Juros fazem mal à saúde

Para esse discurso conservador (do qual o Governo Temer é o porta-voz), o equilíbrio orçamentário e a retomada do crescimento dependeriam de drástica redução dos gastos sociais e da própria função do Estado. Uma estratégia para desvelar a falsidade desta linha argumentativa é expor à opinião pública a real estrutura de uso do orçamento público. Como é de fato gasto o imposto arrecadado? Há sistemática proteção aos gastos com despesas financeiras e predisposição e cortar e cortar na área social. Uma política monetária equivocada e injusta vem impondo custos insuportáveis aos setores públicos e à iniciativa privada que se pretende produtiva. Municípios, estados e a União têm gasto entre 30% a 40% do orçamento para honrar compulsoriamente serviços da dívida. A taxa básica de juros, de 14,25% ao ano, é a principal responsável pelo desequilíbrio fiscal, pela recessão, pela inflação e pelo desemprego. Isto vem sendo sistematicamente ocultado pelos analistas oficiais e pela imprensa.”

A análise é da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), que saiu em defesa do Sistema Único de Saúde e das conquistas sociais, contra a PEC-241, do teto dos gastos, “que pretende impor cortes em todos os setores, mas não se propõe a controlar os gastos orçamentários com juros e com outras despesas financeiras.” Na prática, continua a entidade, a estratégia vem agravando a recessão, a inflação e ampliando o desemprego e a concentração da renda, “além de ameaçar políticas sociais erigidas com grandes dificuldades nas últimas décadas”.

Real forte

O FMI prevê que a economia do Brasil voltará a ser a oitava do mundo em 2017, após ter caído para o nono lugar (ao final do Governo FHC era a 12ª). Mas se trata de um efeito do populismo cambial: com a alta do dólar, o PIB brasileiro voltará a superar o da Itália.

Receita para o fracasso

A dívida do Japão alcançará 250% de seu PIB neste ano; a da Grécia, 183%. A França chegará a 100%, segundo projeções do FMI.

Plantando o futuro

A empresa de logística RG LOG implementa um plano de cuidado ambiental para controlar e compensar a emissão de carbono no transporte brasileiro de cargas. Ela deverá plantar 300 mil árvores em Goiás até 2018. Mais da metade da meta já foi alcançada: a empresa plantou 160 mil seringueiras. A RG LOG é signatária do Programa Brasileiro GHG Protocol.

Corro demais

A decisão do prefeito eleito João Doria de elevar a velocidade nas marginais na semana seguinte à posse não é apenas uma ação midiática contra uma das principais bandeiras do petista Fernando Haddad. É também uma forma de deixar claro que a prioridade será para o topo da elite paulistana, que não pode limitar a 50km/h seus bólidos capazes de superar os 250km/h.

Haddad associa à redução da velocidade máxima a conquista de 315 mortes a menos no trânsito da capital. Se esta alegação é verdadeira ou não, poderá ser comprovado em poucos meses – e espera-se que não seja de forma dramática. Se o número de mortos voltar a subir, o débito deverá se dar na conta de Doria – e não apenas na política.

Rápidas

O Caxias Shopping, do Rio, foi contemplado no Premios Latinoamérica Verde com o quinto lugar na categoria Manejo de Resíduos Sólidos e com a 12º colocação geral no Ranking de los 500 Mejores Proyectos Sociales y Ambientales de América. Foi o único empreendimento em seu setor no Brasil a conquistar a premiação, passando a fazer parte dos 500 melhores projetos ambientais da América Latina *** O IT Forum Expo, promovido pela IT Mídia, nos dias 8 e 9 de novembro, fará parte da SP Tech Week, que terá mais de 200 eventos de inovação acontecendo ao mesmo tempo. Detalhes em https://goo.gl/5UuqGc *** O secretário de Estado da Habitação de São Paulo, Rodrigo Garcia, estará em Campinas nesta quinta, às 10h, para apresentar o Programa de Lotes do Morar Bem, Viver Melhor. Empresas de desenvolvimento urbano terão até 29 de novembro para inscreverem seus lotes, que serão postos à venda para famílias com renda entre um e cinco salários mínimos, com subsídios do governo estadual. Mais informações em www.habitacao.sp.gov.br *** A Wolters Kluwer está realizando uma série de encontros em todo o Brasil para discutir como é possível equalizar custos e ainda manter um alto nível de eficiência e qualidade nos hospitais. A última edição, nesta quinta, será no Rio de Janeiro, no Sheraton Grand Rio *** O Shop4help convida a todos a realizarem suas compras de presentes para o Dia das Crianças no site (www.shop4help.com), garantindo doações para as ONGs que apoiam as crianças em condições de vulnerabilidade *** Estão abertas as inscrições para o Curso de Classificação e Degustação de Café da Associação Comercial de Santos (ACS). As aulas estão previstas para o período de 7 a 24 de novembro. Mais informações pelo telefone (13) 3212-8200 – ramal 220 *** Identificar crenças e emoções autolimitantes que podem sabotar a realização de metas é um dos objetivos do curso de Intervenção Focada em Metas, com a psicóloga Monica Portella. Inscrições: (21) 3596-3889 ou email [email protected]

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Os EUA lavam mais branco

Lavagem de dinheiro através de imóveis tem poucos obstáculos na pátria de Tio Sam.

Apagão já foi tragédia, volta como farsa

Modelo de mercantilização da energia é o culpado.

Volume de reservatórios pode cair a 6% em novembro

Quadro crítico poderá ser alcançado em 2 meses, mesmo com tarifaço.

Últimas Notícias

Reforma do IR trará impacto negativo para o caixa das empresas

O projeto de reforma tributária do Imposto de Renda aprovado na Câmara no início de setembro merece atenção especial do setor produtivo. O alerta...

A paz é o caminho

Por Paulo Alonso.

Setor farmacêutico ganha aliado para agilizar contratações

Farmácias e drogarias passaram a integrar o aplicativo Closeer, responsável por conectar empresas e trabalhadores autônomos. Oportunidades de trabalho no segmento devem crescer até...

Taxa de desemprego entre os mais pobres é de 36%

Queda em renda indica aumento na desigualdade durante a pandemia; jovens já são 42% dos empregos temporários no primeiro semestre.