Mais vacinas da Fiocruz e Butantan

Nesta sexta-feira, a Fiocruz alcançou o total de 26,5 milhões de doses da vacina Covid-19 disponibilizadas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) pelo seu Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos). Deste quantitativo, 19,7 milhões de doses são de abril, superando a previsão de 18,8 milhões de doses para o mês.

A superação do quantitativo é resultado do escalonamento interno da produção pelo Instituto. Além das doses processadas internamente, o total inclui as 4 milhões importadas prontas do Instituto Serum, da Índia.

A entrega desta sexta-feira contempla 6,5 milhões de doses, em duas remessas: a primeira já liberada, incluindo 590 mil para o Estado do Rio de Janeiro; a segunda está prevista para o final do dia. Para maio, a Fiocruz prevê o fornecimento de 21,5 milhões de doses.

Já o Instituto Butantan, finalizou nesta sexta-feira também (30), a entrega de um lote antecipado de 600 mil doses da CoronaVac, a vacina produzida em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde. A previsão inicial era que as entregas das doses, produzidas a partir dos 3 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) que chegaram da China em 19/4, seriam iniciadas em 3/5.

A saída dos caminhões carregando o novo lote de vacinas da fábrica do Butantan foi acompanhada pelo governador de São Paulo, João Doria, pelo secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn, e pelo presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas.

A entrega desta sexta faz parte da última parcela de 5,6 milhões de doses que vão complementar o primeiro contrato entre Butantan e Ministério da Saúde para o fornecimento de 46 milhões de doses da CoronaVac. Após essa etapa, inicia a produção de outras 54 milhões de doses, objeto do segundo contrato.

Em janeiro, foram entregues ao PNI 8,7 milhões de doses da vacina; em fevereiro, foram 4,8 milhões; em março, 22,7 milhões; e em abril, 5,8 milhões de doses.

Durante a entrega, Dimas Covas falou sobre o começo dos testes do soro desenvolvido pelo Butantan para tratamento de pacientes com Covid-19. Segundo o presidente do Instituto, os estudos devem iniciar nas próximas semanas. “Os hospitais que vão participar já se prepararam. Já foram contratadas as equipes dos estudos clínicos e estamos na iminência de começar”, explicou, acrescentando que os voluntários já foram selecionados.

O estudo clínico foi autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e será realizado no Hospital do Rim e no Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo.

Artigos Relacionados

Aprovado projeto que asfixia o direito da minoria em sessões da Câmara

Mudanças começam a valer a partir desta quinta-feira.

Confiança da indústria está maior em maio

'Em meio à crise gerada pela pandemia, Estado tem que ser indutor do crescimento econômico', afirma presidente da CNI.

Para quatro em 10 brasileiros, idade é empecilho em busca por emprego

Mais de 70% dos profissionais com mais de 40 anos já sofreram preconceito no mercado de trabalho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Aprovado projeto que asfixia o direito da minoria em sessões da Câmara

Mudanças começam a valer a partir desta quinta-feira.

Confiança da indústria está maior em maio

'Em meio à crise gerada pela pandemia, Estado tem que ser indutor do crescimento econômico', afirma presidente da CNI.

EUA: CPI teve variação acima do esperado

Foi o maior avanço mensal da leitura subjacente desde a década de 80 do século passado.

Latino-americanos viajam aos EUA em busca de imunização

Um anúncio de uma agência de viagens oferece promoções para que mexicanos viajem aos EUA a fim de receber a vacina contra a Covid-19....

Comportamento é misto na Europa nesta manhã

Nesta manhã, Paris opera em queda de 0,10%.