.

De 31 de maio a 2 de junho, a 13ª Exposição de Investimento e Comércio da China Central (Expo Central China 2024) foi realizada em Changsha para facilitar o comércio e o investimento nessa região. A exposição deste ano atraiu a participação de mais de 200 multinacionais.

Vincenzo Raffa, gerente geral da Yita Business Affairs, uma empresa de assuntos comerciais sediada na China, disse que a região central da China oferece muitas oportunidades para as empresas italianas. Com o crescimento do mercado consumidor chinês e o aumento da demanda

por produtos e serviços de alta qualidade, as empresas italianas podem aproveitar sua perícia em áreas como manufatura, design e moda, observou ele.

A cooperação e a parceria entre empresas italianas e chinesas produzirão resultados vantajosos para ambas as partes. As empresas italianas têm vantagens exclusivas em tecnologia, design e qualidade, enquanto a região central da China oferece um vasto mercado e benefícios geográficos, portanto, há um potencial significativo de colaboração entre os dois lados, de acordo com Raffa.

A região central da China, conhecida pelos setores de agricultura, energia e fabricação de equipamentos, está construindo um sistema industrial moderno em um ritmo acelerado.

A exposição deste ano, cobrindo uma área de aproximadamente 40 mil metros quadrados, contou com exposições das seis províncias mencionadas, incluindo um trator não tripulado movido a hidrogênio 5G+ e um ônibus inteligente com direção autônoma.

Raffa disse que ficou muito impressionado com as capacidades de atualização industrial e inovação da região central apresentadas na exposição, acrescentando que a concentração de recursos na região oferece oportunidades para empresas italianas especializadas em tecnologias avançadas e soluções ecológicas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui