Lojistas cariocas são favoráveis ao cancelamento do Carnaval de rua

Variante Ômicron elevou número de casos, segundo Secretaria Municipal de Saúde.

O Sindicato dos Lojistas do Comércio do Município do Rio de Janeiro (Sindilojas-Rio) e o Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDL-Rio), que juntos representam mais de 30 mil lojistas cariocas, manifestaram apoio à decisão da prefeitura do Rio de cancelar o Carnaval de rua, diante do crescimento confirmado dos casos de Covid-19.

De acordo com Aldo Gonçalves, presidente das duas entidades, é preciso cautela.

“Devemos ser muito cautelosos e avaliar sob todos os ângulos os riscos advindos de grandes aglomerações. E o Carnaval de rua, uma das manifestações culturais cariocas mais prestigiadas pelo povo, infelizmente será penalizado, mas com justa razão.”

“O Carnaval de rua é como um ‘Natal’ em termos de vendas para o comércio popular, principalmente para as lojas que vendem artigos alusivos à festa. Porém, mesmo o Carnaval sendo importante para o aumento das vendas em fevereiro, mês tradicionalmente fraco, não podemos deixar de apoiar o cancelamento da festa de rua, neste momento”, explicou ele.

Em relação aos desfiles no sambódromo, o Sindilojas-Rio e o CDL-Rio, entretanto, apoiam a decisão de mantê-los, considerando que serão adotadas todas as medidas sanitárias necessárias.

Com a chegada da variante Ômicron do novo coronavírus na cidade do Rio de Janeiro, gerando aumento exponencial de casos de Covid-19, a Secretaria Municipal de Saúde recomendou que todas as pessoas que tenham sintomas gripais façam o teste de detecção da doença. O anúncio foi feito pela conta do Twitter da pasta.

A recomendação de testagem é para todos que tiverem sintomas como febre, calafrio, tosse, coriza, dor de garganta, dor de cabeça, alteração no olfato e/ou paladar e para quem teve contato com casos positivados do novo coronavírus. A SMS informou que tem em estoque 450 mil testes de Covid-19.

Além das Clínicas da Família e Centros Municipais de Saúde, que atendem de segunda a sexta de 8 às 17h e nos sábados das 8 às 12h, a prefeitura abriu seis centros de testagem: Parque Olímpico da Barra, Vila Olímpica do Alemão, Vila Olímpica de Honório Gurgel e Policlínica Rodolpho Rocco em Del Castilho (de segunda a domingo, das 8 às 17h). Também Policlínica Manoel Guilherme da Silveira Filho em Bangu e Unidade Ambulatorial Almir Dulton em Campo Grande (de segunda a sexta-feira, das 8 às 17h).

Já a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES) anunciou que vai abrir, a partir de amanhã (7), seis centros de testagem, indicado para pessoas com sintomas leves ou que tiveram contato com doentes confirmados. O exame poderá ser feito de segunda a domingo, das 8 às 18h, em estruturas anexas às unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Bangu, Campo Grande e Jacarepaguá, na zona oeste da capital, e Tijuca, Penha e Marechal Hermes, na Zona Norte. A SES vai aplicar testes rápidos de antígeno e RT-PCR, para monitoramento do cenário epidemiológico. Serão distribuídas 150 senhas por dia em cada unidade. Segundo a SES, um sistema de marcação online está em fase de finalização e deve entrar no ar no domingo (9), no site da secretaria. A previsão é que, a partir de segunda-feira (10), o atendimento passe a ser feito apenas por meio de agendamento.

 

Com informações da Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Policiamento reforçado em terreiros de umbanda e candomblé de Itaboraí

Terreiros foram ameaçados por pastor evangélico em show gospel.

Rodoviária do Rio inicia a 24ª Campanha do Agasalho

Desde a 1ª edição, em 1999, quase 1 milhão de peças já foram doadas.

Faetec: aluno não quer militarização. Quer valorização do modelo atual

Alerj estuda levar debate às escolas.

Últimas Notícias

Solidus Aitech arrecadou mais de US$ 10,5 mi de fundos com tokens

Serviço de computação de alto desempenho (HPC) quer 'democratizar a IA'.

Pão pita tradicional poderá ser feito em escala industrial

Novo sistema é capaz de produzir até 1.000 quilos/hora de pita.

Policiamento reforçado em terreiros de umbanda e candomblé de Itaboraí

Terreiros foram ameaçados por pastor evangélico em show gospel.

Rodoviária do Rio inicia a 24ª Campanha do Agasalho

Desde a 1ª edição, em 1999, quase 1 milhão de peças já foram doadas.

Votação sobre cobrança de mensalidade em universidade pública é adiada

CCJ decidiu fazer uma audiência pública sobre a PEC 206.