Dá para levar a sério?

Política / 16:26 - 17 de mar de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

MALUF É INDICADO PARA COMISSÃO DO IMPEACHMENTMaluf O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por 433 votos a 1, a lista com as indicações dos líderes partidários para a composição da comissão especial do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O PP indicou o deputado Paulo Maluf (SP), réu em três ações penais no Supremo Tribunal Federal (STF), como um de seus representantes na comissão. O partido havia perdido o prazo para entregar a relação dos indicados e precisou do apoio do Plenário para poder participar da chapa única. Entre os nove nomes indicados pela bancada, quatro são investigados no STF na Operação Lava Jato. Aguinaldo Ribeiro (PB), Roberto Brito (BA) e Jerônimo Goergen (RS) são titulares. Luiz Carlos Heinze (RS), que também responde a inquérito da Lava Jato, foi relacionado para a suplência da comissão. Apuração feita pela Folha de S.Paulo aponta que 31 integrantes da comissão são a favor do impeachment; 28, contra; e seis estão indefinidos. Para presidir a comissão, foi eleito Rogério Rosso (PSD-DF), ligado ao ministro das Cidades, Gilberto Kassab. O deputado Jovair Arantes (PTB-GO), aliado do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), será o relator. A definição ocorreu após o líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), anunciar acordo entre líderes da base aliada. O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, marcou sessões para segundas e sextas-feiras – dias em que normalmente o Congresso está vazio – para acelerar o processo. A presidente Dilma Rousseff foi notificada no fim da tarde sobre a eleição da comissão especial destinada a apurar o pedido de impeachment. Após o recebimento do aviso, inicia-se o prazo de dez sessões ordinárias da Câmara para que a presidente apresente a sua defesa por escrito. Segundo a mensagem recebida, o período de defesa começa a contar a partir de desta sexta-feira “findando o prazo às 19h do dia em que ocorrer a décima sessão.”

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor