Mais um

Depois de Lucio Gutiérrez no Equador, Alejandro Toledo pode ser o próximo. Amargando os mais baixos índices de popularidade dos chefes de Estado da América Latina devido às suas políticas neoliberais, o – ainda – presidente do Peru enfrenta três pedidos de impeachment no Congresso de seu país. Caso o impeachment de Toledo se consume, oferecerá ao presidente Lula, depois da ação unilateral de conceder asilo a Gutiérrez sem consultar seus vizinhos, a oportunidade de buscar uma solução pactuada com seus colegas do subcontinente.

Primeiro Mundo
Uma turma de 40 diplomados de 16 países africanos, membros da Confederação Internacional das Associações dos Diplomados pelo Instituto Técnico de Bancos (Ciad-ITB), vem pela primeira vez à América Latina para conhecer as instituições financeiras e o sistema bancário do Brasil. Os estrangeiros vão participar do seminário que a Câmara de Comércio e Indústria do Estado do Rio de Janeiro nesta quinta-feira.
Na programação, palestras de representantes da Caixa Econômica, HSBC, BNDES e Banco Central. Eles escolheram o Brasil por considerarem o sistema bancário do país de Primeiro Mundo. Como reciprocidade a tal elogio, o representante do BC deveria evitar tocar no assunto juros. Afinal, ensinar como se cobra por aqui taxas estratosféricas poderia ser tomado pelos visitantes com declaração de guerra.

Incentivo limpo
Para se transformar num centro internacional de atração de recursos provenientes do mercado de crédito-carbono, o Estado do Rio de Janeiro está estudando formas de oferecer incentivos fiscais aos projetos de Mecanismos de Desenvolvimento Limpo (MDL). Segundo o secretário-chefe de Gabinete, Fernando Peregrino, “existem projetos de tecnologia, agricultura, saúde, educação e saneamento que podem contribuir para a outros projetos que ajudem a conter a emissão dos gases poluentes na atmosfera e captem recursos no mercado internacional. Todos podem vir a ser enquadrados no Fundo de Desenvolvimento Econômico e Social (Fundes)”. A expectativa é que o estado consiga atrair US$ 500 milhões com a venda dos créditos de carbono.

A todo gás
O Rio já tem exemplos práticos de projetos de MDL. É, por exemplo, líder nacional no uso do gás natural veicular. Nos próximos dias, a governadora criará os dois primeiros centros de energia renovável do Brasil, que funcionarão na Universidade do Estado do Rio de Janeiro e na Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro, em Campos, na Região Norte. Esses centros desenvolverão pesquisas de energias alternativas. Alguns setores, como o dos ceramistas, serão estimulados a utilizar o gás natural, evitando o uso de lenha.

Hotelaria
O curso “Vivência prática na hotelaria” será ministrado dias 21 e 22 deste mês em Penedo (Sul Fluminense) pela consultoria em turismo Planet Work. A idéia, segundo a professora Roberta Guimarães, é dar ao aluno a possibilidade de vivenciar a operação das diversas áreas de um hotel e conhecer os seus fundamentos teóricos. Informações pelo telefone (21) 3322-4459 ou através e-mail divisaodecursos@planetworkrio.com.br

CNC
Marketing turístico é o tema da palestra que o professor Bayard Boiteux fará dia 18, às 17h30, na Confederação Nacional do Comércio (Av. General Justo, 307 – Rio de Janeiro).

No mundo todo
Apresentado como um dos indicadores do sucesso da política econômica do ministro Antônio Palocci, o crescimento das vendas de celulares é um fenômeno mundial. Na Rússia, por exemplo, as vendas das principais redes distribuidoras cresceram até 30% no primeiro trimestre. A Evrosset, por exemplo, vendeu 1,6 milhão de celulares até março, três vezes mais que no primeiro trimestre de 2004, faturando US$ 390 milhões. As vendas da Dixis cresceram entre 15% e 20%  acima do previsto e da Betalink de 10% a 20%. Os números das operadoras projetam vendas de US$ 5,6 bilhões para 2005, superando a previsão inicial de US$ 5,1 bilhões. Ou seja, trata-se mais de mudança de padrão de consumo do que sucesso isolado de política macroeconômica.

Artigo anteriorAntiglobalização
Próximo artigoACESITA
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

Dois mitos sobre a Petrobras

Mídia acionada pelo mercado financeiro abusa de expedientes que ataca quando usados por bolsonaristas.

Mudar preços implica parar venda de refinarias

Mercado financeiro cobrará deságio, e Petrobras precisa de ativos para poder operar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Preços dos carros mais vendidos subiram 9,4% em média em um ano

Com 18,23% de variação, Renault Kwid foi o que mais subiu de preço entre os 13 mais vendidos.

PEC Emergencial pode sair da pauta do Senado desta quinta

Parlamentares resistem a cortes na saúde e educação e propõem votar apenas questão do auxílio emergencial.

Desdobramentos da intervenção na Petrobras

Percepção é de que o 'superministro' de Bolsonaro pode estar ficando cada vez mais isolado.

IPCA-15 de fevereiro ficou abaixo da expectativa

Índice mostra variação mais fraca que o esperado em alimentação, educação; já saúde e transportes vieram mais fortes que a expectativa.

Tentativa de superação

Ontem foi dia de recuperação da Bovespa, liderada pelas ações da Petrobras, Eletrobrás e setor bancário.