Juros nos EUA e fim de semana pesam sobre Bolsas globais

Futuros das Bolsas americanas continuaram o movimento de correção do fim da sessão de ontem.

Apesar da decepção com os PMIs, o bom humor dos investidores com o alívio nos temores com a crise da Evergrande na China fez as Bolsas europeias fecharem em alta, com exceção de Londres, que sentiu o tom mais hawkish da decisão do BoE (o Banco Central inglês).

Mesmo a decepção dos pedidos de seguro-desemprego não foi capaz de frear o apetite por risco global, que alimentou a alta das Bolsas americanas, que se beneficiaram do retorno das apostas cíclicas, com os bancos se beneficiando da forte alta nas taxas das treasuries. Alta do petróleo contribuiu para as altas das empresas do setor de energia.

O barril do petróleo Brent fechou em US$ 77,23, alta de +1,81%, alcançando a maior cotação desde 29 de outubro de 2018. Já o WTI subiu 1,48%, cotado a US$ 73,30.

O Ibovespa teve nova alta, engatando a terceira alta consecutiva, o que não ocorria desde julho, se beneficiando do bom humor global e das altas nos preços de várias commodities. Os dados de arrecadação federal, que voltaram a surpreender, contribuíram para o fôlego da alta, em meio à percepção melhor da situação fiscal.

Hoje, no restante da Ásia, as Bolsas fecharam em queda, em meio à indecisão com relação aos títulos offshore da Evergrande, que caiu 12,0% em Hong Kong. No Japão, a Bolsa disparou, em meio ao ajuste do feriado de ontem.

O minério de ferro negociado na Bolsa de Dalian, na China, fechou em alta de +2,5%, negociado em US$ 105,98 na madrugada de hoje. Na semana, a commodity subiu +8,8%.

Na Europa, nova decepção com os dados de setembro, após o IFO vir abaixo das expectativas, fazendo com que as Bolsas operem no negativo, lideradas pelo setor de consumo. Além disso, as eleições na Alemanha contribuem para o clima de cautela.

Nos EUA, os futuros das Bolsas continuaram o movimento de correção do fim da sessão de ontem. A recalibração do cenário de juro dos investidores, após Fomc (dop Fed) e BoE hawkish pesou. Na agenda, destaque para os discursos de Powell e Clarida, presidente e vice do Federal Reserve, às 11h.

No Brasil, o dia deve ser de correção, em meio ao ambiente externo de correção e a divulgação do IPCA-15 às 9h, que deve renovar os temores com o cenário inflacionário. Na agenda, além do IPCA-15, destaque para os números de conta corrente às 9h30.

A comissão especial da Câmara aprovou ontem, por 28 votos a 18, a PEC da reforma administrativa. Ainda é necessário a apreciação de 21 destaques. Após esse processo, a proposta segue para o plenário da Câmara.

Segundo o “Valor Econômico”, para financiar uma ampla desoneração da folha de pagamentos, o Ministério da Economia estuda propor, novamente, a criação de um imposto sobre transações financeiras, com alíquota de 0,1%.

O BC ofertará 15 mil contratos (US$ 750 milhões), na rolagem dos contratos de dezembro, no leilão de swap cambial tradicional, das 11h30 às 11h40. Serão oferecidos contratos para 1º de fevereiro de 2022 e 1º de julho de 2022.

.

Nicolas Borsoi

Economista da Nova Futura Investimentos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Rede estadual de ensino retorna a aulas 100% presenciais

No ano passado, as aulas foram remotas por causa da Covid; na rede municipal da capital, retorno sem rodízio de alunos começou no dia 18.

Investidores monitoram Campos Neto

Mercados externos negociam, em sua maioria, no positivo; na Europa é aguardada a decisão de política monetária do BCE.

Semana começa com estresse pós-traumático

Na sexta, mercados domésticos ficaram por conta da sensação de desmanche da equipe econômica de Paulo Guedes.

Últimas Notícias

Rede estadual de ensino retorna a aulas 100% presenciais

No ano passado, as aulas foram remotas por causa da Covid; na rede municipal da capital, retorno sem rodízio de alunos começou no dia 18.

Manguinhos e Ambev lideram dívidas ao Fisco estadual

Estudo da Fenafisco aponta que os maiores devedores também recebem isenções fiscais em suas áreas de atuação.

Investidores monitoram Campos Neto

Mercados externos negociam, em sua maioria, no positivo; na Europa é aguardada a decisão de política monetária do BCE.

Semana começa com estresse pós-traumático

Na sexta, mercados domésticos ficaram por conta da sensação de desmanche da equipe econômica de Paulo Guedes.

Reforma da Previdência desestimulou contribuição

Por Isabela Brisola.