Liquidação

Na semana passada, a Alemanha tornou mais rígidas as regras de investimento para proteger as indústrias estrategicamente importantes de...

Na semana passada, a Alemanha tornou mais rígidas as regras de investimento para proteger as indústrias estrategicamente importantes de compradores fora da União Europeia (UE). A Alemanha, junto com França e Itália, proporá um mecanismo europeu similar. As ações têm como principal alvo as empresas chinesas, que poderiam obter conhecimentos tecnológicos alemães através de aquisições. Isso motivou a reação da China. Geng Shuang, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, afirmou à agência Xinhua que seu país deseja que a Alemanha e a UE “sejam isentas da perturbação de protecionismo e evitem emitir sinais confusos e negativos”.

Enquanto isso, no Brasil, a desnacionalização de empresas vai batendo recordes. De 2004 até março de 2017, 2.514 empresas brasileiras tiveram seu controle vendido a estrangeiros. O dado consta de relatório da KPMG. O jornal Solidariedade Ibero-Americana lembra que desde o Governo Fernando Henrique Cardoso as empresas estrangeiras foram presenteadas com isenção total de impostos para remessa de lucros e dividendos, benesse mantida pelos governos de Lula e Dilma. Assim, o envio de dinheiro para o exterior tem aumentado, com forte impacto no balanço de pagamentos. Segundo a Comissão Econômica para a América Latina (Cepal), 81% dos recursos que entram na região como investimento direto estrangeiro (IDE) saem anualmente como rendimentos destas entradas.

A desnacionalização no Brasil não poupa setores estratégicos, como petróleo e defesa. Não existe ao menos a preocupação alemã de resguardar os conhecimentos aqui desenvolvidos. Nem de preservar empregos, mesmo os que demandaram elevada e demorada formação dos profissionais envolvidos. Estes, ou vão para o exterior, levando o conhecimento, ou viram “empreendedores”, desperdiçando os valores dispendidos.

 

Austeridade

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) divulgou nota em que “manifesta o seu repúdio contra a discriminação imposta pelo Governo da Bahia ao jornal Correio na destinação dos investimentos publicitários governamentais. Desde o ano passado, foi reduzida drasticamente a publicidade do governo do estado no jornal em comparação com outros veículos de comunicação de menor alcance e audiência”.

A entidade atribui a redução à linha editorial do jornal – fundada por ACM, a publicação é comandada por Antônio Carlos de Magalhães Jr.

Mas a nota traz fortes contradições com o discurso dos principais jornais do país sobre a austeridade nos gatos públicos. Em vez de criticar a farra com publicidade estatal, defende o gasto em nome da “liberdade de imprensa” e pede a utilização de “critérios técnicos na destinação dos recursos que arrecada do contribuinte”.

Um jornal que não consegue sobreviver sem apoio oficial está no perigoso limite da imprensa chapa branca. E a melhor destinação dos recursos do contribuinte, sem chance de erro, seria na Saúde e na Educação.

 

Mais barato

A Proteste – Associação de Consumidores entra firme no mercado virtual com o Mais Barato Proteste, um plugin para navegador de internet que faz uma busca automática pelas melhores ofertas de preços em diversas lojas. Além disso, possibilita o cadastro do preço desejado, que gera um alerta, e permite acessar o histórico de preço do produto, para garantir que o consumidor está fazendo um bom negócio e não caindo nas famosas pegadinhas de “ofertas imperdíveis”. O programa pode ser baixado em https://maisbarato.proteste.org.br

 

Sr. Cunha

O juiz Sérgio Moro comparou o triplex que seria de Lula às contas de Eduardo Cunha. Prudentemente, evitou citar a senhora Cunha, que foi absolvida pelo juiz.

 

Rápidas

O início das inscrições dos estudantes de Turismo e Hospitalidade interessados em 120 bolsas de estudos para qualificação no Reino Unido será dia 24. A iniciativa é do Ministério do Turismo. Os alunos terão até 17h, horário de Brasília, de 25 de agosto para fazer a inscrição. Informaçoes em www.pqi.turismo.gov.br/ *** Neste domingo, o Carioca Shopping recebe mais uma edição do Encontro de Carros Antigos do Antigomobilistas da Vila da Penha *** O presidente da Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (Abetre), Carlos Fernandes, apresenta na Fiesp, na tarde desta quarta, uma série de propostas de erradicação dos lixões no Brasil. “O problema dos lixões é mais uma questão econômica do que exclusivamente ambiental”, diz Fernandes *** O gramado do Camp Mou, do Barcelona, time de Messi e Neymar (por enquanto), passa a utilizar o sistema GrassMaster, com grama natural reforçada por 20 milhões de fibras de polipropileno. É similar ao do estádio Giuseppe Meazza, em Milão.

Artigo anteriorFiscais param
Próximo artigoMercado democrático
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

No privatizado Texas, falta luz no inverno e no verão

Apagões servem de alerta para quem insistem em privatizar a Eletrobras.

A rota do ‘Titanic’: ameaça de apagão não é de agora

‘Por incrível que pareça, no Brasil, térmicas caras esvaziam reservatórios!’

TCU confirma que União paga R$ 3,8 bi de juros e amortização por dia

Mais de ¼ dos títulos da dívida pública vencem em 12 meses.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Objetos do Coração ajuda o Pró Criança Cardíaca

E-commerce que vende objetos para casa e decoração exclusivamente em formato ou com estampa de coração vai doar 10% da venda de produtos selecionados...

Empresa Fácil oferece estudo de viabilidade a novos empreendedores  

Sistema permite a emissão do Alvará Provisório em 24h.

Fatores comportamentais podem influenciar nos acidentes de trabalho

Psicóloga e uma assistente social e também técnica de segurança do trabalho criaram o jogo Conversa Segura.

Reclamações sobre serviços de telecom caem 28,4% em maio

O número de reclamações de usuários dos serviços de telecomunicações caiu 28,4% em maio de 2021 na comparação com maio do ano passado, segundo...

EMS explica faturamento com o ‘kit Covid’

farmacêutica brasileira EMS informou à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia que faturou R$ 142 milhões com medicamentos do kit Covid-19 em 2020,...