Me dá o troco aí

Em Cuiabá, os bancários – em greve – lotaram as agências bancárias que ainda funcionavam para depositar R$ 1. Davam notas de R$ 10 e exigiam troco, criando uma grande confusão. O mesmo foi feito no distrito de Itaipava, em Petrópolis (RJ). É o que as lideranças dos bancários apelidaram de “fila boba”, que consiste em várias pessoas se alinharem na boca do caixa para efetuar depósitos de poucos centavos.

Inanição
A infeliz frase do ministro Guido Mantega – “Não queremos gastar mal, jogar dinheiro pelo ralo” – ao anunciar novo aumento do superávit primário, recebeu uma saraivada de críticas, por vários ângulos, mas que poderiam ser resumidas numa frase de Betinho: “Quem tem fome tem pressa”. Frase predileta do presidente Lula no lançamento do programa Fome Zero (que também sofre com a não liberação das verbas do Orçamento).

Falência
Assembléia geral de credores x juízo da recuperação judicial será o tema da palestra que o advogado Jorge Lobo fará no VI Seminário Nova Lei de Recuperação da Empresa e Falência, nesta segunda-feira, em São Paulo. Durante o evento, serão abordados diversos pontos da nova lei, que será votada na Câmara dos Deputados – quando os parlamentares voltarem ao batente. O seminário será realizado, das 9h às 17h, no Hotel Golden Tulip Paulista Plaza (Alameda Santos 85).

Mão no bolso
Aspectos que estão conduzindo o sistema tributário a pressões intoleráveis, elevando a carga tributária a 40% do PIB, serão o centro da palestra “Razões econômicas e políticas da atual política tributária”, que Marcelo Henriques de Brito fará na próxima quinta-feira no Rio. Autor de Crise e Prosperidade Comercial, Financeira e Política, Brito mostrou no início do ano, através de fórmulas e modelos matemáticos, que os juros iriam subir, assim como o superávit primário. As idéias foram apresentadas em primeira mão no MM em março. A palestra começa às 11h na Associação Comercial (Rua da Candelária 9 – Sala RGA – Centro-RJ).

Ambiente
A participação das empresas no Índice Bovespa de Sustentabilidade e a busca de uma solução de consenso para dar mais agilidade ao licenciamento ambiental serão os principais assuntos em discussão este ano durante a Conferência Anual do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (Cebds) de 2004. Com a presença de líderes empresariais, parlamentares, representantes de governo e do setor acadêmico, a conferência será realizada na manhã desta segunda-feira, no Hotel Intercontinental de São Paulo. O novo índice reflete uma tendência do mercado internacional, com a expansão dos conceitos de responsabilidade ambiental e social.

Boal
A tradicional Casa de Saúde Saint Roman, no Rio, está realizando com seus pacientes uma oficina de teatro baseada no Teatro do Oprimido de Augusto Boal. Os especialistas dão a possibilidade de os pacientes psiquiátricos representarem uma história ou uma poesia de uma forma lúdica e descompromissada, parte do tratamento de ressocialização.

Oratória
A dica vai para os profissionais que precisam falar em público. Trata-se do curso Segredos da Oratória, com a fonoaudióloga Jane Celeste Guberfain, pós-graduada em Voz pelo Centro de Estudos da Voz de São Paulo. O curso ocorrerá de 6 a 8 e de 13 a 15 de outubro, no auditório da Associação de Bancos do Rio de Janeiro (Aberj). Inscrições pelo telefone (21) 2253-1538 ou [email protected]

Tragédia brasileira
Num país de dimensões continentais como o Brasil e de desemprego igualmente gigantesco, o encolhimento do peso da construção civil no PIB é forte fator de pressão sobre as tensões sociais. Entre 1999 e 2003, a participação da indústria em geral no PIB passou de 35,6% para 38,7%. No mesmo período, o peso da construção civil, porém, desabou de 9,4% para 7,1%. A queda se acentuou entre 2002 e 2003, quando a participação do setor recuou de 8% para 7,1%. Com o segmento é intensivo em mão-de-obra, seu declínio ajuda a entender o expressivo aumento do desemprego e da violência no período, que atingiu níveis de tragédia nacional.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Falta de servidores traz prejuízo, inclusive financeiro

Fila de segurados no INSS vai engrossar precatórios em R$ 11 bilhões.

Desmonte do Estado se dá pelas beiradas

Miçangas e espelhos empurram reformas administrativas nos municípios.

O que vale pros precatórios vale pra dívida interna?

Se calotes são defensáveis, poderiam ser estendidos para os títulos públicos.

Últimas Notícias

Distribuição comercial: quais cláusulas e condições mais importantes?

Por Marina Rossit Timm e Letícia Fontes Lage.

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...