Maia ameaça votar 13º, recua e anuncia bloco com oposição

Em discurso no Plenário, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), acusou o presidente Jair Bolsonaro de mentir ao dizer que ele (Maia) era o responsável pelo fato de o governo não pagar neste ano o 13º salário para os beneficiários do Programa Bolsa Família.

“O próprio ministro Paulo Guedes confirmou que o presidente é mentiroso quando disse que de fato não há recursos para o 13º”, rebateu Maia. Pela manhã desta sexta-feira, o presidente da Câmara articulou a votação do 13º para a tarde. Depois, voltou atrás.

No final do dia, Maia anunciou a formação de um bloco com 11 partidos para disputar a Mesa Diretora na sua sucessão, no ano que vem: PT, DEM, PDT, PSB, MDB, Cidadania, Rede, PV, PCdoB, PSDB e PSL. Ao todo, 269 deputados compõem o grupo. O nome do candidato à presidência não foi definido.

“Esta não é uma eleição entre o candidato A ou o candidato B. Essa é a eleição entre ser livre ou subserviente. Ser fiel à democracia ou ser aliado do autoritarismo. Ser parceiro da ciência ou ser conivente com o negacionismo. Ser fiel aos fatos ou ser devoto das fake news”, diz o documento.

A presidente do PT, deputada Gleisi Hoffman (PR), afirmou à Agência Câmara que, apesar das diferenças entre alguns partidos que compõem o bloco na agenda econômica, a pauta da defesa da democracia os une. Segundo ela, os partidos de oposição também vão apresentar um nome para ser analisado pelo bloco para disputar a eleição da Câmara.

Leia mais:

13º salário será direcionado para pagamento de contas das famílias

Final de ano fica sem R$ 21,5 bi do 13º dos aposentados

Artigos Relacionados

Falta de produtos em supermercados retoma o maior nível de 2020

Falta de matéria-prima para a indústria, fim do auxílio emergencial e aumento dos preços fazem com que janeiro fecha com ruptura em alta com índice de 12,49%.

Aplicativos mantêm total controle sobre trabalho de entregadores

OIT: o número cresceu 5 vezes nos últimos 10 anos.

Se aprovada como está, PEC Emergencial destruirá BNDES

Presidente da Associação dos Funcionários e recentemente eleito para o Conselho de Administração, Arthur Koblitz encaminhou carta a senadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Presidente do Banco do Brasil joga a toalha

Centrão tem interesse no cargo.

Imóveis comerciais tiveram estabilidade em janeiro

Nos últimos 12 meses, entretanto, preços de venda e locação do segmento acumulam quedas de 1,32% e 1,18%, respectivamente.

Contas públicas têm superávit de R$ 58,4 bilhões em janeiro

Dívida bruta atinge 89,7% do PIB, o maior percentual da história.

Presidente do Inep é exonerado do cargo

Medida foi publicada no Diário Oficial de hoje; até o momento, não foi anunciado o nome de quem o substituirá.

Primeiro caso de Covid-19 no Brasil completa um ano

Brasil tem novo recorde de mortes diárias, diz Fiocruz; boletim informa que houve ontem 1.148 mortes.