Investimentos no país recuam 1% em novembro

‘A verdade é que a economia ainda está em crise’, mostra professor.

Conjuntura / 22:39 - 13 de jan de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O indicador que acompanha os investimentos se somou à leva de índices que teimam em contrariar o discurso oficial de retomada da economia em um ritmo forte. Em novembro, os investimentos recuaram 1% em relação a outubro de 2019, de acordo com o Indicador Ipea Mensal de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF).

A comparação refere-se aos números dessazonalizados, ou seja, excluindo-se a influência de determinados fatores de épocas do ano na economia. Com isso, é possível comparar os resultados obtidos em meses distintos.

O recuo foi menor do que o observado de setembro para outubro de 2019, na série com ajuste sazonal, quando houve redução de 2,2% no FBCF. O FBCF é calculado pelo investimento feito em três segmentos: máquinas e equipamentos, construção civil e outros ativos fixos.

Na comparação com novembro de 2018, o FBCF registrou retração de 1,8%. No acumulado em 12 meses, os investimentos desaceleraram, com a taxa de crescimento passando de 2,6% até outubro para 2,1% até novembro.

Em entrevista ao jornal francês Le Monde, neste final de semana, o economista Eduardo Fagnani analisa que o crescimento propalado pelo governo é “uma ilusão total”. “A verdade é que ainda estamos em uma economia em crise”, diz o professor da Unicamp. 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor