30.1 C
Rio de Janeiro
quinta-feira, janeiro 21, 2021

Longe das ruas

Renato Meirelles, diretor do Instituto Data Popular, que pesquisa as classes C, D e E no Brasil, argumenta que o brasileiro tem uma visão de Estado bem diferente da visão das camadas políticas que disputam o poder. “Temos um campo que defende um Estado enxuto, um Estado mínimo, e do outro lado tem uma parcela do governo que defende um Estado grande, um Estado que de fato tem um peso sobre a economia do país. O que o brasileiro médio pensa? ‘Quero um Estado eficiente e presente’.”

Efetivamente, a discussão nos gabinetes está longe da realidade da maioria da população. Mas nem por isso deixa de afetá-la. Como o próprio Meirelles reconhece, em entrevista esta semana à TV Brasil. Segundo ele, o brasileiro comum nem sabe o que é Uma Ponte para o Futuro, proposta apresentada pelo PMDB para a tomada do poder. “Não tenho dúvida nenhuma que alguns dos pontos apontados naquele texto, como a desindexação do salário mínimo e o fato de não ter mais a garantia constitucional do investimento mínimo em educação e saúde, são pontos que a grande maioria da população é contra”, disse.

Exatamente por isso, a elite, através da mídia amestrada, debate temas etéreos, como “responsabilidade fiscal”, “orçamento equilibrado” e “reforma trabalhista”, deixando de lado os efeitos que tais jargões significam: cortes de direitos, redução de salários, concentração de renda, piora nos serviços prestados à população.

Paraíso estadunidense

Em entrevista à agência russa Sputnik, o jornalista alemão Ernst Wolff, especializado em assuntos financeiros, levanta a hipótese de os documentos que desembocaram no Panama Papers foram vazados pelos “serviços de inteligência estadunidenses”, algo que “se encaixaria perfeitamente na política dos EUA”.

O interesse seria carrear para os Estados Unidos – que também têm seus paraísos fiscais, embora pouco divulgados, como Nevada, Dakota e Delaware – os US$ 30 trilhões a US$ 40 trilhões que estima-se as companhias de fachada movimentam.

De fato, não se sabe como os milhões de documentos eletrônicos chegaram ao jornal alemão Süddeutsche Zeitung.

Fora do país

Aumentou em 50% a demanda para realizar a declaração anual de Capitais Brasileiros no Exterior (CBE) na Drummond Advisors este ano em relação a 2015. A consultoria atribui o crescimento à instabilidade da economia brasileira, que incentiva muitas companhias a investir em negócios fora do país. Brasileiros que no dia 31 de dezembro do ano passado possuíam investimentos no exterior com valores acima de US$ 100 mil, ou equivalente em moeda estrangeira, precisaram informar os ativos ao Banco Central. O prazo terminou em 5 de abril.

Destravar a economia

O livro Desatando o Nó do Brasil: Propostas para Destravar a Economia e Travar a Corrupção (Disruptiva) já está em pré-venda na Livraria da Travessa. Rubens Teixeira, Henrique Forno e Márcio Araujo abordam como o câmbio é importante elemento para a política de desenvolvimento. A obra traz propostas para libertar a sociedade da opressão dos juros altos. Mostra que é possível, sim, reduzir os juros ao consumidor no Brasil, historicamente exorbitantes.

Os autores discutem outros temas relevantes, como a competitividade econômica, fundamental para a definição de uma estratégia de desenvolvimento que propicie melhoria nas condições de vida da população. “Apesar de esse tema ser privilegiado na discussão acadêmica, ele acaba adquirindo, por vezes, fortes cores ideológicas no debate político”, afirmam.

Em paralelo à campanha As 10 Medidas Contra a Corrupção, capitaneada pelo Ministério Público, as propostas do livro pretendem inviabilizar a corrupção, inviabilizando os “dutos” por onde circula o dinheiro sujo e iluminando as sombras onde se combinam estratégias de corrupção.

O lançamento do livro será em 5 de maio, às 17h, no Hotel São Francisco (Rua Visconde de Inhaúma, 95, Centro – RJ).

Rápidas

Professores dos cursos de pós-graduação e graduação em Administração e Contabilidade da Faculdade Anhanguera de São José dos Campos acabam de lançar os livros Contabilidade na Linguagem da Administração e Contabilidade, Administração & Economia para Cursos e Concursos *** No próximo dia 26, a ABF Rio vai promover uma palestra sobre inadimplência. Será no Café com Franquia, das 8h30 às 11h, no Centro da cidade. Mais informações: cursos@abfrj.com.br *** Sinditêxtil-SP e Abit fazem coquetel de lançamento do livro Indústria Têxtil – As Várias Faces dos Povos que Construíram o Setor (BB Editora). A obra conta as histórias dos imigrantes que iniciaram a atividade no Brasil. O lançamento será nesta segunda-feira, às 18 horas, na Abit, na 41ª edição da São Paulo Fashion Week, no Parque do Ibirapuera – Pavilhão da Fundação Bienal *** A partir deste sábado, esta coluna perturbará seus poucos, mas valiosos, leitores também nos finais de semana. Como ninguém é de ferro, fica a promessa de tratar de assuntos menos áridos que nossa política e economia de cada dia.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

É hora de radicalizar

Oposição prioriza impeachment, mas sabe aonde quer chegar?.

Soja ameaça futuro do Porto do Açu

Opção por commodities sobrecarrega infraestrutura do país.

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Mercado reagirá ao Copom e problemas internos

Na Europa, Londres teve alta de 0,41%. Frankfurt teve elevação de 0,77%. Paris teve ganhos de 0,53%.

EUA: expectativa por novos estímulos fiscais traz bom humor

Futuros dos índices de NY estão subindo, mesmo após terem atingidos novos recordes históricos no fechamento do pregão anterior.

Ajustando as expectativas

Bovespa andou na quarta-feira na contramão dos principais mercados da Europa e também dos EUA.

Sudeste produz 87,5% dos cafés do Brasil em 2020

Com mais de 55 milhões de sacas a região é a principal responsável pela maior safra brasileira da história.

Exportação de cachaça para mercado europeu cresceu em 2020

Investimentos será de R$ 3,4 milhões em promoção; no Brasil, já cerveja deve ficar entre 10 e 15% mais cara em 2021.