Leilão extra do BC de swap cambial deve reduzir pressão dólar/real

Petróleo amplia ganhos em meio a cenário positivo nas principais Bolsas ao redor do mundo.

O mercado amanhece nesta quinta-feira de olho na agenda, com pesquisa de serviços em agosto no Brasil, evento com Bruno Serra, diretor do Banco Central, e leilão extra de swap cambial feito pelo Banco Central. Também deve repercutir a conclusão da votação realizada ontem na Câmara sobre o projeto que altera o ICMS sobre combustíveis. A injeção de US$ 1 bilhão no mercado, por meio do leilão extra de swap cambial, cujo anúncio derrubou o dólar no pregão de ontem, fechando em baixa de R$ 5,5091, tende a dar continuidade no alívio do câmbio frente ao real. Nos juros, as expectativas em relação ao aumento de 100 pontos-base na Selic de outubro não devem ser alteradas por conta da redução esperada do volume de serviços em agosto. Além disso, espera-se pressão de alta devido ao leilão de títulos do tesouro. O contrato futuro de índice Bovespa com vencimento para dezembro de 2021 era negociado em alta de 0,56% às 9h09 desta manhã, enquanto o dólar comercial operava em baixa de 0,52% neste mesmo horário.

No cenário internacional temos os índices futuros de Nova Iorque e a maioria das Bolsas europeias negociando em alta nesta manhã, com investidores aguardando os dados de inflação e do mercado de trabalho dos EUA a serem divulgados, além da temporada de balanços corporativos e comentários de dirigentes do Federal Reserve. Às 7h23, no mercado futuro, o Dow Jones subia 0,58%, o S&P 500 avançava 0,49% e o Nasdaq se valorizava 0,64%. A Bolsa de Londres subia 0,66%, a de Paris avançava 0,64% e a de Frankfurt se valorizava 0,75%. O euro era cotado a US$ 1,1608, de US$ 1,1597 no fim da tarde de ontem, e a libra a US$ 1,3724, de US$ 1,3566. O juro da T-note de 10 anos caía a 1,534%, de 1,541%. Na Ásia o cenário também é positivo, com as principais Bolsas fechando em alta nesta quinta-feira, porém os dados recordes de inflação ao produtor (PPI) da China pesou nos negócios em Xangai. O Nikkei subiu 1,46% em Tóquio, enquanto o sul-coreano Kospi avançou 1,50% em Seul. Em Hong Kong, não houve negócios hoje devido a um feriado. Já na China continental, o Xangai Composto caiu 0,10%, após o PPI da China. Na Oceania, a Bolsa australiana interrompeu uma sequência de três dias de perdas e o S&P/ASX 200 avançou 0,54% em Sydney. Às 7h22, o dólar subia para 113,33 ienes, de 113,26 ienes no fim da tarde de ontem. Em relação ao Petróleo, os contratos futuros da commodity continuam sendo negociados em alta, motivados também pela elevação das previsões de avanço na demanda global deste ano e do próximo pela Agência Internacional de Energia (AIE). Às 7h22, o barril do petróleo WTI para novembro subia 1,07% na Nymex, a US$ 81,30, enquanto o do Brent para dezembro avançava 1,18% na ICE, a US$ 84,16.

.

Yuri Pasini

Trader Mesa Câmbio do Travelex Bank

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

BC realiza leilão de swap cambial pelo terceiro dia seguido

Futuros de Nova Iorque, Europa e Ásia sobem nesta manhã, com alta do petróleo e queda no índice DXY.

Mercados globais sobem em dia de agenda cheia nos EUA

Bolsas em Nova Iorque também operavam em alta acompanhando a valorização de commodities, como minério de ferro e petróleo.

Últimas Notícias

Crédito consignado: aumenta número de reclamações de cobrança indevida

O crédito consignado não solicitado por clientes está no topo das reclamações de consumidores. Em relação aos registros, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon),...

Geração de energia solar traz R$ 35,6 bi de investimentos ao país

Potência nos telhados e terrenos com sistemas fotovoltaicos equivale a metade da capacidade de Itaipu.

Direito de controle sobre funcionários que trabalham de casa

Por Leonardo Jubilut.

Rio Indústria apoia lei que desburocratiza e facilita novos negócios

Em audiência pública realizada nesta quinta-feira (14), na Câmara Municipal do Rio, sobre o Projeto de Lei Complementar nº 43/2021 que regulamenta a Declaração...