Mais um aumento no preço do gás

Sindicatos criticam reajuste na pandemia.

Conjuntura / 19:59 - 4 de jun de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O preço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o chamado gás de cozinha, foi reajustado em 5,3% nesta quinta-feira. O aumento foi criticado por sindicatos, principalmente porque acontece em época de pandemia de coronavírus, quando houve maior procura por botijões, assim como houve escassez do produto.

Para o consumidor final, o preço médio do botijão de 13 quilos gira em torno de R$ 70. Em nota, a Petrobras informou que no acumulado do ano houve redução do preço. “Com isso, o preço médio da Petrobras será equivalente a R$ 24,08 por botijão de 13kg. No acumulado do ano, a redução é de -13,4%, ou -3,72 R$/13kg”.

A estatal afirma ainda: “É importante esclarecer que, desde novembro de 2019, a Petrobras igualou os preços de GLP para os segmentos residencial e industrial/comercial, e que o GLP é vendido pela Petrobras a granel. As distribuidoras são as responsáveis pelo envase em diferentes tipos de botijão e, junto com as revendas, são responsáveis pelos preços ao consumidor final”.

Débito Virtual

O Chama, aplicativo que conecta revendedores de botijão de gás a consumidores, está aceitando o Cartão de Débito Virtual da Caixa Econômica, do aplicativo Caixa Tem, lançado pelo banco para auxiliar os beneficiários do auxílio emergencial, para pagamento da compra de botijões de gás. A opção já está disponível para aparelhos Android e estará adequada ao sistema IOS na próxima segunda-feira.

Benefício financeiro destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados, o Auxílio Emergencial tem por objetivo fornecer assistência financeira no período de enfrentamento à crise causada pela pandemia. Neste mês, o Governo Federal começou a liberar o saque da segunda parcela do programa, no valor de R$ 600,00.

De acordo com Sheynna Hakim Rossignol, presidente da empresa, esse foi um passo importante do Chama do Brasil para ajudar as pessoas que recebem o auxílio a terem acesso ao produto por um preço justo. "Essa possibilidade de pagamento surgiu por conta da demanda dos nossos consumidores, o que tornou nosso aplicativo ainda mais acessível e funcional. Além disso, estamos ajudando as pessoas a comprarem o botijão de gás de suas casas pagando um preço mais justo, utilizando o recurso do auxílio emergencial com comodidade e segurança", afirma.

No início da pandemia, sem saber o que ia acontecer e com medo do futuro, muitos consumidores correram para estocar diversos itens básicos, dentre eles o botijão de gás, o que gerou uma falta do produto em vários bairros da cidade de São Paulo. Agora, com a distribuição normalizada, o problema é de ordem econômica.

“Com o cartão da Caixa, os consumidores conseguem fazer compras em farmácias, mercados, pagar boletos e até mesmo abastecer o carro. Agora também podem comprar botijão de gás de distribuidores confiáveis, regulamentados pela ANP, com ótimos preço e atendimento”, conclui Sheynna.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor