Jorrando

     
          Dois dias depois de iniciado, o vazamento de até 5 mil barris por dia de petróleo no Golfo do México, que ameaça reservas ambientais de quatro estados dos Estados Unidos, continua sem comover ONGs verdes nacionais e internacionais. Em contraste com a mobilização empreendida para impedir a construção da hidrelétrica de Belo Monte, a plataforma controlada pela Bristish Petroleum continua imune a protestos. No site do Greenpeace internacional, que anuncia “existir porque esta frágil Terra necessita de uma voz”, o mutismo sobre a matéria é ensurdecedor.

Aconteceu, virou Manchete
Os arquivos fotográficos da massa falida de Bloch Editores serão leiloados na próxima terça-feira, dia 4. São mais de 20 milhões de fotos que contam boa parte da História do Brasil, retratada na revista Manchete e outras da editora.
Fatos como os funerais de Getúlio Vargas (1954) e Carmen Miranda (1955); as rebeliões fracassadas contra o Governo JK antes da posse, a bordo do navio Almirante Tamandaré (1955) e o levante de Jacareacanga (1956); a época de ouro dos desfiles de miss (final da década de 50 e início da de 60); a conquista da primeira Copa do Mundo da seleção brasileira de futebol; a construção de Brasília.
O lance mínimo é de R$ 1.249.249,30. Para visitação, deve-se marcar horário através dos telefones: (21) 2224-7478 / 7811 com o leiloeiro Fernando Braga. O leilão será no Átrio do Fórum do Rio.

Bem longe
Famílias que moram em áreas de risco no Rio de Janeiro fizeram um protesto em frente à sede da prefeitura, na Cidade Nova, contra a remoção de moradores de favelas. A comissão organizada pela Pastoral das Favelas não foi recebida pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB), que não estaria na Prefeitura. Na próxima terça-feira haverá uma audiência pública da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, no Rio, para discutir a questão urbana “do ponto de vista do direito à cidade para aqueles que não têm seus direitos assegurados”, informou o deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ).

Direitos
Um ciclo de palestras em defesa dos direitos do contribuinte sobre os temas Precatórios, Refis da Crise, Antecipação Tributária e Ação Civil Pública na Esfera Trabalhista será realizado no próximo dia 5, em São Paulo. A promoção é do Instituto de Estudos dos Direitos do Contribuinte (IEDC), em parceria com a Édison Freitas de Siqueira Advogados Associados. O evento começará às 8h, no Centro Fecomércio de Eventos (Dr. Plinio Barreto, 285 – Bela Vista, São Paulo). Mais informações em www.edisonsiqueira.com.br/ciclo_palestras/home.html

No litoral
Reforma tributária, com simplificação do processo, foi o principal pedido feito pelo presidente da Associação Comercial de Santos (ACS), Michael Timm, à pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, que esteve nesta sexta na sede da entidade. Dilma Rousseff se mostrou favorável à reforma tributária e apoiou outro pleito da ACS, a manutenção da Secretaria de Portos. Quanto a um terceiro pedido – implementação de um aeroporto regional – ela não se comprometeu.

É o Brasil, idiota!
Noves fora a forte subjetividade desse tipo de lista, a inclusão do presidente Lula na relação daqueles que a revista Times considera serem os 25 líderes mais influentes do mundo provoca raro momento de divertimento para a plebe em relação a eternamente colonizada elite tupiniquim. Depois de apresentarem os salamaleques protocolares destinados pelos principais beneficiários da política econômica brasileira ao então presidente FH como um reconhecimento aos dotes singulares do ocupante do cargo, ver os mesmos setores manterem e ampliarem as doações dessas miçangas simbólicas e materiais a um ex-metalúrgico é de deixar tucano com dor de cotovelo por dez gerações.

Meu garoto!
O incômodo demonstrado pela elite tupiniquim, reverberado na imprensa que ela sustenta, tem seu corolário no deslumbramento petista com esse tipo de condecoração. Na verdade, independentemente de quem ocupe a chefia do governo, este é, em primeiríssimo lugar, um representante do Brasil, uma das dez maiores economias do mundo. Se a esse peso geopolítico junta-se a submissão aos interesses da banca internacional e a necessidade de marcar posição em relação a líderes mais incômodos, haja condecoração.
     
     

Artigo anteriorOtimismo
Próximo artigoConfisco tamanho família
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

Mortes dos essenciais

Aumentam em mais de 50% óbitos de caixas, frentistas e educadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Eleição no Peru está indefinida. Empate técnico entre 5 candidatos

Primeiro turno será no domingo. segundo turno está previsto para o dia 6 de junho.

Equador: Não haverá contagem rápida no domingo de eleições

Arauz, candidato do ex-presidente Rafael Correa lidera as pesquisas com 37% das intenções de voto contra 30% do candidato do Aliança Creo, o banqueiro Guillermo Lasso.

Indicador econômico global mantém trajetória de recuperação

Segundo FGV, fato reflete avanço das campanhas de vacinação contra a Covid.

Brasil movimentou R$ 2 tri em transações com cartões em 2020

Transações digitais foram impulsionadas por modernização do mercado e pandemia.

IPCA de março variou abaixo da expectativa do mercado

Nossa projeção para o ano que vem permanece de 6,5%, podendo ser antecipada para este ano.