Kyoto amanhã

Entra em vigor amanhã, ratificado por 136 países até agora, o Protocolo de Kyoto, determinando que 36 países industrializados reduzam em 5,2% as emissões de gases-estufa entre 2008 e 2012, tendo como base o nível de emissões registradas em 1990.  O protocolo vai regular também o comércio internacional de carbono e o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), encorajando investimentos em países menos desenvolvidos que promovam o desenvolvimento sustentável. Ou, na prática, estimulando os menos desenvolvidos a poluírem menos para compensar a poluição maior dos mais desensevolvidos. A cerimônia de lançamento do protocolo, às 20h30 (horário de Brasília), poderá ser acompanhada pelo site: www.kyoto-protocol.jp/

Dólar rural
A manutenção dos bons resultados da balança comercial do agronegócio passa pela cotação do dólar entre R$ 3 e R$ 3,20, reforça análise da Sociedade Rural Brasileira (SRB). A entidade admite que “os bons preços agrícolas dos últimos anos ajudaram o agricultor a absorver os custos de produção” – e obter belos lucros. Porém, alerta a SRB, com a rentabilidade em baixa, o dólar fraco afeta significativamente a competitividade do setor. “Por conta desta conjuntura negativa, os produtores já dão sinais de que vão restringir investimentos em máquinas e áreas de plantio”, diz o presidente da sociedade, João de Almeida Sampaio Filho. E volta a cartaz o velho filme: com o recuo da renda agrícola,  dívidas do setor “certamente terão que ser renegociadas”.

Altas e baixas
O cenário é preocupante para soja, milho, arroz e fibras, como o algodão. O alento fica para os segmentos de açúcar, álcool, café e carnes, com previsão de bons preços. Com base nesta avaliação a SRB estima que haverá um ligeiro crescimento do PIB da agropecuária neste ano.

Isonomia “ma non tropo”
A Federação das Indústrias do Rio (Firjan) divulgou nota para esclarecer os comentários de seu presidente, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, em convescote neoliberal realizado na sede da entidade. Segundo a nota, a federação: não é favorável à aprovação da MP 232/04, na forma encaminhada ao Congresso Nacional; é favorável à adoção das medidas cobertas pela MP que tenham como objetivo a isonomia fiscal e que venham a corrigir distorções no atual sistema tributário; e entende ser fundamental a adoção de medidas que reduzam os gastos correntes, criando um ambiente fiscal propício à efetiva redução da carga tributária.

Ibope
Domingo, durante o intervalo do jogo Botafogo x Americano, no Maracanã, a governadora do Rio, Rosinha Garotino (PMDB), e seu marido Anthony Garotinho foram saudados com um festival de palavrões, puxados por torcidas organizadas e repetidos por boa parte da multidão perto do camarote ocupado pelo casal. No entanto, quando o mesmo grupo puxou palavras de ordem pró-Cesar Maia o coro da multidão foi menos afinado e ouviram-se manifestação de protesto pela manifestação de peleguismo organizado.

Lixo
A indústria de reciclagem de garrafas PET consegue recuperar cerca de 43% das embalagens que são produzidas. A maior parte continua indo para o lixo, provocando uma situação curiosa: como a indústria recicladora cresce a uma taxa maior do que a produção de garrafas, há falta de material no mercado. As embalagens são transformas em produtos como cordas, vassouras, torneiras, peças injetadas, chapas para sinalização, além de frascos para produtos de limpeza e fibra de poliéster. A indústria cobra empenho do poder público para fazer a parte que lhe cabe: coleta seletiva.

“Replay”
Da série Velhinha de Taubaté: você conhece alguém, além do Banco Central, que acredita que o real vale quase tanto quanto o dólar? Corrigido pela inflação do período gustavofranquista até hoje, o câmbio voltou à época em que FH  bradava no sertão da Bahia que “o real vale mais do que o dólar”.

Artigo anteriorCom o chapéu alheio
Próximo artigoPresidente irregular
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Cortes poupam petroleiras e ‘bolsa refrigerante’

Para liberar auxílio emergencial, governo prejudica setores essenciais.

Inflação e PIB expõem falácia do Teto dos Gastos

‘Faz sentido?’, pergunta Paulo Rabello. ‘Claro que não’.

Mirem-se nos exemplos da Shell e da Exxon

Petrobras é fundamental para o desenvolvimento brasileiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Investimento chinês em pesquisa aumentará 7% ao ano até 2025

País divulga 14º Plano Quinquenal; desde 1953, PIB cresceu 1.232 vezes.

FMI: orçamento deve atender direitos das mulheres

No Egito, por exemplo, houve mais recursos para serviços públicos de creche.

Planos registram maior número de beneficiários desde dezembro de 2016

Dados de janeiro foram divulgados hoje pela ANS e confirmam tendência de crescimento no país.

MP-RJ pede júri popular para Flordelis e mais oito réus

Deputada é acusada de mandar matar o marido; 11 réus respondem ao processo, mas o MP pediu para não se pronunciar sobre dois deles.

Payroll de fevereiro surpreendeu positivamente as expectativas

Soma-se às surpresas a revisão no número anterior de 49k para 166k e, principalmente, a criação de vagas no setor privado em 465k.