Joga pedra no Mercosul

Desde sua criação, o Mercosul sofre pesadas críticas dos setores conservadores dos países integrantes. No caso do Brasil,...

Desde sua criação, o Mercosul sofre pesadas críticas dos setores conservadores dos países integrantes. No caso do Brasil, se ajustes precisam ser feitos é para ampliar a cooperação e distribuir de modo mais igualitário os ganhos, pelo menos os obtidos no comércio exterior. O resultado da balança comercial demole os argumentos contrários ao bloco. Em 2017, os brasileiros exportaram US$ 22,6 bilhões e importaram US$ 11,9 bilhões. O saldo, de US$ 10,7 bilhões, é quase um sexto do superávit total (US$ 67 bilhões), apesar de as exportações representarem apenas pouco mais de 10% das vendas externas totais no ano passado.

Mais importante do que o saldo, é a qualidade do que é vendido. As vendas de manufaturados aos países do Mercosul em 2017 somaram R$ 20,1 bilhões, 89% do valor das exportações ao bloco. Mais de um terço foi de automóveis e autopeças. No lado das importações, 73% foram manufaturados. Para comparar, apenas um terço das vendas para a União Europeia foi de produtos mais elaborados. Já na contramão, 95% das compras foram manufaturados. Com os Estados Unidos, é um pouco melhor, mas não tanto: manufaturados são 56% das exportações brasileiras, mas 92% das importações.

Dos R$ 80,2 bilhões que o Brasil exportou em manufaturados para o mundo em 2017 (37% das vendas totais), um quarto teve como destino o Mercosul. No lado das importações, 85% dos US$ 150,7 bilhões que o país trouxe são manufaturados.

Desde 2000, o Brasil acumula um saldo comercial com o Mercosul de US$ 74,2 bilhões. Para quem acha que o destino de nosso país é exportar produtos primários, na linha do acordo entre a galinha e o porco para lançar no mercado ovos com presunto, criticar o bloco é um mantra. Para estes, mais alguns dados: na comparação entre 2017 e 2016, as exportações totais brasileiras de produtos manufaturados cresceram 8,6%; de semimanufaturados, 12,4%; já a de produtos básicos emplacou uma alta de 27,7%.

 

150 anos picantes

Em 1868, Edmund McIlhenny fez sua primeira colheita de pimenta tabasco com a qual criou o molho picante que está na maioria das mesas do mundo. Hoje, 150 anos mais tarde, os mesmos três ingredientes que criaram o molho Tabasco original – pimenta tabasco, sal e vinagre – são envelhecidos e engarrafados pela quinta geração da família de Edmund em Avery Island, através de praticamente o mesmo processo.

É uma interessante história empresarial de sucesso meio que ao acaso, aproveitando a colheita da então decadente fazenda da família. Toda a produção, distribuída mundialmente, ainda se dá no mesmo local, em Luisiana (EUA) – estado cuja cidade mais famosa é Nova Orleans.

 

Em casa

A justiça uma vez mais extrapola suas atribuições, mas acerta ao impedir a posse de Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho e Emprego. Agora, os juízes deveriam levar a fundo a missão e tirar do governo ministros com problemas muito mais graves, a começar por Moreira Franco, cujo cargo foi transformado apenas para que ele escapasse da lei; ou Blairo Maggi, investigado por lavagem de dinheiro; ou ainda envolvidos na Lava Jato, como Raul Jungmann, Mendonça Filho, Fernando Coelho Filho…

A lista é grande e deveria ser encabeçada pelo presidente Michel Temer, primeiro a ser denunciado no cargo, e mantido por uma conjunção de pequenos e grandes intere$$es.

 

Rápidas

O edital para o concurso da INB foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira. As inscrições estarão abertas a partir de segunda-feira (15) e vão até 8 de fevereiro. Detalhes em www.gestaodeconcursos.com.br *** Nesta sexta-feira, o sertanejo universitário invade o Caxias Shopping (RJ). No palco, a partir de 19h30, a cantora Anna Lima *** No dia 20, o economista e consultor do site de educação financeira do Mercantil do Brasil, Carlos Eduardo Costa, promove a oficina “Nosso dinheiro – planejamento financeiro para casais”. Informações e inscrições: [email protected] / (31) 99981-6668 *** O Passeio Shopping inicia 2018 com a Mostra de Orquídeas, a partir desta quinta, até sábado, com mais de 2 mil plantas *** A polêmica Reforma Trabalhista é tema de cursos que a Associação dos Advogados de São Paulo (Aasp) e a Escola Nacional de Advocacia do Conselho Federal da OAB (OAB-ENA) realizam dias 16, 18, 23 e 30 de janeiro e 1º, 6 e 8 de fevereiro, tanto presencialmente (em SP) quanto pela internet. Mais informações: www.aasp.org.br/educacional/cursos

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Estaleiros darão a volta por cima

Indústria naval brasileira sofre com política do Governo Bolsonaro.

‘Empreendedores’ fecham suas empresas

Aumentou 35% número de negócios fechados em 2021.

Por que mexer no ICMS e manter dividendos elevados?

Acionistas ganham em dividendos tanto quanto toda a população perderia com corte no imposto.

Últimas Notícias

Clorin ganha destaque nos lares e empresas brasileiras

A empresa amplia distribuição da marca Milton no Brasil.

Tokenização: conceitos e casos de uso dessa tecnologia

BC e CVM acompanharão ao longo deste ano as operações dos projetos aprovados nos respectivos sandboxes regulatórios

Sim Pro Samba homenageia Lula Gigante

O Sim Pro Samba começa às 18h30, na Praça dos Professores. Gratuito!

Solução para o investidor no cálculo e declaração do IR

Usufruir de serviços automatizados para o cálculo e o pagamento de DARFs,

CVM divulga estudo sobre ESG e o mercado de capitais

Relação entre o mercado de capitais e o tema sustentabilidade,