Litígio

A notícia de que o McDonalds vai reestruturar seu sistema de franquias – o que deverá, segundo a empresa, ocasionar uma redução de até 10% na quantidade atual de 150 franqueados da rede – mexeu com o mercado. E-mail recebido por essa coluna lista uma série de problemas na relação franqueado-empresa. Entre as principais acusações está a de que o McDonalds aluga os pontos comerciais e os subloca para os franqueados por um valor superior, que pode atingir até 24% do faturamento da loja (para comparação, o texto afirma que nos Estados Unidos esse valor nunca supera 8,5% do ganho bruto do franqueado). Outra acusação é de que no Brasil são cobrados royalties de 5% e nos EUA de 4%. Num ponto acusador e McDonalds concordam: a diferença de posições virou litígio em alguns casos. Há divergência quanto aos números: franqueados falam em 24 litígios, com alguns acordos; a empresa cita 14 saídas negociadas e seis pendências jurídicas.

Esquizofrenia
Ano passado, os estados destinaram R$ 12 bilhões ao pagamento de juros à União. Esse montante equivale ao orçamento federal da Educação. Para consumar essa derrama, os governadores cortaram fundo em gastos sociais, deteriorando serviços básicos, como educação, saúde e segurança. Dessa prática, resultam dois brasis distintos e incompatíveis. Pelo ângulo da submissão diligente ao ajuste fiscal imposto pelo FMI, os governadores estão cumprindo o dever de casa. Já pelo critério dos eleitores, com quem assinaram carta de intenções de outra ordem, tendem à reprovação popular e a alimentar as desconfianças do senso comum contra a política como instrumento de transformação.

Barulho anunciado
Conhecido como mês das noivas, maio, pelo menos para a Prefeitura do Rio, deve ser marcado por uma enxurrada de ações de moradores contra o aumento do IPTU por causa do recadastramento de imóveis promovido pelo município. Como o anúncio dos novos valores do imposto, bem como o prazo para contestá-los, coincidiu com a semana do Carnaval, muitos contribuintes não se deram conta do tamanho da diferença, que, em alguns casos, chega a 40%, anulando o desconto de 30% concedido para alguns imóveis. Ou seja, o que a prefeitura dera com uma mão vai ser retirado, e com sobras, pela outra. Com a chegada dos novos carnês, a briga deve esquentar, principalmente, diante da possibilidade de ter havido irregularidades na contratação das empresas contratadas para fazer o recadastramento, como denunciou o vereador Ruy Cezar (PTB).

Outro
Corrigindo informação publicada ontem por esta coluna, o senador mineiro Arlindo Porto é do PTB e não do PMDB, como equivocadamente informara a assessoria do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Porto é líder do PTB no Senado.

Sufoco
Aeroviários e aeronautas da Vasp promovem hoje, às 12h30m, manifestação pública no saguão do Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio de Janeiro. Sem o salário de março no bolso e sem tíquete-refeição, vale-transporte e cesta básica há dois meses, os funcionários e os seus familiares passam por momentos difíceis. As entidades sindicais r querem que o governo federal cumpra o Código Brasileiro de Aeronáutica, afastando imediatamente a direção da companhia. O quadro de pessoal da Vasp tem 8,5 mil trabalhadores.

Carona
Em vez de sair do – gordo – lucro das empresas, a eventual aprovação do projeto 1.286/99, que garante aos estudantes de 1º e 2º grau de escolas particulares e públicas (estes mesmo quando não uniformizados), universidades e  Senai, Senac o direito de pagar meia passagem nos ônibus municipais pode custar cerca de R$ 144 milhões em subsídios ao ano à Prefeitura do Rio. Para evitar mais esta transferência do espeto ao contribuinte, a vereadora Rosa Fernandes (PFL) apresentou emenda ao projeto, de autoria dos vereadores Fernando Gusmão (PcdoB) e Edson dos Santos (PT), derrubando o subsídio que a Prefeitura destinaria aos aparentemente intocáveis empresários do setor de transportes.

Consumo
Números do Bureau Turístico de Orlando (Flórida/EUA) confirmam a fama de consumistas dos que viajam do Brasil para aquelas bandas. A média de gastos por brasileiro, para sete dias de estada, é de US$ 900, superando inclusive os ingleses, que consomem US$ 751. Os nipônicos, que sempre foram vistos como grandes gastadores no exterior, agora despendem em média US$ 600 por pessoa no mesmo período de tempo.

Artigo anteriorSubstituição
Próximo artigoOs culpados
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

União perde bilhões de dólares no petróleo

Lei isentou campo mais produtivo de pagamento de participações especiais.

Taxa de carbono vai custar quase € 800 mi à Turquia

Barreira ambiental da União Europeia é alerta para o Brasil.

Sonho da casa própria fica mais distante

Contratação de moradias com recursos do FGTS cai ano após ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

EUA: 3,5 milhões de despejos

Mais de 3,5 milhões de norte-americanos estão ameaçadas de despejo poucos dias após o término da prorrogação da medida de proteção aos inquilinos inadimplentes...

STF dá prazo para Bolsonaro explicar bloqueio de jornalistas

O presidente da República terá 10 dias para explicar o bloqueio de jornalistas em seu perfil no Twitter. O prazo foi estipulado pela vice-presidente...

Bolsonaro descarta tributar grandes fortunas

A possibilidade de instituir imposto sobre grandes fortunas, tabelamento de preços ou aumento de carga tributária no Brasil foi descartada nesta segunda-feira pelo Jair...

Só 3,5% das empresas têm mulheres como CEO

BR Rating ouviu 486, sendo 57% de capital nacional e 43% multinacionais Apenas 3,5% das corporações têm mulheres atuando como CEOs, uma prova de que...

Brasil pode ser principal player para investimentos verdes

“Atualmente, estima-se R$ 30 bilhões em gestão de títulos verdes no país, com grande potencial de crescimento, frente a US$ 1 trilhão de recursos...