Lá&cá

Enquanto o Brasil continua refém das decisões dos sete tecnocratas que compõem o Comitê de Política Monetária (Copom), na Argentina o projeto de lei para limitar a autonomia do Banco Central Argentino (BCA) avança a passos largos. Por iniciativa de deputados da base governista e com apoio do presidente Néstor Kirchner, a Comissão de Finanças da Câmara dos Deputados aprovou, esta semana, projeto nesse sentido, e que deve ser votado pelo Congresso em cerca de 15 dias.
Não por acaso, o Brasil tutelado pelo BC cresce abaixo de 3% há cerca de uma década, enquanto a Argentina, que revogou a ortodoxia do FMI, avança quase dois dígitos desde o início do Governo Kirchner, há quatro anos.

Renovação deliciosa
Vem do cientista político Ricardo Antunes, da Unicamp, irônica síntese sobre a lógica do Governo Lula: “O lulismo é expressão de um governo que fala para os pobres, vivencia as benesses do poder e garante a boa vida aos grandes capitais”, ironiza.
Antunes cita personagem de Thomas Mann, Felix Krul, o qual, recorda, “após experimentar uma vida dúplice, confessou: “Percebi que a troca de existências não produziu apenas uma deliciosa renovação mas também certa obliteração no meu interior – no sentido de que todas as recordações de minha vida anterior haviam sido exiladas de minha alma””.
Para o cientista social, a analogia ajuda a entender, “por que Lula agora é só elogios para os usineiros”.

Invenções
Desde 1997, os Estados Unidos e a China mostraram o crescimento mais impressionante no volume de patentes, de 145% e 470%, respectivamente, chegando perto da posição de liderança ainda pertencente ao Japão. Os dados, da Thomson Scientific, abrangem o volume de patentes nos países do G-8 (Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Rússia, Reino Unido e Estados Unidos) mais a China e Coréia do Sul. Os resultados indicam que a atividade global de patentes cresceu 72% durante a última década, com um aumento de 34% em “invenções exclusivas” ou “novas invenções”.

Olhos puxados
A China domina as invenções feitas nas universidades, com um crescimento de oito vezes desde 1997. A Coréia do Sul é a que mais protege suas patentes pelo mundo. As invenções relacionadas com semicondutores, telecomunicações e computação (que a Thomson chama de “trilateral”) apresentaram taxas muito altas de crescimento, de 75%, 86% e 172%, respectivamente, desde 1997.
A coreana Samsung foi a maior requerente nos segmentos da “trilateral” em 2006. O Japão ainda detém a maior parte das invenções desses ramos.

A pé
Atenção, quem vai ao Maracanã para a primeira partida da decisão do campeonato fluminense, neste domingo: a Prefeitura arrumou um jeito de levantar uns reais e ainda engordar a conta bancária dos donos de reboque que prestam serviço ao município. Estão rebocando carros – parados irregularmente, é verdade, mas sem atrapalhar o trânsito, ainda mais num domingo – dos incautos torcedores, que só conseguem retirar seus veículos na segunda-feira. Como na terça é feriado e ninguém é de ferro, corre-se o risco de só conseguir o automóvel de volta na quarta-feira.

Pergunta
Parar em lugar proibido resulta em reboque. E quem garante a segurança do torcedor que parar seu carro longe do Maracanã (que tem problema crônico de poucas vagas de estacionamento)? Na saída do jogo, já de noite, não é preciso nem do Oswald de Souza para calcular o risco de assalto.

Desmilitarização
Foi desastrosa a substituição da Polícia Militar (PM) pela Guarda Municipal no patrulhamento do trânsito do Rio de Janeiro. Na capital, pelo menos, o resultado líquido da mudança pode ser medido por gigantescos engarrafamentos, no Centro, que, ao menos, eram mitigados pela ação dos PMs. Em muitos lugares, nos quais, geralmente, havia um policial, sequer se vê um guarda municipal, como em várias das ruas de acesso à Av. Presidente Vargas.

Artigo anteriorFazendo as malas
Próximo artigoLivre&seguro
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

Dois mitos sobre a Petrobras

Mídia acionada pelo mercado financeiro abusa de expedientes que ataca quando usados por bolsonaristas.

Mudar preços implica parar venda de refinarias

Mercado financeiro cobrará deságio, e Petrobras precisa de ativos para poder operar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Preços dos carros mais vendidos subiram 9,4% em média em um ano

Com 18,23% de variação, Renault Kwid foi o que mais subiu de preço entre os 13 mais vendidos.

PEC Emergencial pode sair da pauta do Senado desta quinta

Parlamentares resistem a cortes na saúde e educação e propõem votar apenas questão do auxílio emergencial.

Desdobramentos da intervenção na Petrobras

Percepção é de que o 'superministro' de Bolsonaro pode estar ficando cada vez mais isolado.

IPCA-15 de fevereiro ficou abaixo da expectativa

Índice mostra variação mais fraca que o esperado em alimentação, educação; já saúde e transportes vieram mais fortes que a expectativa.

Tentativa de superação

Ontem foi dia de recuperação da Bovespa, liderada pelas ações da Petrobras, Eletrobrás e setor bancário.