Maquiagem – 1

O destaque é do Ex-blog do prefeito do Rio, Cesar Maia, a partir de estudo publicado na Revista do Ipea: “A taxa de desemprego no Brasil não inclui o chamado emprego precário que alcança 3,7%. Ou seja, se a taxa de desemprego está em 10%, para comparação com os países desenvolvidos, ela estaria em 13,7%.”

Maquiagem – 2
Segue o Ex-blog: “Os gastos com Seguridade Social alcançam 12,7% do PIB, sendo que 7,4% são os pagamentos de benefícios básicos. Mas há um item no final que mostra uma contabilidade fraudada. Nestes 12,7% são incluídos os inativos e pensionistas da União, que deveriam estar alocados no orçamento fiscal/previdenciário da União, como o fazem estados e municípios. São 2,14% do PIB. Com isso se falsifica o déficit público, que é de fato menor em 2,14% do PIB. E se incham os gastos do INSS, que deveriam ser 10,6%.

Sucesso em Brasília
CryptoCell Secure ID, uma solução utilizada para eliminar o risco de grampo telefônico em conversações via celular, está sendo lançada no Brasil pela Starctic, especializada em sigilo de informações. O público-alvo da empresa são executivos de alto escalão de áreas estratégicas das grandes corporações, principalmente “segmentos que trabalham com informações críticas, como mercado financeiro, indústria de inovações e repartições de governo”.
Edison Santos, gerente da Starctic, alerta que “nos últimos anos, o crime organizado conseguiu recrutar profissionais de telecomunicações e tecnologia da informação capazes de montar centrais de escuta a baixo custo e em questão de horas”, inclusive da tecnologia GSM, que era considerada à prova de clonagem. O preço do sistema mais barato, instalado no aparelho Nokia N-70, é R$ 4.400.

Vida real
O “risco país” que, em queda faz a festa dos especuladores externos e internos, não se reflete na melhora dos níveis de emprego, como reafirmaram os números divulgados, quinta-feira, pelo IBGE.

Pane
O ritmo da queda do dólar assusta até alguns doleiros.

Exótico
Ao tentar justificar a inércia do Banco Central (BC) diante do derretimento do dólar e de suas repercussões sobre a desindustrialização e o desemprego, o presidente do BC, Henrique Meirelles, alegou que sua gestão se alinha com a da maioria dos países, que não têm metas para juros nem câmbio. Faltou acrescentar: nem para inflação. Descartado pelos BCs de Estados Unidos, Europa, Japão e China, esse exotismo econômico é fetiche restrito a meia dúzia de países, não por acaso, todos nações com forte déficit de crescimento.

Artigo anteriorBom para quem
Próximo artigoObrigatório
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Salário mínimo baixo, gasto do Estado alto

Nos EUA, assistência a trabalhadores que ganham pouco custa US$ 107 bi por ano ao governo.

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

Dois mitos sobre a Petrobras

Mídia acionada pelo mercado financeiro abusa de expedientes que ataca quando usados por bolsonaristas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Presidente do Banco do Brasil joga a toalha

Centrão tem interesse no cargo.

Imóveis comerciais tiveram estabilidade em janeiro

Nos últimos 12 meses, entretanto, preços de venda e locação do segmento acumulam quedas de 1,32% e 1,18%, respectivamente.

Contas públicas têm superávit de R$ 58,4 bilhões em janeiro

Dívida bruta atinge 89,7% do PIB, o maior percentual da história.

Presidente do Inep é exonerado do cargo

Medida foi publicada no Diário Oficial de hoje; até o momento, não foi anunciado o nome de quem o substituirá.

Primeiro caso de Covid-19 no Brasil completa um ano

Brasil tem novo recorde de mortes diárias, diz Fiocruz; boletim informa que houve ontem 1.148 mortes.