Lojistas do Rio esperam aumento de 7% nas vendas de Natal

Lojistas fazem de tudo para conseguir boas vendas, como: promoções, descontos, pagamentos facilitados etc.

A poucos dias para o Natal – a maior data comemorativa para o comércio, responsável por cerca de um terço do faturamento anual do setor -, os lojistas cariocas estimam um aumento de 7% nas vendas para o Natal. É o que mostra a pesquisa do CDLRio e do SindilojasRio, que ouviu 500 lojistas da Cidade do Rio de Janeiro para conhecer a expectativa para o Natal.

A pesquisa mostra também que para estimular os consumidores os comerciantes estão fazendo promoções, descontos, planos de pagamentos facilitados, kits promocionais, brindes, sorteios, lançaram novos produtos e aumentaram a variedade de mercadorias. Eles acreditam que os presentes mais vendidos no Natal serão roupas, calçados, brinquedos, bolsas e acessórios, celulares, perfumaria/beleza e bijuterias.

Para 60% dos lojistas entrevistados o preço médio dos presentes por pessoa deve ser de R$ 150 e que os clientes deverão utilizar o cartão de crédito como forma de pagamento, seguido do cheque pré-datado, cartão à vista, dinheiro e a prazo. Para aumentar as vendas 60% dos entrevistados disseram que pretendem abrir as lojas aos domingos perto do Natal e estender o horário de atendimento. Para isso 68% dos lojistas de rua pretendem aumentar a segurança com equipes de apoio e melhorar o monitoramento com câmeras.

De acordo com Aldo Gonçalves, presidente do CDLRio e do SindilojasRio, o moderado otimismo dos lojistas com o Natal é reflexo do fraco desempenho das vendas em todas as datas comemorativas que o antecederam, que não atingiram a expectativa de crescimento estimada pelo comércio.

“Na verdade, dificuldade econômica está inibindo o consumidor. E quando a economia não vai bem afeta o clima de otimismo e inviabiliza as compras, pois é o ambiente econômico quem dita o comportamento do consumidor. Apesar da nossa expectativa de crescimento das vendas no Natal não podemos esquecer que pesquisa recente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo – CNC mostra que após quatro meses consecutivos de alta e estabilidade em outubro, o índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) apresentou retração de cerca de 1% em novembro,” diz Aldo Gonçalves.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Modelo do Santos Dumont favorece aeroportos de outros estados

Concessionária de Guarulhos pode pedir revisão de seu contrato se edital mudar.

Big Techs espionam no exterior a mando dos EUA

Agência Antidrogas mandou WhatsApp monitorar usuários na China.

Covid: mais de 57 mil crianças e adolescentes receberam vacina errada

Crianças que receberam vacina de adulto devem ser monitoradas, recomenda Pfizer.

Últimas Notícias

Caixa registra recorde em crédito imobiliário

A Caixa Econômica Federal realizou mais de R$ 140 bilhões contratados ao longo de 2021, maior valor da história do banco, com crescimento de...

Vendas do Grupo Patrimar crescem 193,7 no 4T21

O Grupo Patrimar - construtora e incorporadora mineira que atua na baixa, média e alta renda em Belo Horizonte, no Rio de Janeiro e...

Vacina errada em mais de 57 mil crianças e adolescentes

Em meio à campanha de vacinação contra a Covid-19, 57,14 mil crianças e adolescentes em todo o país foram imunizados com doses para adultos...

Pandemia aumenta acesso da população a serviços bancários

Os bancos digitais aumentaram o acesso da população brasileira a produtos financeiros, com destaque para a parcela de baixa renda. Atualmente 19% dos brasileiros...

Moby fecha 2021 com crescimento de 26%

Apesar da pandemia, da crise econômica e da redução na fabricação de veículos, a Moby corretora de seguros conseguiu fechar o ano de 2021...