Marcas chinesas fazem ondas no mercado global

As marcas chinesas ponderaram esforços na expansão do mercado estrangeiro nos últimos anos, para realizarem negócios globalmente, disseram especialistas ao People's Daily Online durante uma entrevista

Foto tirada em 4 de junho de 2021 mostra o interior de uma loja Mi-store no Centro Comercial Electron, em Riyadh, Arábia Saudita. (Xinhua/Hu Guan)

Xinhua - Silk Road

Beijing, 12 mai (Xinhua) — As marcas chinesas ponderaram esforços na expansão do mercado estrangeiro nos últimos anos, para realizarem negócios globalmente, disseram especialistas ao People’s Daily Online durante uma entrevista.

Sustentados pelo surgimento de novas tecnologias, como inteligência artificial (IA) e ferramentas digitais, as empresas chinesas estão ganhando participação de mercado no exterior, fornecendo produtos e serviços localizados e personalizados para explorar o valor agregado, tornando a economia de marcas uma nova força motriz para o desenvolvimento de alta qualidade.

Em abril deste ano, a Hisense lançou estabeleceu sua base de TV a cores com instalações fabris avançadas com operação e sistema de controle inteligente em Jacarta, capital da Indonésia, representando um epítome da globalização das marcas chinesas.

 

— Rumo aos mercados de médio e alto padrão

Durante muitos anos, a China foi rotulada como uma “grande fábrica” ​​para produzir e processar produtos para o mercado global.

No entanto, um número crescente de marcas chinesas independentes está avançando no rumo aos mercados de médio e alto padrão, para chegar nos clientes estrangeiros.

“No início, quando estávamos planejando para o mercado externo, uma empresa estrangeira veio até nós e propôs exportações com termos de fabricante de equipamento original (OEM, sigla em inglês). Conseguíamos lucros de 3 a 5 por cento, mas dificilmente criamos a nossa própria marca no exterior”, disse um representante oficial da Haier Smart Home.

A persistência da empresa finalmente gerou resultado. De acordo com o representante oficial, em 2021, os negócios no exterior da Haier Smart Home relataram receita atingindo 113,73 bilhões de yuans, enquanto o lucro operacional totalizou 5,93 bilhões de yuans, com aumentos anuais de 13% e 48,1%, respectivamente.

Além do setor de eletrodomésticos, as marcas de veículos de nova energia (VNE) da China também estão no centro das atenções da indústria automobilística global, apresentando vantagens na economia de energia e custos e na redução da poluição.

A SAIC MAXUS, fabricante de VNEs, está competindo contra outras marcas competitivas no mercado europeu. Em março deste ano, o seu volume acumulado de vendas ultrapassou 150.000 unidades em 51 países e regiões, disse um representante oficial da empresa.

Atualmente, as marcas chinesas estão intensificando os esforços no desenvolvimento das suas próprias características distintivas com elementos culturais e se transformando de padrões baixos para padrões médios e altos, a fim de atender às necessidades dos clientes, disse Pan Helin, codiretor e pesquisador do Centro de Pesquisa de Economia Digital e Inovação Financeira da Escola Internacional de Negócios da Zhejiang University.

 

— Sustentadas por tecnologias digitais

Em outubro de 2021, a Faw Jiefang Automotive Company lançou a sua plataforma online de Internet de Veículos (IoV, sigla em inglês) para operação experimental no mercado externo.

A plataforma coletou dados dos usuários a partir do APP e do site, para realizar a transformação digital e a gestão da produção, venda e serviços, que apresentou um forte desempenho no atendimento das demandas dos clientes no exterior.

Em 2021, a empresa manteve um forte impulso de crescimento na produção e nas vendas, com um total de 15.000 unidades exportadas para o exterior, aumentando quase 150% anualmente.

A China tem formulada políticas preferenciais e tem criada um ambiente sólido para a economia digital, o que ajuda as marcas chinesas a estabilizarem a cadeia industrial e de suprimentos em todo o mundo, ganhando popularidade nas mídias sociais no exterior, disse Liang Wei, pesquisador assistente do Instituto de Circulação e Consumo da Academia Chinesa de Comércio Internacional e Cooperação Econômica (CAITEC).

A Genki Forest, uma empresa inovadora de bebidas, também criou o seu próprio portal online e criou canais de comércio eletrônico transfronteiriços, para obter acesso a mais clientes no exterior. Até o momento, a empresa lançou mais de 20 novos produtos e entrou nos mercados locais de mais de 40 países e regiões.

 

— Economia de marcas como nova força motriz do crescimento econômico

Atualmente, um número crescente de marcas chinesas é encontrado nos carrinhos de compras dos consumidores estrangeiros. De OEM para exportação de marca, a economia de marcas chinesas em expansão tornou-se uma nova força motriz para o crescimento econômico de alta qualidade.

“Até agora, já montamos 55 empresas e escritórios no exterior, 20 institutos de pesquisa e 29 parques industriais e bases de produção”, disse um representante oficial da Hisense.

Em 2021, a receita externa da empresa cresceu 32% anualmente, respondendo por 42% da sua receita operacional geral, com mais de 80% contribuído por suas marcas independentes.

As remessas da OPPO para a Europa aumentaram 78% anualmente em 2021, tornando a marca a quarta maior produtora de smartphones no mercado europeu. A OPPO tem planos de patentes de tecnologia para mais de 40 países e regiões, envolvendo comunicações, imagens, IA e carregamento rápido.

No primeiro trimestre deste ano, a empresa solicitou mais de 77.000 patentes em todo o mundo e autorizou mais de 38.000 patentes em todo o mundo. Entre eles, as solicitações de patentes de invenção representaram mais de 90%, disse um representante oficial da OPPO.

A sólida cadeia industrial e de fornecimento, bem como as tecnologias digitais e a melhoria gradual da infraestrutura de suporte, formam os pedregulhos para pavimentar o caminho para o desenvolvimento global das marcas chinesas, disse Zhu Keli, diretor executivo da Associação da Indústria de Informação da China e presidente do China Institute of New Economy. Fim

Leia também:

Os pedidos globais de patentes de IA da chinesa Baidu superam 22.000

Xinhua Silk Road
Agência de notícias oficial do governo da República Popular da China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Comércio da China com países do Cinturão e Rota registra crescimento

Os laços econômicos e comerciais da China com os países ao longo do Cinturão e Rota se fortaleceram significativamente na última década, afirmou Sheng Qiuping, vice-ministro do Comércio da China, nesta sexta-feira.

Produção de chá eletrificada impulsiona indústria de chá na China

A produção de chá eletrificada na Província de Hunan, na região central da China, um dos setores de eletrificação rural promovidos pela State Grid Hunan Electric Power Co., Ltd., está ajudando a indústria local de chá a prosperar em uma forma de produção mais verde e eficiente.

JD.com acompanha sua receita líquida crescer 18% no primeiro trimestre

A gigante do comércio eletrônico da China, JD.com, observou sua receita líquida aumentar 18% ano a ano no primeiro trimestre deste ano, informou o China Securities Journal.

Últimas Notícias

Câmara deve colocar em votação PL que desonera tarifas de energia

Em 2021, o Brasil passou pela pior crise hídrica em mais de 90 anos

Metodologia para participação de investidor estrangeiro

Serão considerados os dados de liquidação das operações realizadas no mercado primário nos sistemas da B3

Fitch eleva rating do Banco Sicoob para AA (bra)

Houve melhora do perfil de negócios e de risco da instituição

Petrobras Conexões para Inovação cria robô de combate a incêndio

Estatal: Primeiro no mundo adaptado para a indústria de óleo e gás

Brasil tenta ampliar diálogo com a UE

Debate da recuperação econômica nas duas regiões e discussão sobre as perspectivas das políticas fiscais