Matemágica

Embora a curiosidade dos alunos de História seja particularmente aguçada nesses tempos de guerra, os professores de Matemática são os que mais têm se desdobrado para tentar responder às dúvidas em sala de aula. O principal interesse é sobre progressão negativa. Exemplo típico é de tropas norte-americanas que, na véspera, estão a 30 quilômetros de Bagdá e no dia seguinte, depois de avançarem, estão a 50 quilômetros.

Lula e as pesquisas
Ensina um antigo ditado chinês que o idiota quando aponta para a lua vê o próprio dedo. A analogia encaixa-se como luva à leitura de pesquisas de opinião de qualquer ordem. A última rodada CNI/Ibope sobre o governo Lula é mais um desafio ao modelo autista. A leitura isolada do maciço apoio ao governo, em geral, e ao presidente, em particular – item que chega a 80% – é, em primeiro lugar, expressão do poderoso desejo de mudanças alimentado pelos brasileiros e a esperança de que o governo que elegeram seja capaz de implementá-las.
Uma primeira pista que desautoriza usar esse apoio como aval a propostas que representem a continuidade da natimorta política econômica derrotada nas urnas vem da agenda eleita pela população, na qual a reivindicação por mais empregos encabeça a lista de reivindicações. Ao elegê-la à frente, inclusive, do combate à fome e à miséria, os entrevistados sinalizam que, sem deixar de apoiar medidas emergenciais destinadas aos brasileiros mais necessitados, destacam que a prioridade deve ser a garantia de trabalho que garanta o sustento e a dignidade de cada um. As tais “reformas” exigidas pelos derrotados nas urnas ficaram na lanterna da agenda popular, com apoios residuais e, mesmo assim, sem revelarem, necessariamente a mesma atribuição de sentidos.
Essa percepção sinaliza que, a ser mantida a suicida política de juros elevados e cortes de gastos que contratam o aprofundamento da recessão, tem-se aí a gestação de um sério contencioso entre opinião pública e governo. A própria comparação entre o governo atual e seu antecessor complementa essa sinalização. Para apenas 49%, Lula é melhor do que o desastre tucano, enquanto para 43%, é igual (35%) ou igual (8%).
O auscultar da voz das ruas, portanto, revela uma população esperançosa, exigente e, acima de tudo, vigilante. Leituras autistas e apropriações convenientes somente levarão à maior explicitação do fosso de agendas antagônicas.

Subsolo
O engenheiro Paulo Metri, colaborador do MM e especialista em petróleo, sugere que seja acrescentado um novo item às ações de protesto contra o ataque norte-americano ao Iraque: “Pressionar o governo Lula para suspender a quinta rodada de licitações de áreas para exploração de petróleo da ANP”. Mais importante do que boicotar o McDonald”s ou a Coca-Cola, a suspensão impediria que depois o Brasil entregue o subsolo nacional para depois comprar seu próprio petróleo a preços exorbitantes – quem sabe, até US$ 80 por barril. “A Petrobras sempre deu excelentes respostas ao povo brasileiro”, acrescentou.

BB Zero
O novo presidente da Fundação Banco do Brasil, Jacques de Oliveira Pena, empossado quarta-feira, em Brasília, afirmou em discurso na Câmara Legislativa do Distrito Federal que o engajamento do BB no Programa Fome Zero do governo federal é prioridade da instituição. Segundo ele, no próximo dia 15, o banco anunciará quais as ações e os projetos serão desenvolvidos para apoiar o programa. Jacques Pena disse, ainda, que o BB como um todo está engajado no combate à fome, tanto em ações estruturais, como específicas e locais. Acrescentou que cerca de 50% dos recursos arrecadados pelo banco com a administração de fundos estão sendo investidos no Fome Zero, da mesma maneira que a Caixa Econômica vem fazendo.

Público alvo
Time de xeque é diferente, não apenas nos milionários salários pagos a seus jogadores. A camisa do Al Saad, no qual Romário joga no Quatar, estampa, nada mais nada menos, do que a marca da BMW.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFato relevante
Próximo artigoBomba atômica

Artigos Relacionados

Não, a Petrobras não quebrou

Na época em que os preços dos combustíveis não eram descontrolados, caixa da estatal era superior ao atual.

Hood Robin e o ICMS nos combustíveis

Reduzir impostos tira da sociedade para dar a poderosos.

Governo sabota emprego doméstico

Desconto no Imposto de Renda, que acabou, incentivava a assinatura da carteira.

Últimas Notícias

Sindicatos defendem política pública para tratar dos combustíveis

Melhor alternativa é considerar todas as etapas e beneficiar o consumidor

Redução dos impactos socioeconômicos das mudanças climáticas

Engajamento necessário de todos os atores sociais, especialmente das empresas.

O cenário da construção civil para 2022

Por Victor Gomes.

Sai edital da primeira desestatização de portos no país

Em Vitória a capacidade de movimentação portuária é de 7 milhões de toneladas

‘Olhos de Água’, romance delicado e apaixonante

Por Paulo Alonso.