Medicamento cubano que ajudou a China é pedido por mais de 15 países

Permite atingir os pulmões do paciente no estágio inicial da infecção.

Internacional / 22:47 - 25 de mar de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O embaixador de Cuba em Moscou, Gerardo Peñalver, informou que Havana recebeu pedidos de mais de 15 países para adquirir a droga Interferon Alfa 2B, desenvolvida na ilha. “Até o dia de hoje recebemos pedidos de mais de 15 países para comprar o medicamento, o que é um reconhecimento do desenvolvimento biotecnológico do nosso país”, declarou o embaixador.

Peñalver lembrou que o medicamento foi utilizado com êxito na China para conter a pandemia do novo coronavírus. O Interferon Alfa 2B é um medicamento terapêutico, e não uma vacina. Interferons são moléculas produzidas pelo corpo humano contra ataques virais. A medicação busca aumentar a capacidade do sistema imunológico de reagir ao coronavírus.

A medicação cubana é normalmente aplicada de forma injetável, mas na China está sendo aplicada por inalação, uma vez que o método permite atingir os pulmões do paciente no estágio inicial da infecção, informou a AFP. Além da produção doméstica em Cuba, a medicação é produzida por uma joint-venture binacional sino-cubana instalada no país asiático.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor