Manual do FMI para driblar voto do eleitor

Reformas antipopulares feitas no embalo da eleição levam a perda menor de apoio.

Os governos devem agir rapidamente após uma vitória eleitoral para realizar reformas durante o período político da lua de mel; as reformas são mais bem implementadas quando as condições econômicas são favoráveis; os formuladores de políticas devem considerar qualquer dano que as reformas possam ter na distribuição de renda e adotar medidas iniciais bem comunicadas para compensar esses efeitos colaterais.

Estas três recomendações constam de um texto distribuído pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), uma espécie de manual de como driblar os desejos dos eleitores após ganhar a eleição e manter chances de ser reeleito.

Os autores – Davide Furceri, Jonathan D. Ostry e Chris Papageorgiou – estudaram 90 economias avançadas e em desenvolvimento. “Nossa principal constatação, baseada em 66 países democráticos, é que, embora em média as reformas estejam associadas a custos eleitorais, efeitos específicos dependem não apenas do tipo de reforma, mas também de quando, no ciclo eleitoral, ela é implementada.”

Os riscos eleitorais são aumentados quando os governos atrasam e promovem reformas na véspera de uma eleição”, constatam os pesquisadores do FMI. “Por exemplo, uma grande reforma pouco antes de uma eleição custa à coalizão do governo uma média de 3 pontos percentuais em sua parcela dos votos.”

A pesquisa constata que nem todas as reformas são iguais do ponto de vista eleitoral. Os dados sugerem que aqueles que geram maior desigualdade de renda – principalmente desregulamentação do setor financeiro (como privatização do setor bancário e remoção de controles sobre taxas de crédito e juros) e abertura a fluxos financeiros – exigem um custo mais alto no momento das eleições. A perda para os partidos que tentam reeleição supera os 7 pontos percentuais.

 

Grão em grão

A Unimed vai ocupar dois andares do Novocais, prédio da Odebrecht na região do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro. Serão 400 funcionários que devem se mudar para o espaço ainda este ano. Até agora, o edifício de 11 andares tinha apenas três ocupados, onde funciona a sede da própria empreiteira no Rio. A operadora de planos de saúde é a 22ª empresa de grande porte a se mudar para a zona portuária renovada.

 

EUA 10 x 1 Brasil

Os EUA têm dez agências de fomento à pesquisa, enquanto que o Brasil quer fundir as duas atuais. Não faz sentido. O Brasil vai na contramão”, afirmou o deputado federal Alessandro Molon (PSB-RJ), que defendeu a pesquisa brasileira na comissão geral que discutiu os rumos da Educação e da Ciência e Tecnologia. “Fundir Capes e CNPq é uma ideia maluca”, completou.

 

Brasileiro é tão bonzinho

A Shell vê muitas oportunidades de ganhar dinheiro com petróleo e gás nas próximas décadas. A empresa é a maior produtora privada do pré-sal no Brasil, aquele filé mignon que o governo patriota está entregando a preço de sebo.

 

Rápidas

O Instituto Justiça e Cidadania e o STJ realizarão o 2º Seminário Jurídico de Seguros, no auditório externo do STJ, em Brasília, em 20 de novembro. Inscrições em stj.jus.br *** A Conta Azul [CON], conferência de contabilidade e tecnologia da América Latina, acontecerá nesta quarta-feira, na Transamerica Expo Center, em São Paulo. Felipe Barreto Veiga, sócio do BVA Advogados, fará palestra sobre a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) *** O Caxias Shopping realizará neste domingo a sua tradicional feira com produtores que fazem parte dos programas da agricultura familiar de Duque de Caxias, sem uso de agrotóxicos *** Nesta segunda-feira, o Centro Universitário IBMR realiza campanha, em parceria com o Hemorio, para a doação de sangue no Campus Catete, localizado na rua Corrêa Dutra, 126, Zona Sul do Rio. A coleta será realizada de 9h às 15h *** O chefe da Coordenadoria de Áreas Terrestres da Agência Nacional do Petróleo (ANP), José Fernando de Freitas, e a superintendente de Petróleo e Indústria Naval do Estado do Rio, Meg de Luca, farão palestras no seminário “Novos temas de petróleo e gás”, que o Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) realizará dia 28, das 9h às 18h. Inscrições em iabnacional.orb.br *** Foi lançado o Projeto Megamatte Capacita, para capacitar pessoas que trabalham em ONGs e projetos sociais. Os gestores da rede ministrarão os cursos. As inscrições, gratuitas, poderão ser feitas através de formulários nas redes sociais da Megamatte. A primeira edição acontece em 13 de novembro.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Guedes esperava muito da educação

Setor educacional prometeu, mas ainda não cumpriu.

Petrobras também foi ao mercado em Londres

Estatal criou subsidiária na década de 80 para atuar nas Bolsas.

Petroleiras ganham dinheiro no mercado, não com produção

Desde a década de 1980, companhias viraram empresas financeiras.

Últimas Notícias

Câmara rejeita ‘PL antiterrorismo’

A Câmara dos Deputados rejeitou nesta quarta-feira a urgência para votar o Projeto de Lei (1595/19) que cria uma polícia política que permite ao...

Programa AceleraD’Or de Mentoria entra em fase decisiva

Em fase decisiva para a escolha das 10 empresas participantes do projeto, o Programa AceleraD’Or de Mentoria, patrocinado pela D’Or Consultoria, teve repercussão positiva...

Aconseg-RJ mostra um 2022 promissor para as assessorias

Em reportagem especial da edição, os executivos confirmam a rápida resposta do setor e sua adequação aos tempos de desafios que foram superados com...

Inovação em Seguros concederá NFTs a vencedores

Uma das novidades do Prêmio Antonio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros, promovido pela Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg), será a concessão...

Anbima projeta taxa de juros em 11,75% em 2022

A taxa de juros deve voltar a dois dígitos no início do próximo ano e chegar em 11,75% no mês de maio, de acordo...