Magalu adquire plataforma VipCommerce

Além da integração, a plataforma oferece a gestão completa do ciclo do pedido - da compra à entrega final

O Magazine Luíza, também conhecida como Magalu (plataforma digital, com pontos físicos), anunciou a aquisição da VipCommerce, plataforma de e-commerce white label, cujo foco é o varejo de alimentos. A ferramenta funciona como um atalho para que milhares de varejistas alimentares se conectem ao marketplace do Magalu.

Sediada em Belo Horizonte, a VipCommerce permite que varejistas analógicos criem lojas digitais para desktop, celular e apps. O valor e os termos da transação não foram divulgados pela companhia.

Além da integração, a plataforma oferece a gestão completa do ciclo do pedido – da compra à entrega final – e o controle de estoque em tempo real. Atualmente, a VipCommerce oferece tecnologia para mais de 100 redes de supermercados, com 400 lojas localizadas em 18 estados do país. Sua plataforma reúne mais de 300 mil itens em estoque e processa R$ 250 milhões em vendas anualizadas.

Desde o início da pandemia, o Magalu tem expandido rapidamente a sua categoria de mercado — inicialmente com foco no estoque próprio, possibilitando que os clientes recebam em suas casas com segurança. Atualmente, a categoria representa mais de 40% de todos os itens vendidos no e-commerce do Magalu, que já é um dos maiores vendedores online de mercado no Brasil.

A aquisição da VipCommerce permite que milhares de supermercados juntem forças com o Magalu. A combinação da categoria de mercado da empresa (1P) com o sortimento de supermercados locais (3P) possibilitará a oferta de uma cesta completa de produtos no superaplicativo do Magalu, incluindo itens perecíveis.

Em 2020, o Magalu realizou 11 aquisições estratégicas. Foram compradas, entre outras, a Estante Virtual, de venda de livros novos e usados, a startup de delivery de alimentos AiQFome, a Hubsales, que conecta fabricantes ao consumidor final, a Stoq, de tecnologia para PDV, a plataforma de mídia da Inloco, o site de conteúdo de tecnologia Canaltech, a escola de marketing Digital ComSchool e a fintech Hub.

Desde maio de 2011, a Magalu é listada no Novo Mercado da B3. Nos últimos anos, fez diversas aquisições, consolidando sua presença nacional. Além de 1 237 lojas em 18 estados do país, o Magalu conta com mais cinco marcas online: Netshoes, Zattini, Shoestock, Época Cosméticos e Estante Virtual – além de milhares de sellers em seu marketplace e um superaplicativo com 30 milhões de usuários ativos. Atualmente, o Magalu emprega mais de 47.000 funcionários.

Leia mais:

Fevereiro foi bom para as vendas da Embraer

Eleva parte para um mercado de R$ 70 bi

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Perfil de risco visto pelas corretoras

Uso do Questionário de Perfil de Investidor, chamado de suitability, que tem como função identificar seu apetite de risco

Diretor do Grupo Nubank cumpre novo mandato na Anbima

Permanecerá na vaga de conselheiro titular reservada à Anbima no Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional

Ampliar volume de interfaces para atrair investidor pessoa física

Em janeiro, a B3 somava 5 milhões de contas PF abertas em corretoras

Últimas Notícias

Proteste: PL prejudica consumidor de menor poder aquisitivo

Entidade pede veto a pontos de PL que inviabiliza pagamento por aproximação no Rio; em SP, Fecomércio encaminha sugestões sobre segurança.

Diesel: novo reajuste pode afetar preço do frete

Já gasolina subiu 1% e fechou quinzena a R$ 7,599; valor médio do combustível no Brasil foi de R$ 7,599 nos primeiros 15 dias de maio.

SP é o segundo estado com maior potência de energia solar em telhados

Geração própria de energia solar no Rio ultrapassa 49,8 mil conexões em telhados e pequenos terrenos.

Mais de um terço das famílias relata queda da renda mensal

Estudo destaca comportamento das pessoas sobre gastos e dívidas no primeiro trimestre; mais impactados são famílias de menor renda.

Despesas de planos médicos atingiram R$ 206 bi na pandemia

Estudo mostra que aumento de 24% durante um ano está relacionado com a retomada de procedimentos médicos a partir de 2021.