Marco Aurélio: general ‘Não assusta’

Augusto Heleno ameaçou o STF por pedir apreensão e perícia dos celulares de Bolsonaro e filho Carlos.

Conjuntura / 23:23 - 22 de mai de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

“Não assusta em nada”. Asim, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello, reagiu a Nota à Nação Brasileira, do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, ao ameaçar o STF pelo pedido de apreensão e perícia dos celulares do presidente Jair Bolsonaro e seu filho Carlos. O pedido foi dirigido à Procuradoria-Geral da República por Marco Aurélio.

 

Bolsonaro: ‘só se fosse um rato’

Nem com a divulgação do vídeo comprometedor que pode derrubar o governo, Bolsonaro atenuou seu discurso afrontoso às instituições e leis do país. Em entrevista à Jovem Pan, ele disse que não vai entregar o celular, caso seja obrigado pela justiça. O ex-capitão afirmou: “só se o presidente da República for um rato pra entregar o telefone. Jamais entregaria um celular numa situação dessa. Só se fosse um rato pra entregar o telefone”

 

Bolsonaro II: ‘todo mundo cai’

Em vídeo da reunião ministerial do 22 de abril, Jair Bolsonaro afirmou que se ele for derrubado, todos os ministros também serão. “Se eu cair, todo mundo cai”, declarou. Para ele, os ministros têm o dever de se expor e defendê-lo das críticas publicamente. “Acordem para a política e se exponham, afinal de contas o governo é um só. E se eu cair, cai todo mundo. Agora vamo ca (…) se tiver que cair um dia, vamos cair lutando, uma bandeira justa. Não por uma babaquice de exame a antivírus, pô”, falou.


 

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor