Leva um, paga três

A aprovação da modernização trabalhista começa a apresentar seus primeiros resultados na geração de empregos e crescimento econômico do país.” Não, não é piada. É assim que começa nota divulgada pelo Ministério do Trabalho a respeito do anúncio feito nesta quinta pela GM de um investimento de R$ 1,4 bilhão para modernização da planta de Gravataí (RS). Já seria censurável um ministério que se pretende do Trabalho comemorar a atração de uma multinacional às custas da redução dos direitos dos trabalhadores brasileiros. Mas esta conta pode ser retirada do débito da reforma. As negociações entre a GM e o governo gaúcho ocorrem reservadamente há aproximadamente dois anos. A Assembleia do Rio Grande do Sul aprovou um projeto prevendo a concessão de créditos presumidos a investimentos de setores automotivos ou de implementos rodoviários. O anúncio da montadora norte-americana já era, portanto, esperado; a mudança na CLT poderá, portanto, apenas elevar os ganhos da companhia.

Problema mais sério, entretanto, é a concessão de incentivos fiscais, prática sempre atribuída à guerra entre os estados para atração de investimentos. Ganham as empresas, perde o poder público. Não se discute a movimentação na economia, mas sim o custo. Há dois anos, o governo gaúcho tem antecipando créditos fiscais (com deságio, claro) concedidos à GM e que seriam pagos ao longo de 20 anos. Em 2016, foram antecipados R$ 300 milhões. Quando a montadora iniciou sua fábrica em Gravataí, em 1997, a promessa era de gerar 100 mil empregos; o número real é cerca da metade. Na época, a assessoria econômica do PT na Assembleia Legislativa estima que, em 15 anos, o estado abriria mão de arrecadar cerca de R$ 1,7 bilhão. Ou seja, quase três vezes o valor do projeto, o que levou o então deputado estadual Flávio Koutzii a resumir a matemática em uma frase impactante: “É como dar duas fábricas de graça em troca de uma”.

 

Que é isso, companheiro?

A cretinice parlamentar por parte da liderança da bancada do neoPT na votação de ontem (quarta-feira) é um dos fatores elucidativos da fraca mobilização de rua no dito 'Fora, Temer'”, dispara outro Temer, o Milton, ex-PT e atualmente no Psol.

Ele explica que havia uma tática assumida coletivamente pelos partidos de oposição, ao que se opunha o deputado Carlos Zarattini, atual líder do PT. O objetivo era mostrar a fraqueza da política de compra de votos e tornar o mais fragilizada possível a maioria do Planalto. Simbolicamente, isso se traduzia em impedir que o relatório fosse lido e aprovado no dia anunciado por Rodrigo Maia.

Temer, o Milton, acusar Zarattini de garantir o quorum, “na linha preconizada pelo estafe de Lula, que joga no objetivo claro de preservar o líder”. Teoricamente, a manutenção de Temer, o Michel, sem ser investigado favoreceria, por isonomia, a preservação de Lula com condições de concorrer em 2018.

A vitória política poderia ser acachapante em favor do 'Fora, Temer', com a obrigatoriedade do adiamento da votação para hoje (quinta). Mas não, bizarramente, por conta de alguns votos virulentamente anti Planalto, mas na verdade garantidores do quorum que quase permitiu o arquivamento desejado pela direita ainda no início da tarde. Foi o lado mais triste da pantomima, e que explica a não existência de uma só bandeira da CUT ou do partido nas portas do Congresso, como normalmente teria que ocorrer”, finaliza Milton Temer.

 

Rápidas

A situação econômica do país e seu reflexo dentro da normalização será discutido na próxima reunião do Conselho Deliberativo da ABNT, 8 de agosto, na sede da entidade no Rio de Janeiro. Também em pauta, alterações no estatuto da entidade, incluindo o item “compliance” *** Bares e restaurantes de Santa Teresa, Lido e Botafogo chancelados pela Associação dos Produtores de Cachaça do Rio (Apacerj) como Embaixadas da Cachaça participam do Rio Gastronomia, que começa nesta sexta *** O Instituto Baccarelli leva a Orquestra Sinfônica Heliópolis este domingo ao Theatro Municipal de São Paulo, às 12h, com preços populares (R$ 10 e R$ 5) *** O Passeio Shopping, no bairro de Campo Grande (RJ), para celebrar o Dia dos Pais, receberá, nos dias 7 e 14, barbeiros profissionais que farão uma apresentação dos cortes de cabelo, dos tradicionais aos que estão na moda. Aluns clientes ganharão um corte na hora *** A Facha está com inscrições abertas para o Vestibular Social 2017. Serão distribuídas 50 bolsas de estudo de até 100%. A prova acontece 10 de agosto, no campus Botafogo. Inscrições: www.facha.edu.br/vestibular-social

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Cortes poupam petroleiras e ‘bolsa refrigerante’

Para liberar auxílio emergencial, governo prejudica setores essenciais.

Inflação e PIB expõem falácia do Teto dos Gastos

‘Faz sentido?’, pergunta Paulo Rabello. ‘Claro que não’.

Mirem-se nos exemplos da Shell e da Exxon

Petrobras é fundamental para o desenvolvimento brasileiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Investimento chinês em pesquisa aumentará 7% ao ano até 2025

País divulga 14º Plano Quinquenal; desde 1953, PIB cresceu 1.232 vezes.

FMI: orçamento deve atender direitos das mulheres

No Egito, por exemplo, houve mais recursos para serviços públicos de creche.

Planos registram maior número de beneficiários desde dezembro de 2016

Dados de janeiro foram divulgados hoje pela ANS e confirmam tendência de crescimento no país.

MP-RJ pede júri popular para Flordelis e mais oito réus

Deputada é acusada de mandar matar o marido; 11 réus respondem ao processo, mas o MP pediu para não se pronunciar sobre dois deles.

Payroll de fevereiro surpreendeu positivamente as expectativas

Soma-se às surpresas a revisão no número anterior de 49k para 166k e, principalmente, a criação de vagas no setor privado em 465k.