Maioria dos lojistas de SP não vai contratar temporários

Porém, estão otimistas com o fim de ano

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Natal ainda é a principal data do comércio brasileiro. Num ano atípico, com medidas drásticas, fechamento de milhares de lojas e alta no desemprego devido a pandemia da Covid-19, as expectativas são altas. O Sindicato dos Lojistas do Comércio de São Paulo (Sindilojas-SP) realizou uma sondagem e traçou um panorama de como deverá ser o Natal desse ano de 2020.

De acordo com a sondagem, a primeira constatação é que não devem surgir muitos novos postos de trabalho. Aproximadamente 79% dos lojistas da capital sinalizaram que não contratarão mão-de-obra temporária para o período do final de ano. 18% dos entrevistados pretendem contratar entre 1 e 10 funcionários temporários; 2% entre 11 e 20 colaboradores e apenas 1% deve contratar mais de 20 funcionários temporários.

Segundo o estudo, o que está em alta é o otimismo. Pelo menos é o que 65% dos entrevistados responderam quando questionados em relação ao aumento das vendas para o período. 20% deles estão indiferentes e 15% se sentem pessimistas. “Nossa sondagem demonstrou o que nós, lojistas, estamos sentindo: otimismo em relação às vendas do período de final de ano, mas com cautela máxima em relação aos investimentos. Prova disso é que a minoria pretende contratar funcionários temporários. Além disso, estamos enfrentando a falta de mercadorias e de matérias-primas, como, por exemplo, embalagens para nossos produtos”, explica Aldo N. Macri, lojista e diretor do Sindilojas-SP.

A sondagem revela também que “Divulgação” é a principal ação que deve receber atenção por parte dos lojistas, sendo que 28% deles selecionaram essa estratégia para alavancar as vendas de final de ano. Logo atrás vem o quesito “atendimento diferenciado”, escolhido por 23%, seguido de “promoções”, “diversificação do mix de produtos” e “investimento em estoque”. Dos entrevistados, 5% afirmaram que não farão nenhuma atividade para impulsionar as vendas de Natal.

Foram entrevistados 101 empresários do comércio da capital de São Paulo entre os dias 15 de outubro e 5 de novembro, dos quais 33% têm de 11 a 20 empregados; 22% têm de 1 a 5; 28% mais de 20 colaboradores; 13% entre 6 e 10 funcionários; e apenas 4% não possuem colaboradores.

O Sindilojas-SP é uma entidade sindical que representa 30 mil empresas do comércio lojista e 100 mil empresários da cidade de São Paulo, estabelecidos em Shopping Centers e lojas de rua.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor