Maior greve na saúde na história dos EUA

Greve deve parar 75 mil profissionais desta quarta-feira até sábado

64
trabalhadores da saúde dos eua em protesto
Trabalhadores da saúde dos EUA em protesto (foto Xinhua)

Mais de 75 mil trabalhadores de saúde dos EUA entraram em greve nesta quarta-feira. Os funcionários da Kaiser Permanente, a maior organização sem fins lucrativos de saúde norte-americana, vão deixar hospitais e consultórios médicos depois que a empresa e os negociadores sindicais não conseguiram resolver uma disputa sobre os níveis de pessoal.

“A Coalizão de Sindicatos da Kaiser descreveu a paralisação do trabalho como a maior greve de trabalhadores de saúde na história dos EUA”, informou a CNBC, observando que a greve terá como alvo os hospitais e consultórios médicos na Califórnia, Colorado, Oregon, Virgínia, no distrito de Columbia e Estado de Washington.

A greve dos trabalhadores de saúde deve durar até a manhã de sábado. Os profissionais em greve incluem enfermeiros, técnicos de emergência, técnicos de radiologia, técnicos de raios X, terapeutas respiratórios, assistentes médicos e farmacêuticos, entre outros.

Os sindicatos exigem investimentos a longo prazo para resolver a escassez de pessoal, além de melhores salários e benefícios. Caroline Lucas, diretora executiva da Coalizão de Sindicatos Kaiser Permanente, disse que a crise de pessoal levou a condições de trabalho inseguras e à deterioração do atendimento aos pacientes.

Espaço Publicitáriocnseg

“Continuamos a ter profissionais de saúde na linha de frente que estão esgotados e sobrecarregados ao máximo e abandonando a indústria”, disse Lucas à mídia local. “Temos pessoas que se machucam no trabalho porque estão tentando fazer muito, ver muitas pessoas e trabalhar muito rápido. Não é uma situação sustentável”.

A Kaiser Permanente atende quase 13 milhões de pacientes e opera 39 hospitais e mais de 600 consultórios médicos em oito estados e no Distrito de Columbia. A organização disse que tem planos de contingência para garantir que os pacientes continuem a receber cuidados durante uma greve. Todos os hospitais e pronto-socorros permanecerão abertos, segundo a empresa.

Greve na saúde dos eua se soma às  dos trabalhadores nas montadoras
Greve nas montadoras dos EUA (foto de Vincent D Johnson, Xinhua)

A greve dos funcionários da Kaiser Permanente é a mais recente ação dos trabalhadores organizados este ano, uma vez que a inflação e a escassez de mão de obra levaram as tensões sobre salários, benefícios e pessoal a um ponto de ebulição.

Mais de 25 mil membros do United Auto Workers estão atualmente em greve contra a Ford Motor, General Motors e Stellantis. Os escritores de Hollywood realizaram uma greve de 150 dias que terminou na semana passada depois de garantirem um aumento salarial e melhores benefícios. Os atores seguem parados.

Com Agência Xinhua

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui