Juros sobem 1 ponto e caminham para 8% em 2021

Comunicado do Copom indica aumento igual na reunião de outubro.

Como esperado pelo mercado financeiro, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central elevou a taxa Selic – juros básicos da economia – em 1 ponto percentual (p.p.), para 6,25% ao ano. É o nível mais alto desde julho de 2019, quando estava em 6,5%. Esse foi o quinto reajuste consecutivo.

Em comunicado, o BC informou que deverá elevar novamente a Selic em um ponto percentual na próxima reunião, no fim de outubro. “O Copom considera que, no atual estágio do ciclo de elevação de juros, esse ritmo de ajuste [1 p.p.] é o mais adequado para garantir a convergência da inflação para a meta no horizonte relevante e, simultaneamente, permitir que o Comitê obtenha mais informações sobre o estado da economia e o grau de persistência dos choques”, destacou o texto.

O comunicado do Banco Central vai ao encontro da previsão feita ao Monitor Mercantil pelo economista-chefe do Banco Alfa, Luis Otavio Leal, na terça-feira. “Para a reunião de outubro, a expectativa é de uma nova alta de 1 p.p., o que levaria a Selic para 7,25%. Já para dezembro projetamos uma desaceleração do ritmo para 0,75 p.p., com a Selic fechando 2021 em 8%.”

Leia também:

Três perguntas: a reunião do Copom desta semana e a Selic

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Vendas do Tesouro Direto superam resgates em R$ 1,238 bi em setembro

As vendas de títulos do Tesouro Direto superaram os resgates em R$ 1,238 bilhão em setembro deste ano. De acordo com os dados do...

81% dos brasileiros têm contas em mais de uma instituição financeira

Oito em cada dez brasileiros têm conta em mais de uma instituição financeira, ou seja, controla suas finanças de força desagregada. É o que...

Últimas Notícias

Investidores monitoram Campos Neto

Mercados externos negociam, em sua maioria, no positivo; na Europa é aguardada a decisão de política monetária do BCE.

Semana começa com estresse pós-traumático

Na sexta, mercados domésticos ficaram por conta da sensação de desmanche da equipe econômica de Paulo Guedes.

Reforma da Previdência desestimulou contribuição

Por Isabela Brisola.

Guedes fica mesmo avaliado com nota baixa

Apesar de abrir a possibilidade de aumentar a crise econômica e do desrespeito ao teto de gastos ou outras regras fiscais para bancar medidas...

Ex-ministro de Temer substituirá Funchal

O ex-ministro do Planejamento Esteves Colnago assumirá o comando da Secretaria Especial de Tesouro e Orçamento da pasta. A nomeação foi confirmada nesta sexta-feira...