Lição das urnas

A manutenção da política econômica do tucanato continua provocando estragos na base social do PT. Semana passada, a chapa apoiada pela Articulação, grupo que controla o PT, e pelo PCdoB, cada vez mais um satélite petista, foi derrotada nas eleições para o Sindicato Nacional dos Docentes do Ensino Superior (Andes). A nova presidente da entidade dos professores universitários – um antigo reduto petista – é a professora Marina Barbosa, da UFF. A chapa vencedora, que obteve 52% dos votos válidos, é ligada a setores que estão abandonando o PT, desencantados com o paloccianismo, e ao PSTU.

Os insaciáveis
Para o professor da UFRJ Cláudio Salm, “causa arrepios” a proposta do economistas Raul Veloso e Afonso Celso Pastore, este ex-presidente do BC, de aumentar o superávit primário (economia para pagar juros): “Não dá para ser otimista quanto ao crescimento. Hoje, o único agregado da demanda global em expansão é o mercado externo”, resumiu, frisando que um crescimento de 4% do produto interno bruto (PIB), se alcançado, “apenas evita o agravamento do desemprego”.

Doença
Apesar de liminar concedida pela 14ª Câmara Civil do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinando que o Município do Rio passe a fornecer medicamento necessário para a sobrevivência da menor Stepahnie, a Secretaria de Saúde não se manifestou. A pequena luta contra uma doença genética rara que obriga uso de remédio com custo mensal de US$ 9 mil. A Constituição determina que a saúde é um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício.

Digital
O município de Piraí, no Sul Fluminense, ganhou o prêmio Cidades Digitais, na categoria “Cidades de pequeno porte”, por seu projeto de Internet em alta velocidade, desenvolvido com apoio do governo estadual. O prêmio será entregue pelo presidente da Colômbia ao prefeito Luiz Fernando Pezão no dia 9 de junho, em Bogotá.

Apoio
O candidato da situação às eleições da Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp), o industrial e economista Claudio Vaz, contabiliza o apoio de 68 sindicatos. Como são 122 entidades aptas a votar, Vaz se considera eleito.

Dever de casa
O ministro Palocci tem toda razão: não basta apenas reduzir os juros para o Brasil voltar a crescer. É preciso também eliminar ou baixar drasticamente o superávit primário (economia para pagar os juros), para liberar recursos para o Estado puxar o crescimento e investir em infra-estrutura, saúde, educação, segurança etc.; controlar os capitais especulativos; e manter o câmbio favorável às contas externas do país e ao mercado interno. Em outras palavras, cumprir o programa do PT.

Doce
As exportações brasileiras de mel cresceram 14.000% no período de 2000 a 2003, saltando de US$ 231 mil para US$ 45,5 milhões. Ano passado, foram exportadas 19,3 mil toneladas de mel, sendo 10,6 mil toneladas para o mercado alemão e 6,8 mil toneladas para o norte-americano. A Confederação Brasileira de Apicultura (CBA) estima que a produção de mel no Brasil tenha atingido 25 mil toneladas em 2003. O país fechou o primeiro trimestre deste ano com exportação de 6 mil toneladas de mel, 33% a mais que em igual período de 2003. O nicho do mel orgânico mostrou-se lucrativo: o preço é cerca de 30% superior ao do mel comum, chegando a US$ 3 o quilo.

De fora
São Paulo é o maior estado produtor de mel para exportação. São 6,3 mil toneladas de mel, seguido por Santa Catarina, com 4 mil toneladas, Piauí, com 3 mil, e Ceará com 2,3 mil toneladas. A atividade é pulverizada: são aproximadamente 500 mil apicultores. A China é o maior produtora mundial de mel, mas foi proibida, em 2001, de exportar sua produção por ter utilizado agrotóxicos e antibióticos na produção.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMandarim
Próximo artigoEsqueçam o que governamos

Artigos Relacionados

‘EUA do Mar’ seria considerado crime de lesa-pátria

Na terra de Biden, entregar navegação a estrangeiros é impensável.

Governo Bolsonaro não dá a mínima para a indústria

País perde empregos de qualidade e prejudica desenvolvimento.

Taxa sobre exportação de petróleo renderia R$ 38 bi

Imposto aumentaria participação do Estado nos resultados do pré-sal.

Últimas Notícias

Fundos de investimento poderão atuar como formadores de mercado na B3

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) autorizou os fundos de investimento a atuarem como formadores de mercado na B3, a bolsa do Brasil. A...

ABBC: Selic deve subir 1,50 ponto percentual

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) se reúne na próxima terça-feira (7) para decidir sobre a nova Selic, a taxa básica...

Ibovespa fecha a semana em alta

(alta de 0,013%). O volume representou uma extensão do movimento positivo registrado na quinta-feira (2), quando o índice fechou com forte alta de 3,66%,...

China: Incentivos fiscais para investidores estrangeiros

A China anunciou que estendeu suas políticas fiscais preferenciais para investidores estrangeiros que investem no mercado de títulos da parte continental do país. A...

Brasileiro teria renda 6 vezes maior com indústria forte

Entre 1950–70, PIB do País foi multiplicado por 10.