Laboratórios aproveitam para elevar lucros com a pandemia da Covid-19

Médicos Sem Fronteiras combate criação de patentes sobre remédios contra coronavírus.

Internacional / 22:29 - 30 de mar de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A fabricante de testes de diagnóstico norte-americana Cepheid. acaba de receber autorização do FDA, órgão que regula os medicamentos nos EUA, para um teste rápido de Covid-19, que fornece resultados em apenas 45 minutos, usando máquinas de teste existentes que foram rotineiramente usadas para tuberculose, HIV e outras doenças.

A Cepheid cobrará US$ 19,80 por teste nos países em desenvolvimento. Pesquisa do Médicos Sem Fronteiras (MSF) mostra que o custo dos produtos é de US$ 3, e cada teste poderia ser vendido com lucro por US$ 5. É o que a organização humanitária denuncia como “lucro pandêmico”.

Médicos Sem Fronteiras (MSF) pediu neste fim de semana que não sejam dadas patentes e que não se faça especulação sobre medicamentos, testes ou vacinas desenvolvidos para combater a pandemia de Covid-19, causada pelo coronavírus.

Canadá, Chile, Equador e Alemanha já tomaram medidas para facilitar a substituição de patentes emitindo “licenças obrigatórias” para medicamentos, vacinas e outras ferramentas médicas para a Covid-19. Da mesma forma, o Governo de Israel emitiu uma licença compulsória para patentes de um medicamento que estavam investigando para o uso contra a doença.

Após críticas intensas, a corporação farmacêutica Gilead acabou de renunciar a uma designação especial da FDA que permitiria um controle monopolista sobre seu potencial candidato ao tratamento da Covid-19, o remdesivir. No entanto, a Gilead ainda não se comprometeu a não aplicar suas patentes globalmente.

No Brasil, mesmo com a crise do coronavírus, o preço dos medicamentos aumentará a partir de 1º de abril. Segundo a Câmara de Regulação de Medicamentos (CMED), serão adiados os reajustes de preço dos medicamentos e itens ligados ao tratamento da Covid-19. O reajuste médio nos demais medicamentos para 2020 será de 4,08%.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor