Limpeza seletiva

Os céticos dos efeitos seletivos do projeto Ficha Limpa ganharam dois bons argumentos para renovarem seus temores: a absolvição de Maluf e a nova cassação da casal Capiberibe, pedra no sapato do senador José Sarney no Amapá, em contraste com o tratamento benevolente à governadora reeleita do Maranhão, Roseana Sarney.

Face
O Facebook acaba de anunciar o ranking de termos mais utilizados em atualizações de status em 2010. Feito em 236 países, analisa quantas vezes cada termo ou frase é citada nas atualizações de status (posts de uma a quatro palavras) revelando temas ou palavras-chave que são tendências durante o ano. Os dez primeiros colocados no Brasil mostram, à exceção óbvia da presidente eleita e da preocupação com o terremoto no Haiti, que o nível das discussões no Facebook em nada se diferencia do estilo superficial e rasteiro desse tipo de rede social: Dilma Rousseff, Tiririca, SWU, Dunga, FarmVille, Neymar, Copa do Mundo, Felipe Melo, Haiti e PSDB.

Nuvem
Nestlé é “A empresa que mais respeita o consumidor” e Google “A melhor experiência na Web”, segundo pesquisa feita pela Shopper Experience em parceria com a revista Consumidor Moderno, baseada em 1.370 entrevistas com consumidores das cidades de São Paulo e Ribeirão Preto (SP); Rio de Janeiro; Recife; Porto Alegre; e Belo Horizonte. A inclusão do Google mostra como a Internet induz à superficialidade: a empresa está presente em quase tudo, e quase sempre supostamente de graça; mas coleta dados dos usuários de forma pouco transparente, o que em nada combina com respeito ao consumidor.

Ganhos e perdas
Plínio de Arruda Sampaio lança o livro Por que participar da política? (Editora Sarandi, 64 páginas, R$ 10), com noite de autógrafos nesta quarta-feira, a partir das 19 horas, no Fórum de Eventos da Fnac Paulista. O candidato à Presidência da República pelo PSOL na última eleição convida ao debate e à reflexão sobre a participação na política a partir da pergunta: “Afinal, o que perdemos por nos desinteressar da política e o que ganhamos procurando entendê-la?”.

Envergonhado
Entrou no ar o site www.lojaoda25.com.br. Mas, apesar do nome, diz que a única relação com o comércio da Rua 25 de Março são preços baixos e variedade de produtos. “Fora isso, nada mais nesse novo e-commerce se parece com o comércio que reúne centenas de lojas no Centro da cidade (de São Paulo). Definitivamente, a empresa não quer ser o e-commerce do comércio da Rua 25 de Março”, diz o comunicado do site. Então, por que o nome?

Gastadores
O professor de finanças da EESP-FGV Samy Dana diz que a perspectiva é que a inflação aumente em janeiro devido a efeitos sazonais. “O consumo está crescendo mais do que a capacidade produtiva; sempre que isso acontece, ocorre inflação. Moramos em um país consumista, o que gera, invariavelmente, uma pressão inflacionária.” Em um país em que 79 milhões de pessoas sobrevivem com renda familiar inferior a R$ 1 mil, e apenas 3 milhões ganham acima de R$ 10 mil, parece que o consumismo a que se refere o professor é ato restrito a 1,5% da população.

São os juros
Talvez fosse melhor ver o problema da pressão infalcionária a que se refere o professor da FGV pela ótica do baixo investimento, desestimulado duplamente pelos altos juros, que tanto impedem a tomada de empréstimos para financiar novos empreendimentos, quanto pela comodidade do empreendedor em ter um bom retorno simplesmente deixando o dinheiro aplicado.

Furo
Este MM não tem informações privilegiadas no WikiLeaks. A publicação de artigo (“De quem será a riqueza do pré-sal?”) mostrando a cobiça despertada na terra de Tio Sam pela nova fronteira do petróleo, três dias antes de ser revelada pelo site, deveu-se à boa capacidade de análise e informação do articulista, e à análise deste jornal, que concluiu que o assunto era pertinente.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorIntimidar para reinar
Próximo artigoBola de ferro

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

Receita: brasileiros movimentaram R$ 127 bi em criptomoedas em 2020

O subsecretário de Fiscalização da Receita Federal, Jonathan de Oliveira, disse, nesta quarta-feira em audiência na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara...

Elevar Selic para 7,75% será eficaz no combate à inflação?

Analistas prevêem taxa de 11% em maio de 2022.

Carteira da massa falida do Banco Cruzeiro do Sul

Por Antonio Pietrobelli.

Vencimento de título corrigido pela Selic puxa queda da Dívida Pública

O vencimento de mais de R$ 200 bilhões em títulos públicos vinculados à taxa Selic (juros básicos da economia) fez a Dívida Pública Federal...

Quase 80% pretendem fazer compras no período da Black Friday

Varejo eletrônico gasta mais com publicidade para a data do que para o Natal.