Junto com Papai Noel

Segundo a assessoria de imprensa do IBGE, a divulgação dos números finais das contas nacionais de 2005 está atrasada devido a um processo de atualização da base de dados. Contudo, o professor da Universidade de Brasília (UnB) Dércio Garcia Munhoz tem outra versão para o fato. “As contas nacionais detalham a evolução das rendas. Talvez por isso optou-se por deixar sua divulgação para depois das eleições.”

Armadilha
Os servidores subordinados aos ministérios da Saúde, Trabalho e Previdência Social não devem assinar o termo de opção que garante o pagamento dos 47,11%, em seis anos (uma dívida do Governo Federal pendente deste a década de 80) e uma gratificação. A orientação é da Fenasps (federação que representa a categoria nacionalmente). A Medida Provisória 301, que institui o acordo e o aumento, possui cláusulas prejudiciais aos servidores, diz a entidade. Para a diretora do Sindsprev/RJ e da Fenasps, Conceição Marques Porto, a MP é um ardil do governo Lula, uma armadilha que condiciona o recebimento dos valores à assinatura de um termo de opção de migração para uma nova carreira, com cláusulas prejudiciais aos trabalhadores.
“Entre os itens lesivos está o artigo 1º, que cria uma nova carreira em vez de reestruturar a já existente, o que pode alterar a contagem do tempo de serviço, trazendo prejuízos para os servidores”, explica Conceição. A MP também não fixa a paridades entre ativos, aposentados e pensionistas.

Nota 1.000
“Tudo perfeito: o sorriso, o olhar para a câmera da TV, a tranquilidade, a resposta rápida, a oferta de sua condição de mãe e mulher, tudo, tudo, tudo.” Derretido em elogios, o prefeito do Rio, Cesar Maia, em seu ex-blog, parabenizou a performance da senadora Heloísa Helena na bancada do Jornal Nacional. “Parabéns senadora. Este ex-blog está orgulhoso de você. A tempo: aquele “meu amor”, para Fátima e Bonner, foi o máximo. Nem Clinton, nem Blair. Vou mais longe: nem Reagan, que foi o mestre de todos.”

Estrago
O mesmo ex-blog destacou algo que igualmente não passou despercebido para essa coluna: os pesquisadores do Data-Folha saíram às ruas nos dias 7 e 8 de agosto, dias em que a população tomava conhecimento da nova onda de ataques do PCC (ou PCCzaço, como diz o prefeito carioca).

Além do telão
Apesar de reconhecer avanços no projeto de lei que reforça os mecanismo de captação para o cinema, o cineasta Geraldo Moraes, diretor do Congresso Brasileiro de Cinema (CBC), destaca a necessidade de providências para o que considera o principal problema do setor: a incapacidade do país de exibir produções nacionais no mercado interno. Em entrevista ao site Correio da Cidadania, Moraes afirma que a criação do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), proposto pelo Projeto de Lei 7.613, atende antiga reivindicação dos produtores, por corrigir a dependência dos recursos oriundo de leis de incentivo fiscal.

A reboque
Segundo ele, esse modelo de financiamento, além de gerar um fluxo de produção “muito irregular”, impede a continuidade da realização de obras, dificulta os produtores se planejarem e gera uma dependência em relação de áreas externas: “Quando você vai fazer um filme e depende exclusivamente de leis de incentivo, a produção anual do cinema é dependente dos lucros de empresas de outras áreas, como petróleo e sistema financeiro. Você fica a reboque destes lucros e da própria decisão destes setores”, salienta.

Formação
Visando a elevar o número de pessoas a conquistarem o primeiro emprego ou melhorar a qualificação dos que já estão empregados, a Legião da Boa Vontade promove diversos cursos de qualificação profissional para jovens, adultos e pessoas da terceira idade. Em Niterói, são oferecidos cursos de teatro, informática básica e avançada, técnica de vendas, operador de telemarketing e agente administrativo. Informações na Alameda São Boaventura, 474 – Fonseca, ou telefone (21) 2625-4278.

Oportunismo
O Ipea fez um belo levantamento do estrago provocado pela década e meia neoliberal no Brasil. Ninguém merece – muito menos os pesquisadores envolvidos – que tentem se aproveitar dos números para fazer propaganda das políticas que levaram o desemprego e o emprego formal a explodirem.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEspontâneo
Próximo artigoE o salário ó!

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

#Occupy Bovespa

Um mês depois de o MST ter-se lançado na Bolsa, MTST ocupa B3, para protestar contra Bolsonaro, especulação, fome e desemprego.

Copom elevou taxa de juros em 1% para 6,25% ao ano

Aguardamos agora a ata que será divulgada na próxima terça-feira para maiores informações sobre a trajetória da taxa Selic.

Alemanha escolhe sucessor de Merkel no próximo domingo

Eleições deverão ser as mais concorridas dos últimos anos; pesquisas indicam vitória do SPD, social-democrata.

Reajuste salarial fica abaixo da inflação em agosto

Fipe: não houve aumento mediano real como resultado de negociações nos últimos 12 meses; desde setembro, índice tem oscilado de -1,4% a zero.

Clima positivo no exterior deve beneficiar índice Bovespa

Mercado internacional opera no positivo motivado por noticiário sobre Evergrande.