Manga foi a fruta mais exportada pelo Brasil em 2021

Foram embarcadas cerca de 272,5 mil toneladas de fruta, aumento de 12% em relação aos embarques no mesmo período de 2020.

O setor da fruticultura brasileira bateu recorde ao alcançar a marca de US$ 1 bilhão em exportações de frutas em 2021. O país enviou para o mercado internacional cerca de 1,2 milhões de toneladas de frutas, volume 18% maior que o registrado no ano anterior. A receita foi de US$ 1,06 bilhão, crescimento de 20% no mesmo comparativo. As informações são da Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas).

As vendas ao exterior se tornaram mais atrativas e foram intensificadas com a valorização do dólar e do euro frente ao real, segundo a Abrafrutas, o que resultou na conquista tão esperada.

O clima foi outro fator que favoreceu a produção. Foram realizadas boas safras, ou seja, houve aumento de produtividade e qualidade, principalmente de culturas que estão no topo das exportações.

Foi percebido também o aumento no consumo de alimentos saudáveis desde o início da pandemia com o objetivo de aumentar a imunidade, o que resultou em mais vendas de frutas tanto no mercado interno como no externo.

A manga foi a fruta mais exportada em 2021. Foram embarcadas cerca de 272,5 mil toneladas de fruta, aumento de 12% em relação aos embarques no mesmo período de 2020.

O destaque foi a maçã, que teve crescimento de 79% em receita e de 58% em volume em relação a 2020. Foram embarcadas 99 mil toneladas da fruta ao mercado internacional, principalmente ao mercado europeu, que detém, ao todo, cerca de 70% dos envios da fruta brasileira.

A uva também teve grande aumento nas exportações durante 2021, com altas de 55% em volume e 43% em receita. Mamão, limão e melão também tiveram crescimentos expressivos.

No mês de dezembro de 2021, foram exportadas 131,4 mil toneladas de frutas brasileiras, volume 6% maior que o registrado em dezembro de 2020. Em receita, houve aumento de 3%, com US$ 109,2 milhões registrados no período.

“O Brasil é um grande produtor de frutas e mais do que isso, nossas frutas são de altíssima qualidade e extremamente saborosas, por isso cada vez mais estamos ganhando o paladar do consumidor internacional. Além disso, as pessoas estão em busca de alimentos mais saudáveis. Eu costumo dizer que não existe nada mais saudável que as frutas”, afirmou em nota o presidente da Abrafrutas, Guilherme Coelho.

A organização do setor foi ressaltada por Coelho como um fator chave para obter este resultado.

“Desde 2014, data de criação da nossa associação, o setor vem se organizando melhor e, de maneira mais madura, os produtores puderam aproveitar mais as oportunidades que surgiram. Além disso, a parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), por meio do projeto Frutas do Brasil, proporcionou a promoção das nossas frutas no mercado internacional, favorecendo a chegada dessa marca de US$ 1 bilhão em exportações”, disse.

 

Com informações da Agência de Notícias Brasil-Árabe

Leia também:

Frango: exportação para os Emirados aumentou em quase 30% em 2021

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Azul mantém Norte Fluminense e Gol vai montar hub na Bahia

Companhia aérea recebeu incentivos fiscais do governo baiano.

Mais navios deixam a Ucrânia com 58 mil t de milho

Três navios foram autorizados a sair com grão da Ucrânia.

Preços dos alimentos caem em julho mas ainda estão 13,1% acima de 2021

Óleos vegetais e cereais contribuíram para redução.

Últimas Notícias

Real pode se beneficiar da queda do dólar ante moedas emergentes

Em NY, os índices futuros acionários operam no positivo, assim como as principais Bolsas europeias; alta também na Ásia.

Dia dos Pais: shoppings preveem crescimento de 16% nas vendas

Setor deve movimentar R$ 4,4 bilhões entre os dias 8 e 14 de agosto.

BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos

Área de oncologia movimenta R$ 50 bilhões no Brasil

Cerca de 625 mil novos casos de câncer são diagnosticados por ano