Mal de saúde

Mais de 70% dos cariocas são favoráveis à prestação de serviços como aplicação de injeção e monitoramento de pressão nas farmácias. O dado, de pesquisa encomendada pela Associação do Comércio Farmacêutico do Estado do Rio de Janeiro (Ascoferj) à Fecomércio/RJ, comprova como anda mal o serviço que a Prefeitura do Rio presta nos postos de saúde, aonde os cariocas deveriam recorrer para acompanhamento médico. Foram ouvidas 830 pessoas, em setembro.

Cheios de gás
A reunião no Chile e a visita do presidente Lula à Bolívia, no próximo mês, deve restabelecer verdade que andou obliterada por fanatismos ideológicos, principalmente midiáticos: em relação ao gás, o Brasil e o país de Evo Morales têm interesses complementares. Sem produção suficiente – no momento – para atender o crescimento geométrico do consumo interno, o Brasil tem na Bolívia seu fornecedor preferencial e mais lógico. Sem demanda interna suficiente para suas reservas e, ainda, sem os investimentos necessários para elevar a produção, a Bolívia terá o Brasil como mercado preferencial por longos anos.
Com a Petrobras retomando os investimentos na Bolívia e esta ampliando seu fornecimento de gás ao Brasil, a parceria é boa para as duas partes, mesmo que isso cause arrepios em lobistas, até de origem acadêmica, e pitboys midiáticos.

Força
O desempenho de mais de 90 empresas do setor elétrico (geração, transmissão, distribuição e comercialização) está no livro Séries Econômico-Financeiras das Empresas do Setor de Energia Elétrica 2007, que será lançado na próxima quarta-feira, no Rio. “Os resultados apresentados no Séries 2007 comprovam a estabilidade alcançada pela economia brasileira e a consolidação do marco regulatório do setor elétrico, condições fundamentais para alavancar a expansão da capacidade de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica em nosso país”, garantem os autores, Nivalde J. de Castro, José Augusto V.C. Marques, Rubens Rosental e Camila Guimarães Rocha. O livro é editado a partir de convênio entre Embratel e o Grupo de Estudos do Setor Elétrico – Gesel/UFRJ.

Retorno
A assessoria de comunicação de Furnas afirmou que o presidente da estatal, Luiz Paulo Conde, deixará o hospital nos próximos dias. Ele, que convalesce de uma operação na bexiga, deverá retornar ao trabalho na sede da empresa, em Botafogo (Zona Sul do Rio), e ficará temporariamente instalado na casa da filha, por ser mais perto de Furnas.

Os taxistas
Os ressuscitadores da tese da “empregabilidade” precisam resolver um enigma para sustentarem que o desemprego no Brasil se deveria à falta de qualificação da mão-de-obra:  o do doutor do táxi. Se sobram vagas para os profissionais mais qualificados, como explicar a quantidade de brasileiros com nível universitário que dirigem táxis nas ruas do país? Vocação? Ou um efeito minimalista dos campeões brasileiros da F-1?

Boquinha
A tese da “empregabilidade” pode ter soçobrado com o desemprego em dois dígitos, principalmente, nos grandes centros urbanos do país, mas garantiu pelo menos uma vaga para seu primeiro propagador no Brasil: Edward Amadeo. Ao participar de reunião na qual estava presente o então presidente FH, Amadeo impressionou o tucano, ao argumentar que a culpa do desemprego elevado era do próprio desempregado, e não do medíocre crescimento médio de 2,2% ao ano registrado nos dois mandatos do PSDB. Saiu da reunião ministro do Trabalho.

Canelada
A Copa do Mundo de Futebol nas mãos dos dirigentes atuais é um perigo, mas espera-se que pelo menos não venha a ser chamada aqui de World Soccer Championship ou similar, como ocorre, nas areias de Copacabana, com o campeonato de beach soccer, que, numa antiga língua latina, era chamado de futebol na areia.

Haja Procon
Do deputado federal Vanderlei Macris (PSDB-SP) sobre a crise financeira da BRA, que motivou a demissão de mais de mil funcionários. “Essa é a prova de que o Governo Lula sempre trabalhou em prol dos interesses das duas principais empresas aéreas, a TAM e a Gol. Esqueceu do resto e, claro, do consumidor brasileiro que, mais uma vez, está pagando a conta.”

Marcos de Oliveira e Sérgio Souto

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorO petróleo é nosso
Próximo artigoRodada furada

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Eve desenvolverá modelo de operação de Mobilidade Aérea Urbana

A Eve Urban Air Mobility, empresa da Embraer, e a Bristow Group Inc. (NYSE: VTOL), líder mundial em soluções de voo vertical, anunciaram, nesta...

China: Ampliar apoio à energia verde agrada banco de investimento

O Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (BAII) declarou que dá as boas-vindas ao anúncio da China de aumentar o apoio à energia verde...

XP: Preços de ativos podem sofrer na atual turbulência de mercado

Um dia depois do aumento de 1 ponto percentual da taxa básica de juros, a Selic (agora em 6,25% ao ano), pelo Comitê de...

Projetos de energias renováveis em substituição ao uso do diesel

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Eletrobras firmaram um Pacto de Energia para atuarem conjuntamente na busca de soluções...

Proposta atualiza regulamentação sobre as cooperativas de crédito

Texto em análise na Câmara dos Deputados promove uma série de modificações na Lei do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), abordando o Projeto...