Jovens mais pobres que seus pais

Travestidos de ‘modernidade’, empregos são mais instáveis e pagam menos.

Uma das certezas das gerações nascidas após a metade do século passado é que seus filhos teriam uma vida melhor que a delas. Essa certeza desmoronou a partir da geração do milênio (nascidos entre 1980 e 2000). Apesar de terem mais instrução que seus pais, os mais novos têm menos estabilidade no emprego durante a vida profissional. “As preocupações de que possa ser mais difícil entrar na classe média ou ter economias suficientes para a aposentadoria também estão surgindo nos debates sobre políticas em muitas economias avançadas”, reconhece o texto “As fortunas em declínio dos jovens”, do Fundo Monetário Internacional (FMI).

O número de empregos bem remunerados de nível médio nas profissões de manufatura e de escritório diminuiu substancialmente desde meados da década de 1980 nos Estados Unidos e na Europa. Hoje, as oportunidades de emprego estão mais concentradas em empregos de alta qualificação e alto salário e empregos de baixa qualificação e baixo salário”, atesta o FMI.

Os hiatos de renda entre gerações aumentaram significativamente em muitos países, tendência exacerbada pela crise financeira global. Na Europa, a renda dos jovens caiu após 2007 devido ao desemprego. Desde então, eles se recuperaram, mas não cresceram.

No Reino Unido, no período de 2001 a 2018, trabalhadores sem diploma universitário sofreram o declínio mais drástico nos trabalhos de rotina. Trabalhadores sem formação superior têm propensão 5 a 15 pontos percentuais menor a obterem empregos em trabalhos de rotina do que há duas décadas. As oportunidades com salários médios e habilidades médias continuam a evaporar.

Mas os que têm nível superior também sofreram. Nos últimos anos, tanto os homens quanto as mulheres com alto nível de instrução tornaram-se mais propensos a aceitar empregos de nível médio. “A educação universitária faz menos para garantir um emprego bem remunerado em um trabalho intelectual do que para os pais. A crescente diferença entre os salários dos jovens e os dos idosos desde a crise financeira global, apesar de diminuir mais recentemente, também é motivo de preocupação”, afirmam os pesquisadores do FMI.

O que não está no texto do Fundo, mas aparece em outros estudos, é a correlação entre a decadência da classe média e a ascensão de governos classificados como de direita. Um dos maiores medos de quem não integra o topo da pirâmide é cair para a parcela mais pobre. Uma das receitas dos governantes de partidos tradicionais, rendidos ao neoliberalismo, é o corte nas aposentadorias. O tema uniu trabalhadores de esquerda e conservadores do interior na França.

 

Diferente

Paulo Rabello de Castro, pré-candidato à Prefeitura do Rio de Janeiro, escreveu em artigo recente: “Cada liderança empresarial desta cidade única e extraordinária e cada líder sério que ainda sobrou neste Estado, políticos incluídos, têm a obrigação moral de agir já e com o máximo vigor no interesse coletivo. À população cumpre cobrar, exigir e jamais desistir. Essas mal traçadas linhas fazem coro ao esforço por um Rio 110% diferente do atual.”

 

Atraso

Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) de janeiro de 2020 serão divulgados somente na segunda quinzena de março. Segundo a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, o intervalo maior ocorre por conta da substituição do envio de informações em sistema específico do Caged, que tinha como data limite o dia 7 do mês subsequente, pelo eSocial, com data limite o dia 15 do mês subsequente.

 

Vírus antigo

Há 2 semanas nota aqui publicada desmontou previsões feitas pelos economistas de mercado. Finalizava: sempre se pode culpar o coronavírus. Bancões dos EUA já começaram a fazer isto. A doença que destrói o Brasil é velha, o neoliberavírus, nas versões Levy, Meirelles e Guedes.

 

Rápidas

A Universidade Corporativa do Administrador (UCAdm) lança nova turma para o curso preparatório presencial para o exame da CPA20, com coordenação de Gilvan Bueno. As aulas começam em 9 de março, no Rio. Mais informações: WhatsApp (21) 98450-1900 *** O Carioca Shopping oferece dança de salão gratuita na próxima terça-feira, das 15h às 17h, com o professor Rafael Pires *** Nesta sexta serão divulgados os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Pnad Contínua do IBGE, com dados sobre emprego.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Eve desenvolverá modelo de operação de Mobilidade Aérea Urbana

A Eve Urban Air Mobility, empresa da Embraer, e a Bristow Group Inc. (NYSE: VTOL), líder mundial em soluções de voo vertical, anunciaram, nesta...

China: Ampliar apoio à energia verde agrada banco de investimento

O Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (BAII) declarou que dá as boas-vindas ao anúncio da China de aumentar o apoio à energia verde...

XP: Preços de ativos podem sofrer na atual turbulência de mercado

Um dia depois do aumento de 1 ponto percentual da taxa básica de juros, a Selic (agora em 6,25% ao ano), pelo Comitê de...

Projetos de energias renováveis em substituição ao uso do diesel

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Eletrobras firmaram um Pacto de Energia para atuarem conjuntamente na busca de soluções...

Proposta atualiza regulamentação sobre as cooperativas de crédito

Texto em análise na Câmara dos Deputados promove uma série de modificações na Lei do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), abordando o Projeto...