IPCA deve ser de +0,40% até o final de julho

Não há preocupação com a inflação generalizada, uma vez que demanda das famílias se recupera em ritmo gradual.

Opinião do Analista / 16:41 - 10 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Nossa expectativa - Esperamos IPCA de +0,40% até o final de julho, impulsionado principalmente pela continuidade da pressão da inflação de combustíveis. A Petrobras anunciou várias rodadas de reajuste nos preços das refinarias de maio ao início de julho, sendo parcialmente transferido para os preços ao consumidor. O baixo tráfego de veículos em tempos de distanciamento social acarreta menor demanda de combustíveis e, consequentemente, repasse abaixo da taxa histórica de 20%. Porém, o alívio gradual do distanciamento social abre espaço para maior tráfego de veículos, aumentando gradualmente a demanda por combustíveis e o repasse.

Outra fonte potencial de pressão nos preços vem do reajuste adicional aos preços da carne bovina em época de maiores exportações para a China e, portanto, menor oferta interna. Por fim, existem pressões potenciais provenientes de reajustes de medicamentos e planos de saúde que geralmente ocorrem durante o segundo trimestre e foram atrasados devido à pandemia.

Apesar dessas pressões específicas, não há preocupação com a inflação generalizada, uma vez que a demanda das famílias se recupera em um ritmo gradual. Por isso, mantemos nossa expectativa de que o IPCA pode acabar em +1,7%.

.

Mitsubishi UFJ Financial Group, Inc. (MUFG)

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor