Letra de Crédito do Novo PAC atrairia fundos de pensão

Proposta de emissão da LCP por bancos públicos daria segurança a investimento, propõe presidente do Sinprev

549
Lula fala sobre o Novo PAC
Lula fala sobre o Novo PAC (foto de Ricardo Stuckert, PR)

Os fundos de pensão poderão financiar o Novo PAC. Esta é a opinião de Robledo Pinto Coimbra, presidente do Sindicato Nacional dos Participantes dos Fundos de Pensão (Sinprev). Mas para que este financiamento se torne viável, é preciso segurança de retorno de investimentos das reservas.

Para que isso ocorra, Robledo propõe a criação de uma Letra de Crédito do Novo PAC (LCP). “Os fundos de pensão poderão ser atraídos para investir no Novo PAC desde que exista está segurança emitidas pelos bancos públicos”, explica.

A Letra de Crédito do Novo PAC seria um título de renda fixa que traria segurança para os investidores, sejam eles nacionais, internacionais, recursos privados em geral, “podendo inclusive, atrair investimentos da previdência privada como um todo e não só os fundos de pensão”, avalia o presidente do Sinprev.

No passado, os fundos de pensão já foram levados a prejuízos bilionários. Para Robledo, isso aconteceu porque não existia experiência de riscos reais, e a segurança ficou comprometida. “Por isso estamos propondo um instrumento de controle mais apropriado, e os bancos têm ótimas estruturas de análises de risco, aprovação de cronograma físico-financeiro das obras, estrutura de compliance regulada pelo Conselho Monetário Nacional, Banco Central e estão adstritos também a normas internacionais de conformidade como o acordo de Basileia. A LCP deverá ser emitida pelos bancos públicos, oferendo garantias para os investidores e maior controle para o Governo Federal”, afirma.

Espaço Publicitáriocnseg

Robledo acredita que a LCP seria de interesse do Governo Federal, pois não deseja que os fundos de pensão e seus participantes tenham prejuízos, “afinal, qualquer prejuízo impacta também nas estatais federais”.

Leia também:

Novo PAC terá investimentos de R$ 1 trilhão em 4 anos | Monitor Mercantil

A mídia e as fake news

O Governo Federal cortou a verba de publicidade da Jovem Pan. Segundo o ministro Paulo Pimenta, isso se deveu à propagação de fake news pela emissora paulista. O ministro da Secretaria de Comunicação Social alega que essa ação está alinhada com os entendimentos do Tribunal de Contas da União (TCU), embora o órgão não tenha mencionado especificamente a emissora.

Se esse é o motivo de cortar verbas da publicidade oficial, então deveriam tirar anúncios de Globo, Estadão, Folha e outras mídias pelas fake news contra a Petrobras.

Rápidas

O IX Colóquio da Comissão de Direito Constitucional do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) terá como tema “Os 60 anos do golpe civil-militar de 1964: Ditadura nunca mais”, nesta segunda-feira, às 11h. O webinário terá transmissão pelo canal TVIAB no YouTube *** O Conselho de Administração da Amcham está sob a nova liderança: Marcelo Marangon, presidente do Citi Brasil *** Dia 21, a startup Vurdere lançará o ebook gratuito intitulado Redefinindo Horizontes: A jornada transformadora no Varejo Online, disponível aqui *** O GSP – Grupo Soares Pereira realizará um uma roda de conversas sobre “Empoderamento e Inovação – Mulheres redefinindo o futuro”, na quinta-feira (21), a partir das 13h30, em São Conrado (RJ). O tema empreendedorismo feminino será mediado por Célia Domingues, e o sobre saúde mental terá mediação de Cássia Burrato, fundadora da Burrato Consultórios *** Dia 21 também será realizado, em Brasília no Hotel Cullinan Hplus Premium, a oficina “ACI – Linha de Crédito Internacional”, com Luciano Bravo. O evento é da Rede Nacional de Contabilidade.

1 COMENTÁRIO

  1. Espero não ser roubado novamente no meu fundo de pensão, pois, sou da FUNCEF, que foi surrupiada em mais de 21 bilhões de reais. Gato escaldado tem medo de água fria. Em se tratando de desgoverno do pt, eu, NUNCA TENHO ESPERANÇAS DE ALGO SEJA BOM, afinal , estou PAGANDO PELO BUTIM PRODUZIDO PELO MESMO PT , QUANDO DA DESCOBERTA DE FALCATRUAS E DESVIOS COM O DINHEIRO ALHEIO. Pagarei como culpado que não sou, o butim que o pt produziu, e, o pagamento começou em MAIO DE 2016 E IRÁ ATÉ SETEMBRO DE 2036. Durmam com um barulho e um prejuízo desses!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui