Leilão de energia de curto prazo negocia R$ 402 mil

O quinto leilão de energia de curto prazo realizado nesta terça-feira movimentou R$ 402,913 mil ao fechar 50 contratos em sete negociações. O leilão foi realizado pela Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) e Associação Brasileira dos Agentes Comercializadores de Energia Elétrica (Abraceel), na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro.
Dos leilões promovidos pela BM&F e Abraceel desde setembro último, este foi o que registrou o menor volume comercializado. Foram negociados 50 lotes de 0,5 MW médios, totalizando 25 MW médios. A maior parte das transações ficou concentrada no submercado Sudeste/Centro-Oeste, com o fechamento de 46 contratos, ao preço médio de R$ 21,73, por MWh. O submercado gerou R$ 371.814,00 em seis negócios.
Para a região Nordeste, foram firmados apenas quatro contratos em uma negociação pelo preço de abertura R$ 20,90, por MWh, totalizando R$ 31.099,00. Os submercados Norte e Sul não registraram negócios.
Os leilões de energia de curto prazo são realizados mensalmente na Bolsa do Rio e o próximo está marcado para o dia 31 de dezembro. O contrato firmado entre Abraceel e BM&F tem duração de cinco anos.

Artigo anteriorBordão
Próximo artigoConfissão coletiva?
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Capitalismo na origem da pandemia

Agronegócio e destruição do habitat estão nas raízes de 70% das novas doenças infecciosas.

Bitcoin leva 2 pancadas de uma vez

Pagamento de resgate a hackers e declaração de Musk mostram ‘lado negro da força’.

Taxação sobre heranças reflete desigualdade

Apenas 0,5% da receita vem de impostos sobre bens deixados ou doados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Hospitais temem onda de multas por não se adequar à LGPD

Estabelecimentos de pequeno e médio porte alegam não ter recursos para cumprir a lei.

Prisão de Pazuello na CPI é improvável, afirma jurista

Liminar concedida por Lewandowski será submetida à apreciação da Corte.

Turismo caiu 17,6% em março

No primeiro mês pandêmico no Brasil, março de 2020, setor viu receitas caírem 22,3%; ante mesmo mês de 2019, retração é de mais de um terço.

Custo de produção de suínos passa dos R$ 7 por quilo vivo

Em abril, os custos para produzir suínos aumentaram 2,33% ante março, fazendo indicador do setor medir a variação nos custos de produção.

Europa opera em comportamento negativo nesta manhã

A Bolsa de Frankfurt cedia 0,80% e Londres operava em queda de 0,66%.