IPCA supera estimativa

Apesar de fechar acima da meta de 4,25% a.a, inflação ficou dentro do limite de variação de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.

Opinião do Analista / 16:56 - 10 de jan de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Os últimos números de 2019 estão sendo contabilizados e hoje foi a vez de conhecermos a inflação oficial do ano que passou. Divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é considerado um dos indicadores mais relevantes quando o assunto é crescimento econômico. O dado superou a projeção inicial de 4,23% a.a, fechando 2019 a 4,31% a.a. No comparativo mensal, o IPCA também superou a estimativa de 1,08% a.m. fechando o último mês do ano a 1,15% a.m.

Apesar de fechar acima da meta de 4,25% a.a, a inflação ficou dentro do limite de variação de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos. Os dados foram recebidos de forma positiva pelo mercado apesar da grande influência dos preços da carne e combustíveis nos meses de novembro e dezembro. Isso porque o IGP-M de janeiro veio bem abaixo da expectativa do mercado, dando sinais de que a disparada dos índices no final do ano passado não deve continuar em 2020. Dessa forma, as projeções para esse ano permanecem de queda para inflação com o centro da meta em 4% a.a.

Independentemente disso, a possibilidade de uma mudança de trajetória do IPCA com impacto sobre a taxa básica de juros, Selic, ainda é monitorada pelo mercado. Atualmente, os juros mais baixos são o principal mecanismo de tração da economia. Para o investidor, é bom saber que ativos como o Tesouro IPCA+ e fundos de investimentos imobiliários poderão se beneficiar com a chegada desse novo cenário".

.

Ernani Reis

Analista

Capital Research

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor