Jurômetro

O presidente do Ipea, Marcio Pochmann, considera que o país se organizou para cumprir metas de inflação, lei de responsabilidade fiscal, mas não tem indicadores sociais condizentes. “A economia virou tema de debate, mas a área social é terra de ninguém”, observou, defendendo, por exemplo, a construção de um indicador para medir o impacto da política de juros.

Bons de marketing
As notícias “vazadas” para a imprensa de que o Brasil vai escolher a França como principal parceira militar para as próximas décadas provocaram o seguinte comentário de um especialista em Defesa: “Quem é do ramo sabe que os franceses (e os russos também) não querem repassar tecnologia nenhuma. Só querem vender bagulhos para os sul-americanos otários. O sofisticado marketing dos franceses (os russos são péssimos marqueteiros) só impressiona os políticos leigos no assunto. Essas matérias sensacionalistas na grande imprensa, que praticamente dão negócios bilionários como fechados, são “balões de ensaio”, possivelmente plantados pelas assessorias de lobby dos fabricantes estrangeiros.”
O especialista acrescenta: “Provavelmente será mais um protocolo de intenções. Dinheiro, que é bom, dificilmente sairá.”

Independência ou morte?
Segundo uma dessas notícias, publicada por uma revista semanal, no 7 de Setembro, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, entregará ao presidente Lula o Plano Estratégico de Defesa Nacional. Da França, virão equipamentos como submarinos convencionais, helicópteros e caças supersônicos. O presidente francês, Nicolas Sarkozy, teria “ganho a disputa” ao garantir ao Lula que a França não criará qualquer obstáculo à transferência de tecnologia para o Brasil.

Prêmio
Um evento no Club Med Itaparica, este mês, é o primeiro trabalho que a Duo Turismo faz para a multinacional canadense Walter Tecnologias. Especializada em turismo de incentivo e viagens corporativas, a Duo tem entre seus clientes a Henkel, que comercializa os produtos Pritt, Tenaz, Durepoxi, entre outros. Para a Henkel, será organizado um evento durante o Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1, em 2 de novembro, em São Paulo.

Independente
A deflação captada pelo IGP-M comprova – se necessário for – que a alta dos juros perpetrada pelo Banco Central pouco ou nada teve a ver com o temor de alta da inflação. A queda nos preços foi puxada pelos alimentos, cuja cotação caiu no mercado internacional. Acertou quem apostou que a elevação dos juros serviu para inflar o ganho dos bancos, especialmente após o fraco crescimento – percentual – dos lucros no primeiro semestre.

ISS
Os cartórios terão de pagar Imposto sobre Serviços (ISS) aos municípios. Decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) julgou improcedente ação movida pela Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg), a favor da isenção do tributo. Segundo Walter Penninck Caetano, diretor da Consultoria em Administração Municipal (Conam), as prefeituras podem solicitar o valor do imposto dos últimos cinco anos. Há dúvidas sobre em cima de quem vai cair o pagamento?

Paraíso estrangeiro
A FedEx Express anunciou o lançamento de um serviço doméstico de entrega “dia útil seguinte” no México. É o primeiro serviço de entrega doméstica da multinacional norte-americana oferecido na América Latina. E uma amostra do que ocorreria no Brasil se os serviços dos Correios forem “flexibilizados”.

Futuro
Poucas vezes uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) terá caráter tão estratégico como a que deliberará sobre o futuro da Reserva Raposa Serra do Sol, em Roraima. Por isso, que o STF aproveite o adiamento do julgamento proporcionado pelo pedido de vistas do ministro Carlos Alberto Direito para observar os acontecimentos que, de Kosovo à Geórgia, em apenas oito meses, dão boas pistas de como questões aparentemente fora da pauta podem, graças a “empurrões” externos, se tornarem fatos consumados.

Artigo anteriorCardápio
Próximo artigoE os candidatos?
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Cortes poupam petroleiras e ‘bolsa refrigerante’

Para liberar auxílio emergencial, governo prejudica setores essenciais.

Inflação e PIB expõem falácia do Teto dos Gastos

‘Faz sentido?’, pergunta Paulo Rabello. ‘Claro que não’.

Mirem-se nos exemplos da Shell e da Exxon

Petrobras é fundamental para o desenvolvimento brasileiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Investimento chinês em pesquisa aumentará 7% ao ano até 2025

País divulga 14º Plano Quinquenal; desde 1953, PIB cresceu 1.232 vezes.

FMI: orçamento deve atender direitos das mulheres

No Egito, por exemplo, houve mais recursos para serviços públicos de creche.

Planos registram maior número de beneficiários desde dezembro de 2016

Dados de janeiro foram divulgados hoje pela ANS e confirmam tendência de crescimento no país.

MP-RJ pede júri popular para Flordelis e mais oito réus

Deputada é acusada de mandar matar o marido; 11 réus respondem ao processo, mas o MP pediu para não se pronunciar sobre dois deles.

Payroll de fevereiro surpreendeu positivamente as expectativas

Soma-se às surpresas a revisão no número anterior de 49k para 166k e, principalmente, a criação de vagas no setor privado em 465k.