Joga pedra nos marajás, mas o alvo é o Estado

Mais de 90% dos servidores do Executivo federal ganham menos de R$ 10 mil.

Matéria publicada pelo Monitor Mercantil desmonta a tese de que os servidores públicos recebem vencimentos estratosféricos: 48% dos funcionários ligados ao Poder Executivo – incluindo 61% dos servidores municipais – ganham até R$ 2.500 por mês, de acordo com o Atlas do Estado Brasileiro. O estudo foi feito pelo Ipea com base em dados de 2017.

O Atlas revela outros números interessantes, que ficam de fora da atual discussão pois desmentem a tese dos que propõem fazer uma mudança que leve o Estado brasileiro de volta ao início do século 20. Por exemplo, a mediana (simplificando, o valor do meio de um conjunto de dados) da remuneração no Executivo federal é de R$ 2.589 (dado corrigido em janeiro de 2019), enquanto no Legislativo é de R$ 3.420 e no Judiciário de R$ 10.542. A mediana de vencimentos no nível federal corresponde quase ao dobro da mediana do estadual e 3,5 vezes à das remunerações nos municípios. Cerca de 93% dos servidores do Executivo federal ganham menos de R$ 10 mil por mês, enquanto no Judiciário mais de 50% ganham acima deste valor. E não são apenas os juízes, que representam algo em torno de 5% do funcionalismo do Judiciário.

A estrutura da remuneração no serviço público reflete, de certa forma, a desigualdade na sociedade, apenas num patamar superior. Justamente os vencimentos desse patamar são usados na campanha para demonizar o funcionalismo. Porém eles ficaram de fora da mudança, assim como os militares, confirmando que o objetivo é desmontar o Estado.

De quebra, abrir espaço para contratar cabos eleitorais e pessoas indicadas sem concurso. No início das agências reguladoras era assim: escondidos sob a capa de “seleção dos melhores currículos”, muitos apaniguados entraram para o serviço público, atendendo às requisições de quem os indicou. Só após a adoção de currículo a situação nas agências começou a melhorar.

 

Guardiões do Bolsonaro

Se a reforma fosse séria, começaria na direção oposta, extinguindo cargos com indicação política e sem concurso”, detona o deputado Professor Israel Batista (PV/DF), presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público.

Isso abre brecha para o apadrinhamento, loteamento de cargos na administração pública e o velho patrimonialismo brasileiro. Os guardiões do Crivella exemplificam perfeitamente o que acontece quando se retira o concurso público e a estabilidade. São agentes públicos que funcionam como vassalos dos políticos”, complementa.

A proposta de reforma enfraquece o Estado e traz imensos prejuízos, afirma Batista. “Se as regras propostas agora já fossem válidas desde 2019, não haveria universidade pública após as perseguições do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub. Os órgãos de pesquisa também teriam sofrido um grave desmonte. Servidores do Ibama, do ICMBio e do Ministério do Meio Ambiente não teriam a menor chance de oferecer qualquer resistência à sanha destruidora de ‘passar a boiada’ orquestrada por Ricardo Salles.”

 

Viúvos do Muro de Berlim

Os testes das duas primeiras etapas e detalhes da vacina russa foram publicados, com louvor, em uma revista científica de ponta. Falta a terceira fase.

Como deve estar a cara dos viúvos do Muro de Berlim, que ainda veem comunistas maus (devem achar isso pleonasmo) por todos os cantos? Bom, não devem ter mudado. Realidade é algo distante para essa gente.

 

Número 1

Segundo a Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos, o Hospital Adventista Silvestre é o primeiro colocado no ranking em realização de transplantes de fígado no país. A rede chegou a 750 procedimentos em 10 anos.

 

De ouro

O biquinho do Gatito no VAR arranhou e causou mau contato num plug, diz não auditado laudo do fornecedor inglês da CBF. Solução: trocar por novo. Orçamento: 53 mil reais. O VAR (uma espécie de laptop) dá de brinde carro zero? Aliás, Gatito bobeou: desse bicão que dava no mesmo!

 

Rápidas

Estão abertas as inscrições o Start Gerdau, projeto Start realizado em colaboração com o Instituto Ser+ e apoiado pela Accenture para formação e capacitação profissional de jovens em situação de vulnerabilidade social; nesta edição, especificamente, os da cidade do Rio de Janeiro. Interessados: bityli.com/GOBYT até 11 de setembro *** No próximo dia 10, às 20h, a Faculdade BSSP realizará a primeira colação de grau online para os concluintes da primeira turma de graduação tecnológica em Gestão de Recursos Humanos.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Sonho da casa própria fica mais distante

Contratação de moradias com recursos do FGTS cai ano após ano.

Moeda chinesa na mira dos bancos centrais

Participação como reserva internacional ainda é baixa… por enquanto.

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

S&P aumenta nota de crédito da Petrobras

A agência de classificação de risco S&P Global Ratings (S&P) elevou a nota de crédito da Petrobras. A nota de crédito stand-alone (risco intrínseco)...

Movida supera as expectativas e ações sobem 8%

A Movida, empresa de locação de veículos, gestão e terceirização de frotas e vendedora de semininovos, reportou lucro líquido ajustado de R$ 174 milhões...

BNDES financia Norflor no combate ao efeito estufa

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) concederá financiamento será concedido à Norflor Empreendimento Agrícolas no valor de até R$ 27,4 milhões,...

Uma criptomoeda 100% brasileira

Uma parceria entre as startups Stonoex e AMZ viabilizou o lançamento da criptomoeda brasileira ZCO2. É uma criptomoeda que prevê a proteção da Amazônia...

Aumenta investimento estrangeiro em Xangai

O investimento estrangeiro integralizado em Xangai registrou um aumento anual de 21,1% no primeiro semestre de 2021, anunciaram autoridades locais. A utilização real do...