25 C
Rio de Janeiro
quarta-feira, janeiro 20, 2021

Líderes da Câmara são interpelados sobre PL que remunera bancos

O presidente da Câmara dos Deputados e lideranças partidárias receberam dia 1º a interpelação extrajudicial que alerta sobre os imensos danos embutidos no Projeto de Lei 3.877/2020, que visa legalizar a remuneração da sobra de caixa dos bancos pelo Banco Central com recursos públicos mediante a figura dos Depósitos Voluntários Remunerados, e ainda deixa sem qualquer limite tal remuneração.

A iniciativa, da Auditoria Cidadã da Dívida (ACD), tem como objetivo alertar parlamentares sobre o risco de votar tal projeto, tendo em vista os custos que a proposta pode gerar para os cofres públicos e para toda a economia do país se entrar em vigor, e visa evitar a aprovação do texto. Em meio à crise sanitária da pandemia do coronavírus, o PL 3877/2020 foi aprovado no Senado e agora está em tramitação na Câmara.

De autoria do senador Rogério Carvalho (PT-SE), “o projeto faz com que os bancos recebam dos cofres públicos, diariamente, juros ilimitados, sem controle, sem justificativa econômica clara e sem indicação de qual será a origem dos recursos gastos com essa remuneração que sequer está estimada no projeto”, acusa a entidade.

Aprovado no Senado na forma de um substitutivo pela relatora da matéria, a senadora Kátia Abreu (PP-TO), o PL 3877/2020 não é acompanhado da devida estimativa de impacto orçamentário e, portanto, além de descumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal (Art. 17) e a Constituição (Art. 113 do ADCT) não contribui para o debate público acerca da destinação das verbas da União para instituições financeiras, salienta a ACD.

O texto segue uma tendência, representada também pelos projetos de lei complementar 19 e 112 elaborados no ano passado (PLP 19/2019 e PLP 112/2019, que também são alvo da interpelação), que força a desregulação das operações financeiras, impõe a autonomia do Banco Central e compromete o orçamento federal.

“Esse procedimento de remunerar a sobra de caixa dos bancos já vem sendo feito por meio das chamadas ‘operações compromissadas’, que absorveram R$ 1 trilhão de recursos públicos nos últimos 10 anos e têm impedido a queda dos juros abusivos praticados no Brasil”, denuncia a entidade.

“O PL 3.877/2020 tornaria isso legal e permitiria que o rombo nos cofres públicos fosse ainda maior. Na economia familiar, o projeto impede taxas de juros mais acessíveis que facilitariam a realização do sonho da casa própria e aqueceriam o comércio local. A dificuldade de acesso a crédito em condições facilitadas também impede que pequenos e médios negócios prosperem e criem empregos, o que limita o crescimento do país”, complementa a Auditoria Cidadã.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Artigos Relacionados

Confiança do empresário do comércio cai 2,2% em janeiro

O único a apresentar resultado positivo (1%) foi o índice que mede as intenções de investimento. Com isso, alcançou 94,9 pontos, voltando a crescer após ligeiro recuo em dezembro. Um outro destaque também foi a intenção de contratação de pessoal. Esse índice teve alta de 2,1% e fechou o mês com 121 pontos.

Itens mais procurados têm relação com o lar, home office e transporte

O levantamento da OLX também identificou maior interesse do consumidor na compra de motos e carros

Fábrica fechada pela Petrobras poderia suprir demanda por oxigênio

Pequena modificação levaria planta de fertilizantes a produzir o gás hospitalar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Exportações de suco de laranja recuam 23% entre julho e dezembro

Safra menor e estoques mais elevados estão entre as principais razões para a baixa.

Os desafios para Joe Biden nos EUA

Avanço da Covid-19 pode fazer com que democrata e equipe tenham que apagar alguns incêndios no começo do mandato.

Mercados sobem em véspera do Copom

Campos Neto, presidente do BC, participa da primeira sessão da reunião do Copom.

Mercados locais sobem seguindo Bolsas mundiais

Dia amanhece com tendência de alta para o mercado interno, seguindo NY na volta do feriado.

Contra tudo temos vacina

Dia promete ser de mais recuperação da Bovespa, dólar fraco e juros em queda.